Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Agência Internacional de Pesquisa em Câncer (IARC) analisa e busca meios de prevenir a doença

 

Vira e mexe uma sigla de referência sempre aparece quando o assunto envolve pesquisas relacionadas ao perigo que certos itens ou substâncias trazem em termos de potenciais cancerígenos. Essa sigla é a IARC e ela representa a Agência Internacional de Pesquisa em Câncer (International Agency for Research on Cancer, da sigla em inglês).

Para entender o que é a IARC, deve-se compreender sua estrutura organizacional. Através de uma iniciativa francesa, a Alemanha Ocidental, a Itália, o Reino Unido e os Estados Unidos criaram, em maio de 1965, na décima oitava Assembleia Mundial da Saúde, a IARC, sediada em Lyon, na França. Por ser uma extensão da Organização Mundial da Saúde (OMS), ela segue as regras gerais das Nações Unidas, mas é governada por dois grupos: o Conselho Governamental e o Conselho Científico. Entenda o que são os dois órgãos:

Conselho Governamental

Composto pelos representantes dos países participantes e do diretor geral da OMS, o conselho rege a política geral e elege, a cada cinco anos, o diretor da agência. Todo ano, o Conselho Governamental se reúne uma semana antes da Assembleia Mundial da Saúde.

Conselho Científico

Selecionados pela competência técnica no campo de pesquisa em câncer, esse conselho congrega cientistas altamente qualificados, que são apontados como especialistas dos países participantes. Após o período de quatro anos, o país ao qual aquele cientista representava indicará até dois especialistas para substitui-lo.

O conselho realiza avaliações periódicas das atividades da agência, documenta atividades permanentes e prepara projetos especiais, que são submetidos ao Conselho Governamental. Anualmente, o Conselho Científico se reúne no final de janeiro ou começo de fevereiro.

Custos

Sua principal renda é a contribuição que os países participantes fornecem, mas, além disso, muitas cooperativas e agências de financiamento realizam doações, como a Comissão Europeia, o Instituto Nacional de Saúde dos EUA, o Fundo Internacional de Pesquisa em Câncer e a Fundação Bill e Melinda Gates. Além das agências e cooperativas, eles aceitam doações de pessoas físicas e instituições privadas.

Objetivo

Em 1970, o Comitê de Carcinógenos Ambientais da IARC recomendou a elaboração de uma documentação preparada por especialistas sobre agentes cancerígenos. O termo agente é utilizado porque a agência analisa os mais variados suspeitos de causar câncer, como químicos, diferentes formas de radiação e agentes físicos e biológicos.

A documentação criada tem o intuito de ser uma fonte segura a respeito das causas do câncer e meios de evitá-lo. Além disso, eles buscam auxiliar na implementação de políticas de prevenção ao câncer e no treinamento de pesquisadores em todo o mundo, dando prioridade para países de baixa e média renda em áreas de maior epidemiologia do câncer.

Classificação dos Agentes Cancerígenos

Para a classificação do agente, são realizados estudos em humanos e animais, além de serem feitas pesquisas sobre quaisquer aspectos que sejam significantes, como patologia do tumor, fatores genéticos, metabolismo e toxicologia do agente. Baseada nessas informações, a classificação é feita e o agente é alocado em um dos seguintes grupos:

  • Grupo 1: O agente é carcinogênico a humanos. Quando há evidências suficientes de que o agente é carcinogênico para humanos;
  • Grupo 2A: O agente provavelmente é carcinogênico a humanos. Quando existem evidências suficientes de que o agente é carcinogênico para animais e evidências limitadas ou insuficientes de que ele é carcinogênico para humanos;
  • Grupo 2B: O agente é possivelmente carcinogênico a humanos. Quando existem evidências limitadas de que o agente é carcinogênico para humanos e evidências insuficientes de que ele é carcinogênico para animais ou quando não há evidências suficientes em ambos os casos, mas há dados relevantes de que ele possa ser carcinogênico;
  • Grupo 3: O agente não é classificado como carcinogênico a humanos. Quando as evidências não são adequadas para afirmar que aquele agente é carcinogênico para humanos e animais ou quando o agente não se encaixa em nenhum outro grupo;
  • Grupo 4: O agente provavelmente não é carcinogênico. Quando faltam evidências de que o agente é carcinogênico para humanos ou animais.

Países Membros

Hoje a agência conta com, além dos países fundadores, a participação da Austrália, Áustria, Bélgica, Canadá, Dinamarca, Finlândia, Índia, Irlanda, Japão, Noruega, Holanda, República da Coréia, Rússia, Espanha, Suécia, Suíça e Turquia. O Brasil se tornou membro da IARC em 2013.

Curta o vídeo a seguir (em inglês) e entenda um pouco mais sobre como a agência funciona, seus objetivos, metodologia, classificação das substâncias e o exemplo de um dos casos de estudos da IARC, especificamente sobre os efeitos da radiofrequência associada ao uso de telefones celulares:


Veja Também:

Avatar do autor Equipe eCycle
Escrito por:

Equipe eCycle

Você já percebeu que tudo o que você consome deixa um rastro no planeta? Por uma pegada mais leve, conteúdos e soluções em consumo sustentável.