Probióticos para diarreia: benefícios, tipos e efeitos colaterais

eCycle

Os probióticos para diarreia são micro-organismos que podem ser benéficos para a saúde

probióticos para a diarreia
Imagem editada e redimensionada de Paweł Czerwiński, está disponível no Unsplash

Os probióticos para diarreia são micro-organismos que demonstraram oferecer uma ampla gama de benefícios à saúde.

Além de serem encontrados em suplementos e em certos alimentos, como o chucrute, os probióticos vivem naturalmente no intestino. Lá, eles desempenham vários papéis importantes, como manter a saúde imunológica, protegendo o organismo contra infecções e doenças (confira aqui estudo a respeito: 1).

As bactérias do intestino podem ser afetadas tanto negativa quanto positivamente por vários fatores, incluindo dieta, estresse e uso de medicamentos.

Quando a composição das bactérias intestinais se desequilibra e a população normal de probióticos é interrompida, pode levar a efeitos negativos à saúde, como aumento do risco de doenças como a síndrome do intestino irritável (SII) e sintomas digestivos como diarreia (confira aqui estudos a respeito: 3, 4).

A Organização Mundial da Saúde define diarreia como "três ou mais fezes moles ou aquosas em um período de 24 horas". A diarreia aguda dura menos de 14 dias, enquanto a diarreia persistente dura 14 dias ou mais (confira aqui estudo a respeito: 5).

A suplementação com probióticos pode ajudar a prevenir e tratar certos tipos de diarreia, repovoando com bactérias intestinais benéficas e corrigindo o desequilíbrio.

Os probióticos combatem bactérias patogênicas, competindo por nutrientes, estimulando o sistema imunológico e alterando o ambiente intestinal para torná-lo menos propício à atividade patogênica (confira aqui estudos a respeito: 5).

Tipos de diarreia e probióticos

A diarreia pode ser causada por infecções bacterianas ou virais, uso de medicamentos ou exposição a diferentes microrganismos durante viagens.

Diarreia infecciosa

A diarreia infecciosa é causada por um agente infeccioso, como bactérias ou parasitas. Sabe-se que mais de 20 bactérias, vírus e parasitas diferentes causam diarreia infecciosa, incluindo Rotavírus, E. coli e Salmonella (confira aqui estudo a respeito: 5).

Esse tipo de diarreia é mais comum em países em desenvolvimento, e pode levar à morte se não for tratada. O tratamento inclui prevenir a desidratação e a duração da diarreia.

Uma revisão de 63 estudos em 8.014 pessoas concluiu que os probióticos reduziram com segurança a duração da diarreia e da frequência das fezes em adultos e crianças com diarreia infecciosa (confira aqui estudo a respeito: 5).

Em média, os grupos tratados com probióticos apresentaram diarreia por quase 25 horas a menos que os grupos controle (confira aqui estudo a respeito: 5).

Diarreia causada por antibióticos

A diarreia é um efeito colateral comum do antibiótico, pois ele afeta a microbiota intestinal como um todo, não apenas as bactérias patógenas.

Tomar probióticos pode ajudar a prevenir a diarreia associada ao uso de antibióticos, repovoando com o intestino com bactérias benéficas.

Uma revisão de 17 estudos em 3.631 pessoas demonstrou que a diarreia associada a ingestão de antibióticos foi significativamente mais prevalente naqueles que não estavam suplementando probióticos.

De fato, quase 18% das pessoas nos grupos controle tiveram diarreia associada a antibióticos, enquanto apenas 8% das pessoas nos grupos tratados com probióticos foram afetadas (confira aqui estudo a respeito: 6).

Estudos concluíram que os probióticos - particularmente as espécies Lactobacillus rhamnosus GG e Saccharomyces boulardii - podem reduzir o risco de diarreia associada a antibióticos em até 51% (confira aqui uma revisão de estudos a respeito: 6).

Diarreia do viajante

Viajar expõe você a muitos tipos de micro-organismos que normalmente não são introduzidos no seu sistema, o que pode causar diarreia.

A diarreia do viajante é definida como “a passagem de três ou mais fezes não formadas por dia” com pelo menos um sintoma relacionado, como cãibras ou dor abdominal, ocorrendo em um viajante após a chegada ao seu destino. Ela afeta 20 milhões de pessoas anualmente (confira aqui estudos a respeito: 7, 8).

Uma revisão de 11 estudos constatou que o tratamento preventivo com suplementos probióticos reduziu significativamente a ocorrência de diarreia do viajante (confira aqui estudo a respeito: 9).

Outra revisão de 2019 de 12 estudos mostrou que apenas o tratamento com o probiótico Saccharomyces boulardii resultou em reduções significativas de até 21% na diarreia do viajante (confira aqui estudo a respeito: 8).

Diarreia em bebês e crianças

A enterocolite necrosante é uma doença do intestino que ocorre quase exclusivamente em lactentes. Essa doença é caracterizada pela inflamação intestinal que leva a um crescimento excessivo de bactérias, que danificam seriamente as células do intestino e do cólon (confira aqui estudo a respeito: 10). É uma condição grave, com uma taxa de mortalidade de até 50% (confira aqui estudo a respeito: 10).

