Conheça o switchel, a bebida isotônica que pode ser feita em casa

eCycle

Mais conhecida no exterior, é uma mistura de ingredientes simples e muito saborosa

Bebidas isotônicas são muito úteis para repor os sais após atividades físicas, mas a variedade de corante e itens suspeitos presentes nos produtos mais conhecidos pode te deixar desconfiado. Mas você já imaginou como os agricultores faziam antigamente para repor as energias após um dia exaustivo de trabalho? Switchel é a resposta: ele é como um isotônico natural e muito saboroso. Não existe tradução para o nome em português por ser uma bebida de origem amish (grupo rural religioso e tradicional comum nos Estados Unidos, Suíça e Holanda) - para saber mais sobre o grupo, dê uma olhada no fim da matéria. 

Receitas

A receita básica é formada por vinagre de maçã (que é um adoçante natural), raspas de gengibre (ou em pó), mel e água. O melhor dessa bebida é que ela une os benefícios do vinagre (melhora do sistema imunológico e equilíbrio do pH), gengibre (acalma as mucosas do estômago e do intestino) e do mel. Sem contar que ela é repleta de minerais que proporcionam muitos benéficos à saúde. Todos esses ingredientes juntos trabalham para repor eletrólitos após uma jornada de exercícios.

A lista de benefícios dos switchel é extensa:

• Regula o metabolismo;
• Equilibra o pH do corpo;
• Melhora a digestão;
• Melhora a concentração;
• Reduz dores musculares pós-treino;
• Contém vitaminas e minerais;
• Melhora o sistema imunológico;
• Efeito anti-inflamatório.

Receita de switchel

- 1/4 de xícara de vinagre de maçã (se possível, orgânico);
- 2 colheres de sopa de mel ou melaço orgânico;
- 2 colheres de chá de gengibre ralado;
- 2 xícaras de água.

Misture tudo em uma jarra e chacoalhe bem. Deixe a mistura descansar entre duas e 24 horas. Você pode coar e misturar com água gaseificada para usufruir de um sabor melhor.

Existem também receitas de coquetéis alcoólicos feitos com rum que são combinados com switchel. Ele vai bem com limão e vinhos, como Pinot Noir, Sauvignon Blanc e até mesmo uísque e conhaque. Recomendamos beber com moderação e não dirigir se beber.

Receita de switchel imperial

- 4 litros de água em temperatura ambiente;
- 1/2 xícara de melaço;
- 1 xícara de açúcar granulado;
- 1/2 xícara de vinagre de maçã;
- 60 ml de suco de gengibre;
- 1 grama de levedura de champanhe;
- 3/4 de uma colher de chá de cremor de tártaro (o bitartarato de potássio, também conhecido como cremor de tártaro, é um sal ácido usado durante o processo de fermentação da uva em vinho).

1. Leve ao fogo (alto) dois litros de água, o melaço, o açúcar, o vinagre e o suco de gengibre e mexa até ferver. Diminua a temperatura até fogo médio e mexa por 15 minutos. Em seguida, desligue o fogo, deixe esfriar e transfira para um recipiente de quatro litros.

2. Em um copo medidor, acrescente água a levedura de champanhe de acordo com instruções no pacote. Adicione a mistura ao recipiente de quatro litros.

3. Acrescente o cremor de tártaro e o restante de água para preencher os quatro litros. Mexa bem para distribuir a levedura e os demais ingredientes uniformemente.

4. Coloque a mistura em garrafas de 500 ml e tampe bem, deixando-as em ambiente escuro e em temperatura ambiente por dois dias - depois coloque as garrafas na geladeira - não abra as garrafas até elas estarem bem geladas. Pode ser consumida em até duas semanas, se mantida dentro da geladeira.

Kombucha

É claro que não poderíamos deixar de citar a kombucha, uma bebida adocicada fermentada que é como um refrigerante natural, feita a partir da combinação de chá e levedura.

É feita a partir de uma colônia de micro-organismos aglomerados em uma fina camada de celulose chamada de biofilme. Fornece diversos ácidos e nutrientes, excelentes para a saúde. A cultura de kombucha se alimenta do açúcar durante o processo e fornece em troca elementos valiosos: antibióticos naturais, ácido glucônico, ácido lático, vitaminas, aminoácidos e ácido glucurônico. Também produz álcool de 0,5% a 1%, proporção muito pequena e inofensiva.

Receita básica

- 1 litro de chá preto ou verde (4 sachês);
- 1/2 xícara de açúcar;
- Um quadrado pequeno da levedura;
- 1 xícara de vinagre;
- 1 recipiente de vidro de boca larga;
- 1 pano limpo.

1. Prepare o chá e deixe-o em infusão por 20 minutos; em seguida, retire os sachês, acrescente um pouco de açúcar (quanto menos, mais rápido o processo) e deixe esfriar.

2. Coloque no recipiente de vidro e acrescente o quadrado da levedura e o vinagre. Tampe com um pano e prenda com um elástico na borda (não tampe com outro material para permitir a oxigenação) e mantenha longe de fontes de calor ou luz.

3. É normal a película esbranquiçada da levedura se espalhar e também formar uma parte marrom - isso é esperado -, o problema são círculos de bolores verdes (ou negros) e de aparência aveludada. Se surgirem, descarte sua receita (nunca beba) e recomece.

Em torno de seis a 12 dias, estará pronto - é bom verificar, olhando e provando. Se estiver com um gosto agradável, lembrando um refrigerante, já se pode coar e saborear. Se for engarrafar, não feche muito a tampa para não estourar. Você pode acrescentar gengibre ou frutas ao líquido depois de coado.

Observação importante: durante o período de fermentação, não deixe seu kombucha perto de produtos de limpeza ou químicos, de latas de lixo, onde animais de estimação ou crianças possam alcançar, ou próximo a frutas que possam mofar.

Comunidades anabatistas (ou amish)

O switchel, como foi dito no início da matéria, é comum em comunidades anabatistas. Mas o que elas são?

Na Europa do século XVI, houve revoluções e “reformas”, como a protestante, que influenciaram a política e a religião católica, rompendo as regras existentes. O nome Martinho Lutero já é bastante conhecido hoje, e a Igreja Protestante também.

Na mesma época que Lutero buscava mudanças, outros grupos religiosos também queriam expressar o direito às suas ideologias. Foi o caso dos anabatistas: cristãos que acreditam que o batismo obrigatório de crianças não é o ideal, mas deve ser feito na fase adulta, quando a pessoa tem consciência para escolher se deseja mesmo isso. Daí o nome: ana significa "novamente" em grego - ou seja, rebatizar. Os maiores grupos anabatistas são huteritasmennonitasamishes.

Eles foram muito perseguidos à época e buscaram sair da Europa, indo povoar os Estados Unidos e a Rússia.

Até hoje, eles vivem como no século XVIII: sem energia elétrica, carros ou telefone. Os jovens podem namorar sob supervisão dos adultos e não cursam faculdade, indo trabalhar no campo, com artesanato, constituindo família em uma vida modesta e simples, segundo o Novo Testamento da Bíblia. Devido à perseguição, não são muito fãs de outros povos que não o da sua própria comunidade e membros que contestam o estilo de vida podem ser expulsos permanentemente.

Fonte: Care2

Veja também:
-Óleo vegetal bromado: o perigo dos refrigerantes, isotônicos e outros alimentos industrializados
-Onze dicas para deixar o açúcar refinado de lado
-Nove usos surpreendentes para a cerveja
-Você conhece o "verdadeiro" chá?
-Fatos curiosos sobre alimentos que você provavelmente não conhecia


 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail