Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Fungos são importantes para o equilíbrio dos ecossistemas. Enquanto alguns são prejudiciais, outros podem ser benéficos para a saúde humana

Os fungos são organismos pertencentes ao reino Fungi estudados pela micologia, uma especialidade da biologia. São mais de 144 mil espécies, entre elas, leveduras, bolores e cogumelos.

Apesar de alguns se parecerem com plantas, os fungos não são plantas. Enquanto as plantas produzem seu próprio alimento por meio da fotossíntese, os fungos precisam obter seu alimento de outras fontes, sejam elas vivas ou mortas.

Ainda que não preparem seu próprio alimento, os fungos também não se movem, mas estão em quase todos lugares, incluindo o ar, os alimentos, o solo e as plantas ao nosso redor. Além disso, eles são muito importantes para o equilíbrio da natureza, pois fazem parte do ciclo de nutrientes dos ecossistemas.

Características dos fungos

Há muitas espécies de fungos com hábitos e características amplamente diversos. Ainda assim, há alguns pontos em comum entre elas.

Todos os fungos são eucariotas, assim como plantas e animais, ou seja, eles possuem células bem organizadas. O DNA é encapsulado em uma estrutura central chamada núcleo. E eles também possuem organelas que executam várias funções dedicadas, como produzir energia e transportar proteínas.

Os fungos podem ser constituídos por uma única célula. As leveduras são exemplos de fungos unicelulares. Há outras espécies que são multicelulares, com células que se unem em fileiras se assemelhando a galhos de árvores. Cada estrutura ramificada individual é chamada de hifa. Várias hifas se unem para formar o micélio, que constitui o corpo do fungo.

Nutrição

Assim como outros seres vivos, os fungos só podem crescer se tiverem comida, água e oxigênio. Em relação à alimentação, eles não realizam fotossíntese, são seres heterótrofos e precisam procurar seu alimento. Para isso, eles absorvem nutrientes de várias substâncias orgânicas ao seu redor.

Quando encontram alimentos, eles despejam suas enzimas e a digestão ocorre fora de seu corpo. Essas enzimas são secretadas das pontas das hifas e são responsáveis pela capacidade dos fungos de se desenvolverem em diversos ambientes.

Reprodução dos fungos

Os fungos podem ter reprodução sexuada ou assexuada. Nos dois processos podem ser gerados esporos, células especiais que, quando liberadas em um ambiente adequado, podem dar origem a um novo corpo fúngico.

Esses esporos podem ser transportados para novos ambientes por meio do ar ou da água. Quando os fungos apresentam reprodução assexuada, ocorre a mitose, um processo em que a célula fúngica se divide e produz cópias genéticas idênticas de si mesma.

Em fungos unicelulares, esse processo também é chamado de brotamento, pois um pequeno ramo ou botão emerge da célula-mãe, crescendo lentamente.

A reprodução sexual produz esporos por meiose. Nesse caso, esporos são liberados, germinam em micélios semelhantes a árvores e estão prontos para o “acasalamento”. Um micélio entra em contato com o outro e, então, os dois formam um micélio secundário.

Tipos de fungos

Geralmente, os fungos são classificados em quatro grupos:

  • Chytridiomycota (quitrídeos);
  • Zygomycota (bolores de pão e mofo);
  • Ascomycota (leveduras);
  • Basidiomycota (cogumelos comestíveis, como o champignon, e decompositores como os orelhas-de-pau).

Os fungos também podem ser classificados de acordo com suas fontes de alimentos. Aqueles que se alimentam de organismos mortos, ajudando na decomposição, são chamados de saprófitos.

Os organismos que obtêm o sustento através de um hospedeiro vivo, mas sem prejudicá-lo, são chamados de simbiontes ou mutualistas, por exemplo, os liquens. Se os fungos se alimentam de um hospedeiro e o prejudicam, pode ser chamado de parasita.

Exemplos de fungos

Leveduras

Leveduras são fungos que podem viver como unicelulares ou em uma forma multicelular com hifas. Elas são encontradas em uma variedade de ambientes, inclusive vivendo dentro e sobre plantas e animais.

