Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Entenda o que são óleos essenciais, suas propriedades e contraindicações

Os óleos essenciais são substâncias sintetizadas, armazenadas e liberadas pelas plantas. Sendo completamente de origem vegetal, os óleos essenciais proporcionam benefícios para a saúde e bem-estar físico e emocional por meio da aromaterapia. Eles podem acalmar, estimular, conservar alimentos, cicatrizar, desinfetar e até atuar como inseticida, fungicida, bactericida, repelente e agente de limpeza natural, só é preciso ficar atento às propriedades de cada tipo de óleo essencial.

Os óleos essenciais são obtidos por meio de técnicas de extração, como prensagem a frio e diferentes tipos de destilação. Os terpenos, que são compostos orgânicos voláteis (COV OU VOC em inglês) presentes nos óleos essenciais, podem ser extraídos das folhas, raízes, sementes, frutos, flores e dos troncos de plantas.

Os terpenos podem reagir com outras substâncias ou com eles mesmos e originar outros compostos químicos, como o mentol, cânfora, vitamina A, esqualeno, limoneno e o farnesol. Além destas substâncias, os terpenos são também altamente reativos com outros compostos presentes na atmosfera, como ozônio, nitrato, e hidróxidos.

Os terpenos representam a classe mais importante de substâncias químicas secretadas pelos vegetais e são derivados de uma molécula (isopreno) formada por várias ligações de carbono. O termo terpeno surgiu da terebintina, que é uma resina provinda dos troncos de pinheiros, sendo que a palavra terpeno, de origem grega, significa cheiro agradável. Porém, os terpenos não estão presentes somente nos pinheiros e nas coníferas. Eles são encontrados em frutas cítricas (como a laranja), nos eucaliptos, roseiras, entre outras.

Benefícios dos óleos essenciais

Como a maioria dos óleos essenciais possuem terpenos em suas composições, os benefícios que eles podem nos oferecer são muitos:

Determinados óleos essenciais, como os de eucalipto, lavanda, canela, tomilho e melaleuca são capazes de agir como antisséptico, anti-inflamatório e antibacteriano, induzindo danos às estruturas celulares de bactérias e fungos como Escherichia coli e Cândida albicans. Aproveitando a capacidade que os terpenos presentes nos óleos essenciais possuem, vários equipamentos foram desenvolvidos com o objetivo de purificar e higienizar o ar, eliminando poluentes que podem causar danos à saúde.

Existem também as propriedades expectorantes e diurética, que podem ser obtidas por meio do uso do óleo essencial de eucalipto, por exemplo. Mas atenção: nunca faça uso de nenhum medicamento sem orientação médica ou de um aromaterapeuta. Os óleos essenciais são naturais, porém não deixam de ser remédios que podem provocar efeitos colaterais.

Outros benefícios estão relacionados aos efeitos no trato gastrointestinal, atuando na diminuição de espasmos, e agindo contra a insônia, dos óleos essenciais de menta e de verbena, conferindo-lhes propriedades sedativas.

Especialistas também descobriram que os óleos essenciais podem ser usados para reequilibrar o cérebro. Isso se deve em parte ao fato de que os óleos são solúveis em gordura e o cérebro é composto principalmente de gordura.

Mas um dos principais motivos da eficácia dos óleos é que seus compostos voláteis são bem pequenos, o que os torna bastante adequados para cruzar a barreira hematoencefálica, uma estrutura de permeabilidade altamente seletiva que protege o Sistema Nervoso Central de substâncias potencialmente tóxicas presente no sangue. Ao cruzarem essa barreira, os óleos essenciais podem interagir com os receptores no sistema nervoso central para auxiliar no equilíbrio e apoiar a cura.

Óleos essenciais e suas propriedades

Óleo essencialPropriedades
AlecrimAnalgésico, antisséptico, anti-inflamatório, estimulante e tônico
CamomilaAntisséptico, analgésico, anti-inflamatório, cicatrizante e tônico
EucaliptoAnalgésico e antisséptico
HortelãAnalgésico, antisséptico, anti-inflamatório e estimulante
LavandaCicatrizante, estimulante e tônico
LimãoAntisséptico e anti-inflamatório
MelaleucaAnalgésico, antisséptico, anti-inflamatório, cicatrizante e tônico
Sálvia-esclareiaRelaxante, adstringente, antisséptico, aromático, fortalecedor dos cabelos, regenerador celular
BergamotaCalmante, antibacteriano, anti-inflamatório, analgésico, combate intoxicação alimentar, diminui o colesterol
Ylang ylangAntifúngico, antibacteriano, anti-inflamatório, melhora o humor, alivia a ansiedade e a depressão,
OlíbanoAnti-inflamatório, antimicrobiano, faz bem para o coração
GerânioAntioxidante, bactericida, anti-inflamatório, antisséptico, adstringente, faz bem para estresse, ansiedade e depressão, ajuda a passar pela menopausa
VetiverContém antioxidante, afasta carrapatos, ajuda aliviar ansiedade
Capim-limãoAntibacteriano, antifúngico, anti-inflamatório, previne úlcera gástrica, alivia náusea, faz bem para diarreia
Laranja-doceAntimicrobiano, antioxidante, ajuda a reduzir sintomas de ansiedade e depressão, alivia dor
CanelaBactericida, fungicida, antioxidante, andidiabética, melhora o humor, ajuda no crescimento capilar
Cravo-da-índiaAntioxidante, antimicrobiano, protege contra o câncer, tem efeito antidiabético e antitumoral
OréganoAnalgésico, anti-inflamatório, antiséptico, diurético leve, digestivo, antioxidante

