Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

A arruda tem efeito anti-inflamatório e contraceptivo, mas a alta dosagem da planta ou de seu chá podem ser perigosas. Entenda

A arruda, cientificamente chamada de Ruta graveolens, é uma planta da família das Rutáceas cultivada em diversas partes do mundo. Na medicina popular, é indicada para impulsionar a menstruação e promover o aborto.

Esses efeitos se devem à sua capacidade de causar fortes contrações uterinas, que podem provocar hemorragias, e, em altas concentrações, até a morte da mulher.

Entretanto, em pequenas proporções e usada de outras formas, a arruda pode apresentar propriedades benéficas.

Consumo faz bem, mas exige cuidados

Segundo a nutricionista especialista em fitoterapia na gestação, Laís Amigo:

A arruda deve ser usada de forma prudente e comedida, sendo contraindicada para gestantes ou casais que desejam engravidar. Isso porque ela é rica em alcaloides rutamina, graveolina e furoquinolina, compostos que apresentam atividade espasmolítica sobre os músculos lisos, podendo causar contrações associadas ao parto prematuro, efeito inibitório sobre a espermatogênese e efeito abortivo em mamíferos.

Apesar de ser contraindicada para mulheres grávidas, a nutricionista Laís aponta que a erva é rica em bioflavonoides com propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias, com ação positiva na circulação sanguínea e na prevenção de coágulos sanguíneos, uma vez que ajuda a fortalecer e aumentar a flexibilidade dos vasos sanguíneos.

A profissional destaca que o consumo frequente da arruda ajuda a diminuir a permeabilidade dos capilares, aumentando a sua resistência e melhorando a circulação em todas as afecções vasculares.

Em altas doses, a planta ajuda na reabsorção de edemas linfáticos, o que significa que a arruda ajuda a tratar os sintomas de inchaço nos braços ou pernas, geralmente acompanhado por dor ou desconforto.

Para que serve a arruda?

Herbicida natural

Um estudo publicado pela revista Elsevier mostrou que a arruda tem potencial para ser utilizada como um herbicida natural, isto é, uma substância que tem a propriedade de inibir o crescimento de outras plantas.

Na agricultura, por exemplo, às vezes é necessário impedir o crescimento de outras plantas para que o cultivo do qual desejamos usufruir os benefícios se desenvolva. O problema é que os herbicidas sintéticos convencionais, como o glifosato, podem ser fatais não apenas para outras plantas, mas também para humanos e animais.

Nesse sentido, o extrato da arruda pode ser uma opção natural e menos prejudicial de herbicida. Entretanto, para afirmar com certeza que a arruda é eficaz e menos prejudicial à saúde humana e do meio ambiente, são necessários mais estudos.

Fungicida

Um estudo publicado pelo Journal of Agricultural and Food Chemistry avaliou o potencial fungicida do extrato das folhas de arruda. A pesquisa concluiu que alguns compostos presentes no extrato da folha de arruda apresentaram atividades antifúngicas contra algumas espécies de fungos, como Colletotrichum, C. acutatum, Fusarium oxysporum, Botrytis cinerea e Phomopsis.

Efeitos anti-inflamatórios

A Revista Africana de Biotecnologia publicou um estudo em que foram testados os efeitos anti-inflamatórios de extratos de arruda. A análise testou em ratos e comparou os efeitos da arruda com os efeitos de uma droga anti-inflamatória conhecida, o Voveran.

De acordo com o estudo, a administração de 50 mg de extrato metanólico de arruda por quilo corporal proporcionou efeitos anti-inflamatórios mais significativos do que a administração de Voveran. Entretanto, vale ressaltar que o estudo foi feito com ratos e ingerir arruda de maneira caseira sem saber as concentrações seguras pode ser uma má ideia.

Outro estudo publicado pela revista Science Direct mostrou que o extrato de arruda tem a capacidade de frear a produção de óxido nítrico e prostaglandinas, substâncias pró-inflamatórias. Isso significa que esse segundo estudo também concluiu que a arruda possui efeitos inibitórios de inflamação.

Atividade antimicrobiana

Um estudo publicado pela revista Elsevier mostrou que o extrato de arruda apresenta efeitos antimicrobianos contra as bactérias Staphylococcus aureus, Streptococcus pyogenes, Listeria monocytogenes e Bacillus subtilis.

Efeitos contraceptivos

Uma pesquisa publicada pela revista Thieme chegou à conclusão de que o extrato de arruda apresenta atividade contraceptiva significativa, pelo menos em ratos.

Cobaias de ratos que ingeriram de extratos de arruda de um a dez dias após o coito mostraram que a planta é capaz de atuar como um contraceptivo no início da gestação. Apesar dos resultados da pesquisa, é importante ressaltar que altas doses da planta podem ser perigosas.

Se a camisinha estourou, ou você esqueceu de usar seu método anticoncepcional, você pode considerar tomar anticoncepcionais de emergência. É importante observar que essas combinações hormonais não são um método anticoncepcional seguro para uso regular, mas podem prevenir a gravidez em caso de emergência.

Existem dois tipos: levonorgestrel (marcas: Plan B e Next Choice) e acetato de ulipristal (marca: Ella). São pílulas compostas por hormônios que evitam que um óvulo se implante no revestimento uterino. Mas devem ser tomadas imediatamente após o coito ou algumas horas depois. Quanto mais perto do momento do coito, maior a chance de agir.

Propriedades anti-tumorais

Um estudo publicado pelo Asian Pacific Journal of Cancer Prevention chegou à conclusão de que o extrato de arruda diminuiu determinados tipos de células tumorais de animais cobaias, alongando o seu tempo de vida.

Chá de arruda

Popularmente, o chá de arruda tem sido usado para fazer descer a menstruação, acalmar e até mesmo promover o aborto. Neste último caso, o chá de arruda é muitas vezes misturado com pinga.

Entretanto, além da prática do aborto ser proibida no Brasil, a ingestão de chá de arruda, dependendo da proporção, pode ser perigosa para a saúde, já que pode provocar hemorragia intensa, tremores, gastroenterites, convulsões, vômito, dor abdominal, salivação e fotossensibilidade.

Como fazer chá de arruda

A nutricionista Laís recomenda fazer a infusão quente de duas a três gramas de folhas secas de arruda em um litro de água e ingerir até duas xícaras por dia.

Ela ainda aconselha que, assim como todo tipo de chá, o chá de arruda seja ingerido longe das principais refeições, para que seus compostos não prejudiquem a absorção dos nutrientes dos alimentos.