Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Entenda a importância do lençol freático, responsável por armazenar água da chuva nas partes subterrâneas da Terra

Lençol freático é um reservatório subterrâneo de águas provenientes da chuva que se infiltram no solo por meio de rachaduras ou fissuras. Pode ser definido como um aquífero natural, em que o volume de água armazenada varia. A água subterrânea é toda a água infiltrada na superfície da Terra e encontrada em uma das duas camadas do solo.

A camada mais próxima da superfície é a “zona de aeração”, onde as lacunas entre o solo são preenchidas com ar e água. Abaixo dela está localizada a “zona de saturação”, onde a água preenche todos os poros. O lençol freático é o limite entre essas duas camadas. A forma e a altura do reservatório de água são influenciadas pela superfície do solo que fica acima dele. A água subterrânea encontrada abaixo do lençol freático é proveniente da precipitação que vazou do solo superficial.

As nascentes se formam onde o lençol freático encontra naturalmente a superfície da terra, fazendo com que a água subterrânea flua da superfície e, eventualmente, deságue em um riacho, rio ou lago. Como são uma zona de contato direto entre a água superficial e a água subterrânea, os lençóis freáticos são essenciais para a qualidade dos recursos hídricos, uma vez que eles são responsáveis por abastecer os rios.

Nível do lençol freático

O nível do lençol freático pode variar em diferentes áreas e até mesmo dentro da mesma área. As flutuações no nível do lençol freático são causadas por mudanças na precipitação entre as estações e os anos. Entre o fim do inverno e a primavera, quando a neve derrete e a precipitação é alta, o lençol freático sobe.

No entanto, existe entre o momento em que a precipitação infiltra na zona saturada e o momento em que o lençol freático sobe, porque leva tempo para que a água goteje pelos espaços entre os sedimentos para chegar à zona saturada, embora o processo seja auxiliado pela gravidade. A irrigação das plantações também pode fazer com que o lençol freático suba, à medida que o excesso de água penetra no solo.

Durante os meses de verão, o lençol freático tende a cair, em parte porque as plantas absorvem água da superfície do solo antes que ela alcance o lençol freático. O nível dos lençóis também é influenciado pela extração humana de água por meio de poços, quando a água subterrânea é bombeada para água potável e para irrigar terras agrícolas. A profundidade do lençol freático pode ser medida em poços existentes para determinar os efeitos da estação, do clima ou do impacto humano nas águas subterrâneas.

Caso a água não seja extraída por um poço de forma sustentável, o lençol freático pode cair permanentemente. Esse é um fenômeno comum em todo o mundo: por exemplo, algumas das maiores fontes de água subterrânea estão se esgotando na Índia, China e Estados Unidos. O esgotamento da água subterrânea ocorre quando a taxa de extração da água subterrânea por meio de poços é maior do que a taxa de reposição pela precipitação.

Contaminação e importância do lençol freático

Os lençóis freáticos armazenam grandes volumes de água de boa qualidade, que passam por um processo de “filtragem” natural à medida que penetram as fissuras do solo. Por isso, são considerados uma boa alternativa à escassez de água no mundo. Infelizmente, a ação humana tem tornado os lençóis freáticos vulneráveis a contaminações, especialmente se estiverem localizados em uma área com tipo de solo arenoso, pouca cobertura vegetal ou chuvas intensas.

Entre as principais razões de contaminações, destaca-se a proximidade com cemitérios, lixões e aterros sanitários irregulares, que contaminam os lençóis com fluidos provenientes dos resíduos e bactérias. Além disso, também é um fator preocupante o uso ou o descarte inadequado de agrotóxicos e fertilizantes em plantações próximas aos lençóis.

Águas subterrâneas são fundamentais para a química dos oceanos

Um estudo publicado em 2021 revelou que a descarga de águas subterrâneas nos oceanos desempenham um papel mais significativo do que se pensava. As descobertas têm implicações para modelos globais de ciclos biogeoquímicos e para a interpretação dos registros de isótopos da história do clima da Terra.

Para o estudo, os pesquisadores se concentraram em cinco elementos-chave – lítio, magnésio, cálcio, estrôncio e bário –, medindo as concentrações e as proporções de isótopos nas águas subterrâneas costeiras em vinte locais ao redor do mundo. Segundo a equipe, esses elementos são importantes porque vêm do intemperismo das rochas, que é responsável por uma grande absorção de dióxido de carbono da atmosfera em longas escalas de tempo.

As informações são úteis particularmente para a compreensão de como o intemperismo das rochas se relaciona com o clima. Além disso, compreender a contribuição da água subterrânea para os oceanos é importante porque a água doce subterrânea é rica em nutrientes e solutos como carbono, ferro, silício e nitrogênio, que afetam os ecossistemas costeiros.