Possíveis aplicações dos óleos essenciais

Graças às diferentes composições dos óleos essenciais, alguns benefícios podem ser alcançados por diversas aplicações, entre elas:

Apesar de comum, a aromatização feita com difusores já levantou controvérsias. A agência governamental Anses disse que os dispositivos populares que supostamente purificam e refrescam o ar podem ter alguns efeitos colaterais desagradáveis, como irritação nos olhos, garganta e nariz. Isso pode estar relacionado a fenóis e cetonas presentes nos óleos, que são inadequados para uso em sprays e difusores de purificação de ar.

Para saber como utilizar os óleos essenciais e alguns cuidados necessários, acesse a matéria “Óleos essenciais: um guia completo“.

Óleos essenciais
Imagem de Chelsea shapouri em Unsplash

Limoneno

O Limoneno ou d-Limonene pode ser considerado o mais comum terpeno encontrado na natureza. O limoneno possui um cheiro de limão e existe nas frutas, especialmente nas cítricas. Os óleos essenciais de cominho, de endro, de neroli, de bergamota e de limão são constituídos principalmente de limoneno.

De acordo com informações da Agência Internacional de Pesquisa sobre Câncer (Iarc), o limoneno é produzido na Austrália, Brasil, Alemanha, Japão e Estados Unidos. Sendo utilizado, segundo a Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos (EPA), na indústria como aditivo alimentar, fragrância natural (saiba mais sobre os riscos das fragrâncias sintéticas), em bebidas, cosméticos e, recentemente, como fragrância natural em inseticidas, repelentes de insetos e produtos para adestrar cães e gatos.

Mas lembre-se: não adicione-os na comida indiscriminadamente, pois os óleos essenciais são altamente concentrados e, apesar de serem naturais, podem causar um intoxicação grave. Evite ingerir sem orientação de um profissional.

Usos do terpeno

Segundo a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), os terpenos têm um grande potencial de interferir nas funções comportamentais, fisiológicas e bioquímicas dos insetos. Isso se deve às propriedades tóxicas, repelente e de atratividade que os terpenos possuem sobre os insetos. Por isso, eles são utilizados em inseticidas, tanto para uso doméstico como para uso agrícola, em repelente de insetos, desinfetantes, fungicidas, solventes como o aguarrás, desengraxantes industriais, entre outros produtos, como alguns purificadores de ar e higienizadores que se utilizam das propriedades bactericidas dos terpenos para diminuir a quantidade de poluentes, bactérias e fungos que podem causar danos à nossa saúde.

Descobertas científicas mostraram os efeitos positivos dos óleos essenciais nos animais. Um estudo dividiu 192 pintinhos em dois grupos, sendo que um deles foi exposto a situações estressantes depois de sua eclosão e um subgrupo teve acesso aos óleos essenciais. Com o experimento, os pesquisadores concluíram que os pintinhos são capazes de consumir espontaneamente um produto que beneficia sua saúde e bem-estar se este for colocado à sua disposição.

Os óleos essenciais contribuíram diminuindo os efeitos do estresse pós-eclosão. Se isso passar a ser considerado, poderá influenciar na redução do uso de antibióticos nas aves.

Além disso, de acordo com um estudo publicado no Journal of Food Science, os óleos essenciais também podem ser usados como conservantes em embalagens para ajudar a estender a vida útil dos produtos alimentícios devido às suas propriedades antimicrobianas e antioxidantes.

Contraindicações

Ao utilizar óleos essenciais, é importante considerar quatro fatores para que sejam seguros: composição química e pureza, método de uso, tempo de uso e dosagem. Antes de usar na pele, por exemplo, é válido realizar um teste de contato com um pouco de óleo essencial no antebraço (deixando por 24 horas) para ver como a pele reage, mas isso depende de cada tipo de óleo essencial, alguns só podem ser testados diluídos em óleo carreador. Por isso é importante utilizá-los sempre sob orientação profissional.

No caso da aromaterapia por inalação ou difusão, deve-se seguir as diretrizes de diluição adequadas e certificar-se de estar em uma área bem ventilada. Também é preciso avaliar o risco aos animais de estimação.

Os óleos essenciais não devem entrar em contato direto com os animais, porque eles são mais sensíveis às substâncias. Ao utilizar a aromaterapia, use pouco óleo essencial e o dilua bastante, porque os animais possuem um olfato mais aguçado que os humanos, sendo mais sensíveis a cheiros também.

Ao utilizar os óleos com animais de estimação em casa, recomenda-se as seguintes precauções:

  • Não use distribuidores se você tiver pássaros;
  • Mantenha os difusores de óleo essencial fora do alcance dos animais de estimação;
  • Não dê ou aplique óleos essenciais concentrados em seus animais de estimação;
  • Evite usar difusores de óleo essencial se seu animal de estimação tiver problemas respiratórios.

Em suma, antes de usar óleos essenciais ou difundi-los, certifique-se de usar uma combinação considerada segura para os pets. O óleo essencial de ylang-ylang, por exemplo, é significativamente tóxico para os pets, enquanto o óleo essencial de citronela pode ser usado em difusor para acalmá-los.