Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Abre-caminho é uma planta medicinal utilizada para tratar diversas condições de saúde e em rituais religiosos. Confira

Abre-caminho (Justicia gendarussa Burm.) é uma erva, também conhecida como quebra-demandavence-tudo e vence-demanda, de origem asiática, muito comum na Índia e no Leste da Ásia. Na medicina popular, é utilizada como auxiliar no tratamento da artrite e como anticoncepcional masculino, além de ter potencial anti-inflamatório e analgésico natural.

Facilmente encontrada no Brasil, a planta pode ser cultivada em casa, exigindo cuidados básicos. O arbusto pode crescer até 1,5 m, com regas a cada dois dias. Adapta-se melhor à sombra, recebendo luz solar indireta. Algumas religiões, como a umbanda, acreditam que a planta oferece proteção e abertura de caminhos para a sorte e a prosperidade – daí o nome “abre-caminho”.

Propriedades medicinais

A abre-caminho é utilizada em diversos países como medicamento natural para várias doenças, como bronquite, inflamações, secreções vaginais, dispepsia, doenças oculares e febre, ente outras. De acordo com estudos, suas folhas contêm antioxidantes como alcaloides, flavonoides e saponinas, além de aminoálcoois de cadeia longa, que apresentam efeitos biológicos interessantes, como ação imunossupressora, anti-inflamatória e citotóxica.

Um extrato das folhas ou brotos jovens é usado no tratamento de tosse e asma nas Filipinas, enquanto as folhas frescas são aplicadas como medicamento tópico para curar edema de beribéri e reumatismo. Além disso, uma decocção das folhas é usada para o banho durante o parto.

Na Malásia, as folhas são muito utilizadas para tratar dores de cabeça e musculares, bem como em loções para inchaços e reumatismo. As raízes auxiliam no no tratamento de aftas e tosse. As folhas também são utilizadas em preparações para o tratamento de gonorreia, amenorreia e malária.

Na Indonésia, as folhas são usadas para tratar dores de cabeça, reumatismo e dores. No Vietnã, são aplicadas na pele para tratar artrite reumática e inchaços. Na Tailândia, as raízes são usadas contra diurese, diarreia e como antiveneno; a casca é utilizada como diurético e no tratamento de feridas, picada de mosquito e alergias.

Vários usos medicinais da abre-caminho são registrados na Índia e na China: as raízes são usadas para tratar reumatismo, disúria, febre, carbúnculos, icterícia e diarreia; já as folhas tratam amenorreia, inchaços, tosse, asma, cólicas, eczema, cefaleia, hemiplegia, paralisia facial e dor de ouvido.

Usos em rituais religiosos são relatados na Indonésia, Malásia e Filipinas, bem como aqui no Brasil. A abre-caminho é cultivada como planta ornamental e é frequentemente usada como cercas vivas.

Pesquisas estudam uso da planta abre-caminho no combate ao HIV

Em 2017, uma pesquisa publicada no Journal of Natural Products encontrou um composto vegetal que pode ser mais eficaz na inibição da propagação do vírus HIV. Embora ainda não haja cura para o HIV, o composto químico, chamado “patentiflorina A”, derivado da planta abre-caminho, pode retardar significativamente a progressão do vírus.

Na pesquisa, a patentiflorina A foi capaz de inibir a ação da transcriptase reversa de maneira muito mais eficaz do que o AZT (zidovudina), fármaco ainda utilizado no tratamento contra AIDS. Mais estudos estão sendo desenvolvidos para determinar se a patentiflorina A pode representar, de fato, um novo agente anti-HIV para ser adicionado aos coquetéis de drogas contra o vírus.