O que é frutose?

eCycle

A frutose tem sido associada ao aumento de problemas de saúde como obesidade, colesterol alto e diabetes

Frutose
Imagem: de Guilherme Martins, está disponível no PxHere

A frutose ou "açúcar de fruta" é um importante monossacarídeo, assim como a glicose. Ela é naturalmente encontrada em frutas, no mel, no agave e na maioria dos vegetais de raiz. Além disso, é comumente adicionada a alimentos processados ​​na forma de xarope de milho ou xarope de frutose.

Seu nome é originário da palavra latina fructus, já que as frutas são uma importante fonte de frutose. Por estar presente em frutas e vegetais, ela é ingerida regularmente. A frutose também é sintetizada no organismo a partir da glicose, via sorbitol, e esse processo se relaciona com a manutenção do equilíbrio óxido-redutivo.

Apesar de ser muito utilizada pela indústria como um adoçante artificial para substituir o açúcar comum, a frutose tem sido ligada ao aumento de problemas de saúde como obesidade, colesterol alto e diabetes, tornando-se um importante objeto de estudo da atualidade.

Alimentos ricos em frutose

A frutose está naturalmente presente em alimentos como frutas, beterraba, cenoura, e até na ervilha e no feijão, não causando problemas para a saúde. No entanto, os alimentos industrializados e ricos em frutose devem ser evitados. Refrigerante, suco de caixinha ou em pó, molho industrializado, caramelo, mel artificial, chocolate, bolo, pudim, fast food, alguns tipos de pão, salsicha e presuntos são alguns exemplos de itens com alta taxa de frutose e que merecem ser excluídos da dieta.

Além disso, é preciso estar atento aos rótulos e evitar o consumo excessivo de alimentos ultraprocessados que contenham frutose, xarope de frutose ou xarope de milho em sua composição.

A frutose presente nas frutas não faz mal

Os efeitos nocivos da frutose se aplicam à pessoas que possuem uma dieta baseada em alimentos industrializados e ultraprocessados que contém esse carboidrato. Isso não se aplica aos açúcares naturais encontrados em frutas e vegetais.

Apesar de serem ricas em frutose, as frutas não trazem malefícios para a saúde porque contêm baixas concentrações desse açúcar e são ricas em fibras, o que ajuda a controlar o efeito de ganho de peso que o açúcar causa. Além disso, elas são ricas em vitaminas, minerais e antioxidantes, elementos que atuam na regulação do metabolismo e evitam os efeitos ruins que o açúcar pode causar.

Dessa maneira, uma dica é consumir as frutas sempre com casca e com bagaço, quando possível, preferindo também o consumo de sucos naturais sem adição de açúcar e sem coar, para que as fibras não sejam perdidas. Além disso, é importante dar preferência para o consumo de alimentos orgânicos, já que os não orgânicos podem conter agrotóxicos.

Por que a frutose presente em alimentos industrializados faz mal?

A glicose e a frutose são metabolizadas de maneira muito distinta pelo corpo. Embora todas as células do corpo possam usar glicose, o fígado é o único órgão que pode metabolizar a frutose em quantidades significativas. Quando as pessoas possuem uma dieta rica em calorias e frutose, o fígado fica sobrecarregado e começa a transformar a frutose em gordura.

Muitos pesquisadores acreditam que o consumo excessivo de alimentos industrializados que contém frutose pode ser um fator chave para muitas das doenças da atualidade. Isso inclui obesidade, diabetes tipo 2, doenças cardíacas e até câncer. Porém, são necessários mais estudos para que essas evidências sejam confirmadas em humanos.

Os efeitos nocivos do excesso de frutose

Embora o excesso de frutose presente em alimentos ultraprocessados seja prejudicial à saúde, seus efeitos são controversos. No entanto, há um corpo considerável de evidências que justificam as preocupações. Comer muita frutose na forma de açúcares adicionados pode:

  • Prejudicar a composição dos lipídios do sangue. A frutose presente em alimentos industrializados pode aumentar os níveis de colesterol VLDL, levando ao acúmulo de gordura ao redor dos órgãos e, potencialmente, doenças cardíacas;
  • Aumentar os níveis de ácido úrico no sangue, levando à gota e pressão alta;
  • Causar deposição de gordura no fígado, podendo levar à doença hepática gordurosa não alcoólica;
  • Provocar resistência à insulina, que pode levar à obesidade e diabetes tipo 2;
  • Gerar resistência à leptina, perturbando a regulação da gordura corporal e contribuindo para a obesidade.

Para comprovar todos esses efeitos, são necessários mais estudos sobre a frutose presente em alimentos industrializados.



Veja também:

 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail

Utilizamos cookies para oferecer uma melhor experiência de navegação. Ao navegar pelo site você concorda com o uso dos mesmos. Saiba mais ×