Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Óleo de alho pode ser adicionado a alimentos e possui propriedades farmacológicas

O óleo de alho é considerado suplemento alimentar e produto fitoterápico pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Como ele não é um medicamento fitoterápico, não precisa passar por diversos testes para que seja recomendado como alternativa para algum tipo de tratamento. Mesmo assim, o óleo de alho contém uma bula que o consumidor deve seguir à risca.

O alho faz parte da vida de quase todos os brasileiros, principalmente na culinária. A espécie allium sativum (nome científico para o alho) é originária da Ásia Central, pertencente à família das liliáceas. Outros nomes conhecidos do tempero são alho-de-horta, alho-manso ou alho-hortense. Além de ser popular, o alho é largamente utilizado na culinária e de fácil acesso, mas o que pouca gente sabe é que ele possui propriedades terapêuticas e farmacológicas graças ao seu composto ativo chamado alicina. Dentre suas principais ações e benefícios, estão:

Para que serve o óleo de alho

Graças às suas diversas propriedades, o alho possui uma larga escala de aplicações, como em problemas de pele (acne), infecções do trato urinário, micoses, doenças respiratórias (asma e bronquite), dores de cabeça, dores de dente, diarreias e até diabetes.

óleo de alho ainda serve para tratar:

  • Infecções cutâneas;
  • Queda de cabelo;
  • Caspa;
  • Dor de garganta;
  • Colesterol alto;
  • Problemas cardiovasculares;
  • Declínio cognitivo;
  • Câncer;
  • Infecções de ouvido;
  • Imunidade;
  • Saúde óssea em mulheres;
  • Resistência ao exercício;
  • Repelente de mosquitos;
  • Feridas;
  • Diabetes.

Para que o alho e seus derivados, como o óleo de alho, mantenham seus efeitos, eles não podem ser aquecidos. A partir do momento em que o alho sofre aquecimento, as moléculas consideradas princípios ativos se “quebram”, perdendo algumas propriedades. Dessa maneira, para que o óleo de alho mantenha suas vantagens, ele deve passar por um processo de extração a frio, em que a temperatura é controlada, evitando a degradação dos princípios ativos. As cápsulas de óleo de alho devem, obrigatoriamente, apresentar de três a cinco miligramas de alicina.

Existem inúmeras vantagens ao utilizar o óleo de alho, mas é sempre bom lembrar de verificar a composição e se certificar de que a quantidade presente de alicina está nos padrões estipulados. Também é fundamental observar se não há presença de conservantes que possam ser maléficos à saúde, como os parabenos.

Um estudo publicado pela Fitoterapy Journal mostrou que o alho possui propriedades antifúngicas contra cândida, malassezia e dermatófitos. Outro estudo publicado pelo Journal Nutrition concluiu que o alho previne o câncer de pele devido à alta concentração de fitoquímicos.

Como fazer óleo de alho

Óleo de alho
Imagem de equipe de voyas no Unsplash

O óleo de alho feito em casa não tem as mesmas propriedades do óleo de alho puro. Mas você pode fazer uma versão para adicionar aos alimentos. Para isso, descasque três dentes de alho e deixe repousarem na quantidade equivalente a um copo de óleo vegetal como azeite, óleo de coco, óleo de semente de uva, entre outros; durante 30 dias em um recipiente de vidro bem escuro. Depois coe e coloque o óleo de alho na geladeira para melhor conservação.

Você pode encontrar diversos óleos naturais na Loja eCycle! Confira clicando aqui.