Um dos sintomas é diarreia grave. Antibióticos são frequentemente usados ​​para tratar esta doença, o que pode levar à diarreia associada a antibióticos, podendo piorar a condição do paciente.

Além disso, alguns especialistas sugerem que o tratamento com antibióticos pode ser um fator que causa a enterocolite necrosante (confira aqui estudo a respeito: 11).

Estudos demonstraram que os probióticos podem ajudar a reduzir o risco de enterocolite necrosante e mortalidade em prematuros (confira aqui estudo a respeito: 12).

Uma revisão de 42 estudos que incluíram mais de 5.000 crianças menores de 37 semanas descobriu que o uso de probióticos reduziu a incidência de enterocolite necrosante e demonstrou que o tratamento com probióticos levou a uma diminuição na mortalidade infantil geral (confira aqui estudo a respeito: 13).

Além disso, outra revisão concluiu que o tratamento com probiótico estava associado a taxas mais baixas de diarreia associada a antibióticos em pessoas de um mês a 18 anos (confira aqui estudo a respeito: 14).

Outros estudos descobriram que certas cepas de probióticos, incluindo Lactobacillus rhamnosus GG, também podem tratar a diarreia infecciosa em crianças (confira aqui estudo a respeito: 15).

Melhores tipos de probióticos para diarreia

Existem centenas de tipos de probióticos, mas algumas pesquisas mostraram que a suplementação com certos tipos é mais benéfica no combate à diarreia.

De acordo com descobertas científicas, os seguintes tipos são as cepas probióticas mais eficazes para o tratamento da diarreia:

  • Lactobacillus rhamnosus GG (LGG): está entre as cepas mais comumente suplementadas. A pesquisa mostra que o LGG é um dos probióticos mais eficazes no tratamento da diarreia em adultos e crianças (6, 16).
  • Saccharomyces boulardii: S. boulardii é uma cepa benéfica de levedura que é comumente usada em suplementos probióticos. Foi demonstrado que trata a diarreia infecciosa e associada a antibióticos (6, 17).
  • Bifidobacterium lactis: este probiótico possui qualidades estimulantes do sistema imunológico e protetor do intestino e pode reduzir significativamente a gravidade e a frequência da diarreia em crianças (18).
  • Lactobacillus casei: L. casei é outra cepa probiótica que foi estudada por seus benefícios antidiarreicos. Alguns estudos sugerem que ele trata diarreia infecciosa e associada a antibióticos em crianças e adultos (19, 20).

Embora outros tipos de probiótico possam ajudar a tratar a diarreia, as cepas listadas acima têm mais pesquisas que apoiam seu uso para essa condição específica.

Os probióticos são medidos em unidades formadoras de colônias (UFC), que indicam o número de bactérias benéficas concentradas em cada dose. A maioria dos suplementos probióticos contém entre 1 e 10 bilhões de UFC por dose.

No entanto, alguns suplementos probióticos são embalados com mais de 100 bilhões de UFC por dose.

Embora seja essencial escolher um suplemento probiótico com uma alta UFC, as cepas incluídas no suplemento e na qualidade do produto são igualmente importantes (confira aqui estudo a respeito: 21).

Dado que a qualidade e a UFC de suplementos probióticos podem variar bastante, é uma boa ideia trabalhar com um profissional de saúde qualificado para escolher o probiótico e a dose mais eficazes.

Possíveis efeitos colaterais relacionados ao uso de probióticos

Embora os probióticos sejam geralmente considerados seguros para crianças e adultos e os efeitos colaterais graves sejam raros em pessoas saudáveis, alguns efeitos adversos potenciais podem ocorrer em determinadas populações.

As pessoas vulneráveis ​​a infecções, incluindo indivíduos em recuperação de cirurgia, bebês gravemente enfermos e aqueles que têm cateteres residentes ou estão cronicamente doentes, correm maior risco de sofrer reações adversas após tomar probióticos (confira aqui estudo a respeito: 22).

Os probióticos podem causar infecções sistêmicas graves, diarreia, estimulação excessiva do sistema imunológico, cólicas abdominais e náusea em indivíduos imunocomprometidos (confira aqui estudo a respeito: 23).

Efeitos colaterais menos graves relacionados ao uso de probióticos também podem ocasionalmente ocorrer em pessoas saudáveis, incluindo inchaço, gases, soluços, erupções cutâneas e constipação (confira aqui estudo a respeito: 24).

Embora os probióticos sejam geralmente considerados seguros para a maioria das pessoas, é sempre uma boa ideia procurar ajuda médica antes de adicionar qualquer suplemento à dieta.



Veja também:

 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail

Utilizamos cookies para oferecer uma melhor experiência de navegação. Ao navegar pelo site você concorda com o uso dos mesmos. Saiba mais ×