As leveduras são capazes de metabolizar carboidratos em álcool e dióxido de carbono. Por isso, são usadas para criar certos alimentos. A fermentação de carboidratos por leveduras é utilizada, por exemplo, para os pães, cerveja e vinho.

Bolores

Os bolores pertencem ao grupo de organismos chamados zigomicetos. Eles crescem rápido e são responsáveis pela deterioração de muitos alimentos, como pães, frutas e produtos lácteos. As hifas desses fungos se espalham por uma fonte de alimento e penetram na comida, absorvendo os nutrientes.

Líquens

Um líquen é formado por uma relação entre um fungo e muitos organismos fotossintéticos, isto é, uma relação simbiótica, caracterizada por acontecer entre indivíduos de diferentes espécies.

Micorrizas

As micorrizas são fungos que vivem em estreita associação com as raízes das plantas e as ajudam a absorver mais nutrientes. As hifas desses fungos crescem até as raízes das plantas e se ramificam em uma rede extremamente fina de hifas que são capazes de absorver mais nutrientes para seu volume.

Estima-se que mais de 90% das espécies de plantas tenham relação com micorrizas. Se houver falta dessas populações de fungos no solo, muitas plantas podem ter dificuldade de sobrevivência.

Doenças causadas por fungos

Alguns fungos podem causar doenças. Normalmente, ações como andar descalço, compartilhar objetos pessoais e enxugar a pele inadequadamente podem favorecer o desenvolvimento dos fungos na pele. Essas são algumas doenças fúngicas:

Micose

A micose é uma infecção fúngica da pele que pode afetar o couro cabeludo, pés, virilha, barba, braços, costas e outras áreas. Ela pode ser causada por três tipos de fungos chamados de trichophyton, microsporum e epidermophyton.

É possível que esses fungos possam viver por um período prolongado como esporos no solo e humanos e animais podem contrair micose após contato direto com esse solo. O tratamento pode envolver medicamentos tópicos ou orais.

Candidíase

A candidíase é uma infecção causada pela proliferação exagerada do fungo Candida albicans. Esse fungo existe naturalmente no corpo humano em pequenas quantidades e auxilia na absorção de nutrientes e na digestão.

Quando a Candida se reproduz de modo descontrolado, os sintomas típicos da candidíase podem aparecer, especialmente em pessoas com o sistema imunológico fraco, que são mais sensíveis a alterações no organismo. Normalmente, o tratamento é feito com o uso de remédios, pomadas ou solução e uma dieta adaptada.

Histoplasmose

Essa é uma doença fúngica que atinge principalmente o pulmão. Ela é causada pelo fungo Histoplasma capsulatum encontrado nas fezes de morcegos e pássaros. Geralmente é transmitida por inalação de esporos do fungo presentes no ar. Em casos graves, o tratamento envolve medicamentos antifúngicos.

Fungo comestível

As espécies de fungos são amplamente variadas. Enquanto alguns fungos podem ser prejudiciais, há outros que são comestíveis e inclusive benéficos à saúde.

Alguns cogumelos são fungos comestíveis ricos em nutrientes, proteínas, vitaminas e minerais importantes, como vitamina C, vitamina B6, magnésio, fósforo, potássio, cobre, folato e zinco. Alguns deles são:

  • Shitake;
  • Portobello;
  • Enoki;
  • Shimeji;
  • Paris;
  • Porcini;
  • Trufa.

Importância dos fungos

Assim como outros diversos seres vivos, os fungos são fundamentais para o equilíbrio de ecossistemas. Eles auxiliam no crescimento e saúde das árvores, atuam na decomposição, podem ser usados como biopesticidas, fazem parte do processo de compostagem, atuam como fonte de alimentos e dão origem a outros produtos alimentícios.

Além disso, diversas descobertas científicas foram feitas usando os fungos. Segundo estudiosos, os micélios podem salvar o mundo. De acordo com a ONU, alguns fungos podem ajudar até mesmo no combate à poluição por plásticos.

Confira um breve vídeo sobre a diversidade dos fungos:



Veja também:

Avatar do autor Joana Coelho
Escrito por:
Joana Coelho