Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Gordura no fígado não apresenta sintomas, mas pode apresentar sinais como olhos amarelados e  dor abdominal

A gordura não é necessariamente prejudicial ao organismo humano, mas seu excesso pode causar diversas condições e enfermidades. Entre elas, está a esteatose hepática, popularmente chamada de “gordura no fígado“. Entenda quais são os sinais de gordura no fígado e previna-se de quadros mais graves, como a cirrose.

O que é esteatose hepática?

Esteatose hepática, ou gordura no fígado, é um distúrbio caracterizado pelo acúmulo de gordura nas células do fígado. De modo geral, ela pode ser dividida em dois tipos: doença gordurosa alcoólica do fígado e doença gordurosa não alcoólica do fígado. O primeiro descreve uma condição decorrente do abuso do consumo de álcool. enquanto o segundo caracteriza uma condição que ocorre quando não existe histórico de ingestão significativa de álcool.

Causas

A gordura no fígado se desenvolve quando o corpo cria muita gordura ou não consegue metabolizá-la na velocidade necessária. O excesso de gordura é armazenado nas células do fígado, onde se acumula. As causas mais comuns da presença de gordura no fígado incluem:

  • Obesidade;
  • Diabetes;
  • Predisposição genética;
  • Perda de peso rápida;
  • Efeito colateral do uso de medicações como aspirina, esteroides, tamoxifeno e tetraciclina.

Quais são os sintomas de gordura no fígado?

Na maioria dos casos, a gordura no fígado não causa sintomas perceptíveis. Mas você pode sentir cansaço e desconforto no lado superior direito do abdômen.

No entanto, algumas pessoas com gordura no fígado desenvolvem complicações, incluindo cicatrizes hepáticas. A cicatriz hepática é conhecida como fibrose hepática. Se você desenvolver fibrose hepática grave, está com cirrose. A cirrose pode causar sintomas como:

  • Perda de apetite;
  • Perda de peso;
  • Fraqueza;
  • Fadiga;
  • Hemorragias nasais;
  • Comichão na pele;
  • Pele e olhos amarelos;
  • Aglomerados de vasos sanguíneos em forma de teia sob a pele;
  • Dor abdominal;
  • Inchaço abdominal;
  • Inchaço das pernas;
  • Aumento de mama em homens;
  • Confusão.

Diagnóstico

Nas fases iniciais, a gordura no fígado pode ser diagnosticada a partir de exames de rotina. Nos exames de sangue, ela pode aparecer como uma quantidade maior que o normal de enzimas no fígado, que leva o médico a pedir um teste mais compreensivo. No ultrassom, a gordura no fígado aparece na imagem como uma área branca.

Tratamento

O tratamento para a gordura no fígado depende da causa do acúmulo de gordura. De modo geral, limitar o consumo de bebidas alcoólicas, praticar exercícios físicos e ter uma dieta saudável que inclua frutas, vegetais, alimentos integrais e menos carne vermelha processada pode ajudar (mudanças no estilo de vida).

No entanto, procure um profissional de saúde para saber qual é o melhor tratamento para o seu caso.

Prevenção

A melhor maneira de se prevenir da gordura no fígado é proteger o seu fígado e tentar evitar suas causas. Para isso, procure manter uma alimentação saudável, praticar atividade física, ficar de olho no colesterol e evitar consumir bebidas alcoólicas (se for beber, que seja com moderação).

No caso do consumo de álcool, apesar de seu índice variar de acordo com o país, a Organização Mundial da Saúde (OMS) aconselha o consumo de até duas doses por dia – um copo de chope tem 300 ml, um copo de vinho tem 100 ml e um copo de destilado tem 30 ml.

Veja um vídeo em português sobre a condição que leva ao aparecimento de gordura no fígado