Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Aprenda o que causa o soluço, quais os diferentes tipos e conheça opções de remédio para soluço que realmente funcionam

Se preferir, vá direto ao ponto Esconder

O soluço é um espasmo muito desagradável que todo mundo já sentiu alguma vez na vida. Ele é causado pelo fechamento da glote (responsável pela passagem de ar para o pulmão) acompanhado de uma contração involuntária do diafragma, músculo que separa o tórax do abdômen. Apesar de parecer algo bastante complexo, o soluço costuma ser muito momentâneo: da mesma forma que vem, vai embora.

Pouco se sabe a respeito das causas desses espasmos. Quando se trata de um soluço normal, os motivos podem estar ligados à alimentação feita rapidamente e em grande quantidade ou à ingestão de bebidas com gás. Alguns estudos também apontam que mudanças bruscas na temperatura, tabagismo, álcool, ansiedade e estresse são possíveis causas para o distúrbio. Quando as crises de soluço são mais insistentes, os tratamentos são mais complexos.

Os tipos de soluço se dividem em duas principais categorias: os episódicos e os persistentes. Como os nomes indicam, o primeiro é um soluço “normal”, resultante dos fatores citados no parágrafo anterior. Já o segundo costuma ser consequente de alguma patologia. Diferentemente do episódico, ele pode durar dias. O médico-cirurgião do Hospital Albert Einstein, doutor Sidney Klajner, diz que “pouco se sabe sobre a incidência de soluços persistentes. Apenas alguns estudos demonstraram que mais de 200 casos apresentavam-se boa parte em idosos do sexo masculino e com doenças associadas”.

Afinal, existe remédio para soluço?

soluço episódico pode ser tratado até mesmo em casa. Algumas daquelas simpatias passadas de geração para geração não são tão errôneas como se pensa. Saiba como acabar com o soluço usando algumas técnicas caseiras que funcionam como remédio para soluço:

  1. Engolir uma colher de açúcar: Ao fazer isso, você estará sobrecarregando um dos nervos da boca com uma sensação doce, que “distrairá” o cérebro com outras reações (não use essa opção se for diabético!);
  2. Levar um susto: Ao levar um susto, o organismo libera adrenalina, que faz com que o nervo frênico volte ao normal e interrompa o soluço;
  3. Prender a respiração: quando se prende a respiração, o gás carbônico fica acumulado, chegando a um nível que faz o nervo frênico voltar ao trabalho (isso também ocorre ao respirar em um saco de papel);
  4. Cheirar pimenta: o cheiro fará com que o organismo sinta a necessidade de espirrar e fará o soluço cessar;
  5. Coloque os joelhos dobrados contra o peito: isso alivia a pressão dentro do estômago – puxar a língua para provocar vômitos pode ter o mesmo efeito (apesar de ser bem desagradável);
  6. Beber ou gargarejar água: acalma e distrai o nervo frênico com uma nova atividade.

No caso de soluços persistentes, o doutor Klajner diz que não há muito a fazer, a não ser reparar nas doenças que podem ser a fonte. “Não há estudos completos e minuciosos a respeito do tratamento do soluço persistentes, apenas estudos observacionais. Caso seja encontrada alguma doença relacionada, o tratamento, então, deve ser direcionado àquela doença”.