Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

O fósforo é um dos principais componentes dos ossos e dentes. Entenda sua importância

O fósforo é o segundo mineral mais abundante no corpo humano, depois do cálcio. O termo “fósforo” deriva do latim phosphorus, que significa luz brilhante, portador ou fonte de luz. Esse elemento exerce diversas funções essenciais para o bom funcionamento do organismo. Ele está presente em todas as membranas celulares, integra a estrutura dos ossos e dentes, participa ativamente do metabolismo dos glicídios e atua na contração muscular.

Além disso, o fósforo pode ser classificado como um micronutriente e está presente no código genético (DNA e RNA), sendo responsável por ativar enzimas e manter o balanço ácido-básico do organismo. Esse elemento pode ser facilmente obtido por meio da alimentação, no entanto, níveis de fósforo muito altos ou muito baixos podem causar complicações médicas, como doenças cardíacas, dores nas articulações ou fadiga.

Alimentos que contêm fósforo

O consumo diário recomendado de fósforo é de cerca de 700 mg, de acordo com a Organização Mundial da Saúde. Essa quantidade deve ser obtida por meio da alimentação, já que por se tratar de um mineral, esse elemento não é produzido pelo organismo. Diversos alimentos contêm fósforo, como:

  • Carnes e aves;
  • Peixes;
  • Leite e outros produtos lácteos;
  • Ovos.

Vale ressaltar que alimentos ricos em cálcio e proteínas também possuem grandes quantidades de fósforo em sua composição.

Riscos associados ao excesso de fósforo no organismo

O excesso de fósforo pode causar diarreia e endurecimento de órgãos e tecidos moles. Além disso, altos níveis desse elemento podem afetar a capacidade do corpo de usar efetivamente outros minerais, como ferro, cálcio, magnésio e zinco. O fósforo pode ainda combinar-se com o cálcio, causando a formação de depósitos minerais nos músculos.

Riscos associados à baixa ingestão de pouco fósforo

A falta de fósforo no sangue é um evento muito raro. Apenas pessoas com problemas renais ou que têm problemas para regular o cálcio desenvolvem essa carência. Porém, os sintomas de baixo fósforo podem incluir:

  • Dor nas articulações ou nos ossos;
  • Perda de apetite;
  • Irritabilidade ou ansiedade;
  • Fadiga;
  • Fraco desenvolvimento ósseo em crianças.

Fósforo no meio ambiente

O fósforo faz parte de um importante ciclo biogeoquímico para a natureza, o ciclo do fósforo. Além disso, ele também é muito utilizado em práticas agrícolas, sobretudo para a fabricação de fertilizantes inorgânicos. No entanto, a ampla utilização de adubos fosfatados têm causado diversas alterações no ciclo natural desse elemento.

De maneira geral, o uso de fertilizantes inorgânicos acarreta problemas para o meio ambiente, dentre eles a contaminação de lençóis freáticos, rios e lagos. Ainda, muitos adubos fosfatados levam poluentes orgânicos persistentes (POPs) e metais pesados em sua composição, que causam prejuízos para diversos organismos aquáticos e até para seres humanos.

A grande quantidade desse elemento em corpos hídricos também é responsável pela eutrofização da água. Outro problema é que o modelo de agricultura vigente, baseado no intenso uso de fósforo, coloca a produção alimentar em risco. Um estudo mostrou que a escassez de fósforo ameaça a produção regional de alimentos, causando insegurança alimentar.