Açúcar mascavo: benefícios e cuidados ao consumir

eCycle

Por mais benefícios que possa trazer, açúcar mascavo deve ser consumido com moderação

Açúcar mascavo e melado devem ser consumidos com moderação
Imagem: Wikimedia Commons / CC0

O açúcar extraído da cana-de-açúcar (nome cientifico Saccharum officinarum L.) é um importante ingrediente, muito utilizado na indústria e nas residências. Originário da Nova Guiné, o açúcar foi um produto muito caro e desejado do século XI até o século XVII, a ponto de ser mencionado como patrimônio em testamentos de reis e nobres. No Brasil, a cana-de-açúcar chega junto com a colonização portuguesa, por volta do ano de 1530, com a construção do primeiro engenho de açúcar, e domina o cenário econômico por quatro séculos.

O açúcar mascavo foi, até o século XIX, o principal derivado da cana-de-açúcar. No século XX, a produção desse tipo de açúcar declinou, sendo substituída lentamente pelo açúcar branco, cristal ou refinado. Entretanto, a partir da década de 90, a demanda por açúcar mascavo ressurgiu e a sua produção voltou a crescer.

Fabricação e propriedades do açúcar mascavo

O processo de fabricação de açúcar visa a extração do caldo contido na cana, uma vez que o açúcar já está formado na matriz do vegetal. Seu preparo e concentração resultam em vários tipos de açúcares comerciais: açúcar refinado granulado, açúcar cristal, açúcar demerara, açúcar branco (tipo exportação), açúcar mascavo, açúcar orgânico, açúcar refinado amorfo, açúcar very high polarization (VHP), açúcar de confeiteiro, açúcar light, açúcar colorido, xarope de açúcar invertido e xarope simples ou açúcar líquido. A partir da cana-de-açúcar também é possível obter outros produtos como o melado, rapadura, álcool e o bagaço (utilizado como combustível das caldeiras na própria usina de açúcar e álcool).

Quimicamente falando, os açúcares são carboidratos presentes em toda a natureza, sendo que existe um equívoco quando utilizamos o termo “açúcar”, pois ele não se refere apenas ao “ingrediente açúcar” que compramos no supermercado, mas também a varias outras moléculas presentes nos seres vivos e em alimentos, como, por exemplo, o amido e a lactose. Em relação ao “ingrediente açúcar”, ele é composto por moléculas de sacarose, um dissacarídeo. Os dissacarídeos são moléculas formadas por duas moléculas básicas de monossacarídeos - no caso da sacarose, os monossacarídeos que a constituem são a frutose e a glicose.

A demanda pelo açúcar mascavo aumentou nos últimos anos, principalmente devido à busca por uma alimentação mais saudável. O processamento do açúcar mascavo é mais simples quando comparado com o processamento do açúcar refinado, pois não passa pelas etapas de clarificação e refino, resultando em um produto de coloração que varia entre marrom claro e escuro - é denso e pesado, com sabor semelhante ao da rapadura. O açúcar mascavo é composto por sacarose, frutose, glicose, potássio, cálcio, magnésio, fósforo, sódio, ferro, manganês, zinco, vitaminas A, B1, B12, B5, C, D6 e E, e é considerado um alimento rico em sais minerais e vitaminas, sendo muitas vezes recomendado na dieta de pessoas anêmicas.

Melado

Outro produto derivado da cana-de-açúcar que vem ganhando popularidade é o melado de cana. Seu processamento é muito semelhante ao do açúcar mascavo, o que difere os dois produtos é a concentração de sólidos solúveis. No caso do açúcar mascavo, o teor de sólidos solúveis está em torno de 90 a 95 graus Brix (°Bx) ;e, no melado, de 65 a 75°Bx. O melado pode ser definido como um xarope do caldo de cana-de-açúcar, concentrado, purificado e livre de partículas grosseiras em suspensão. Em razão de suas propriedades, o melado é indicado para pessoas que sofrem de anemia e prisão de ventre, além de ser laxante e de favorecer o crescimento dos ossos e dos dentes.

Apesar de o açúcar mascavo e do melado apresentarem vantagens em relação ao açúcar refinado, seu consumo deve ser moderado. Em suma, o consumo de qualquer tipo de açúcar (ingrediente), independentemente de onde foi extraído e de seu processamento, deve ser moderado, pois também apresenta em sua constituição a sacarose, a frutose e a glicose, que alteram os níveis glicêmicos do indivíduo, podendo provocar o desenvolvimento de doenças crônicas não transmissíveis a longo prazo.



Veja também:


 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail