Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Menstruação é um processo natural pelo qual a maioria das mulheres em idade reprodutiva passa todos os meses

A menstruação é a primeira fase do ciclo menstrual, um processo natural pelo qual a maioria das mulheres em idade reprodutiva (depois da puberdade e antes da menopausa) passa todos os meses. Ela aparece quando um óvulo do ciclo anterior não fecunda nenhum espermatozoide.

O ciclo menstrual dura, em média, 28 dias, e se divide em quatro fases: menstruação, fase folicular, fase ovulatória e fase lútea. Essas mudanças biológicas ocorrem por meio da variação hormonal natural.

A cada 28 dias, um óvulo é desenvolvido e liberado pelos ovários, o útero acumula um revestimento chamado endométrio e, se o óvulo fertilizar nenhum espermatozoide (para dar início a uma gravidez), o revestimento uterino é expelido durante a menstruação na forma de sangue. Então, o ciclo começa novamente.

Menstruação e o ciclo menstrual

Menstruação

Na menstruação, os níveis dos hormônios estrogênio e progesterona caem.

Se, após a ejaculação no ato sexual, o óvulo não fecundar nenhum espermatozoide, o revestimento sanguíneo espesso do útero, que serviria para sustentar uma gravidez, não é mais necessário. A partir daí, ele é expelido pelas contrações uterinas, saindo pela vagina. Durante a menstruação, é liberada uma combinação de sangue, muco e tecido do útero.

Esse período geralmente vem acompanhado de sintomas, muitas vezes, desagradáveis. Alguns deles são:

  • Cólicas;
  • Inchaço e dor nas mamas;
  • Inchaço abdominal;
  • Mudança de humor;
  • Irritabilidade;
  • Dor de cabeça;
  • Cansaço;
  • Lombalgia (dor na lombar).

Em média, as mulheres ficam na fase da menstruação entre três e sete dias. Algumas têm um período mais longo do que outras.

Fase folicular

A fase folicular começa no primeiro dia do período (portanto, há alguma sobreposição com a menstruação) e termina quando chega o período ovulatório.

Essa fase se inicia quando o hipotálamo envia um sinal para a glândula pituitária para liberar o hormônio folículo-estimulante (FSH). Esse hormônio estimula os ovários a produzirem cerca de cinco a 20 pequenos sacos chamados folículos. Cada folículo contém um óvulo imaturo.

Somente o óvulo mais saudável acabará amadurecendo. Em raras ocasiões, uma mulher pode ter dois óvulos maduros. O restante dos folículos será reabsorvido pelo corpo.

O folículo em maturação desencadeia uma onda de estrogênio que engrossa o revestimento do útero. Isso cria um ambiente rico em nutrientes para o crescimento de um embrião. A fase folicular média dura cerca de 16 dias. Pode variar de 11 a 27 dias, dependendo do ciclo, e apresenta um muco vaginal meio pastoso, sem muita consistência e elasticidade.

Fase ovulatória

O aumento dos níveis de estrogênio durante a fase folicular aciona a glândula pituitária para liberar o hormônio luteinizante (LH). É isso que inicia o processo de ovulação.

A ovulação ocorre quando o ovário libera um óvulo maduro. O óvulo viaja pelas trompas de Falópio em direção ao útero para fertilizar o espermatozoide.

A fase de ovulação é o único momento de todo o ciclo em que a mulher se encontra fértil. Ela dura apenas cerca de 24 horas e apresenta sintomas como:

  • Ligeiro aumento na temperatura corporal basal;
  • Muco vaginal transparente semelhante à clara de ovo.

A ovulação acontece por volta do 14º dia se a mulher tiver um ciclo de 28 dias – ou seja, bem no meio do ciclo menstrual. Essa fase dura cerca de 24 horas. Depois de um dia, o ovo morre ou se dissolve, se não for fertilizado.

Fase lútea

Depois que o folículo libera o óvulo, ele se transforma no corpo lúteo. Essa estrutura libera hormônios, principalmente progesterona e um pouco de estrogênio. O aumento dos hormônios mantém o revestimento uterino espesso e pronto para um óvulo fertilizado se implantar.

Se a mulher engravidar, o corpo produzirá gonadotrofina coriônica humana (HCG). Esse hormônio é facilmente detectado num teste de gravidez e confirma o diagnóstico. Ele ajuda a manter o corpo lúteo e mantém o revestimento uterino espesso.

Se a mulher não engravidar, o corpo lúteo vai encolher e será reabsorvido. Isso leva à diminuição dos níveis de estrogênio e progesterona, o que causa o início da menstruação. Assim, o revestimento do útero é liberado na forma de menstruação durante o período menstrual.

Durante essa fase, se a mulher não engravidar, poderá sentir sintomas de síndrome pré-menstrual (TPM). Para saber mais sobre a TPM, confira a matéria “O que é TPM e quais seus sintomas?” e/ou o vídeo abaixo:

A fase lútea dura de 11 a 17 dias. A duração média é de 14 dias e nessa fase o corpo feminino libera um muco vaginal branco e pastoso, semelhante a uma pomada (é diferente de corrimento vaginal).

Identificando problemas comuns

O ciclo menstrual de cada mulher é diferente. A menstruação de algumas mulheres pode aparecer a cada 28 dias todos os meses. Outras possuem um ciclo menstrual mais irregular. Algumas mulheres sangram mais intensamente ou por um número maior de dias do que outras.

A menstruação também pode mudar durante determinados momentos da vida, podendo ficar mais irregular à medida que se aproxima da menopausa, por exemplo. Saiba mais sobre esse tema na matéria:

Uma maneira de descobrir se você está tendo algum problema com seu ciclo menstrual, ou menstruação, é registrar e analisar seus períodos menstruais. Anote quando a menstruação começa e termina. Registre também quaisquer alterações nas sensações e no número de dias que você sangrou.

Qualquer um desses fatores pode alterar a menstruação:

  • Pílula anticoncepcional: pode tornar os períodos mais curtos e mais leves;
  • Gravidez: cessa a menstruação – esse é um dos primeiros sintomas de gravidez;
  • Síndrome do Ovário Policístico (SOP): desequilíbrio hormonal que impede que um óvulo se desenvolva normalmente nos ovários, causando menstruação irregular;
  • Miomas uterinos: não cancerosos, podem tornar os períodos mais longos e mais difíceis ​​do que o habitual;
  • Distúrbios alimentares: anorexia, bulimia e outros transtornos alimentares podem atrapalhar o ciclo menstrual e interromper a menstruação.

Alguns sinais de que pode haver algum problema com a sua menstruação:

  • Você pulou os períodos ou seus períodos pararam completamente;
  • Seus períodos são irregulares;
  • Você sangra por mais de sete dias;
  • Seus períodos são inferiores a 21 dias ou têm mais de 35 dias de intervalo;
  • Você sangra entre os períodos.

Caso você apresente problemas com o ciclo menstrual, procure ajuda médica. Para saber como calcular seu período fértil, dê uma olhada na matéria:

Homens menstruam?

A resposta é: sim, no caso dos homens trans. Ao nascer, todos somos designados com um sexo biológico: masculino (se nascemos com pênis) ou feminino (se nascemos com vagina e útero, que são o órgãos de um sistema reprodutor de quem menstrua). No entanto, alguém que recebeu a designação feminina no nascimento pode, com o passar do tempo, apresentar disforia de gênero, uma condição reconhecida pela medicina convencional como psicopatológica de incômodo com as características sexuais e de gênero designadas no nascimento.

A pessoa que se identifica com o gênero que lhe é estabelecido no nascimento é chamada cisgênero, já a pessoa que não se identifica com esse gênero é chamada de transgênero. Em relação a esse tema, há controvérsia, pois existem algumas pessoas abolicionistas de gênero que defendem que é impossível para qualquer pessoa se adequar a qualquer tipo de gênero.

Porém, quando a pessoa acredita que sua inadequação ao gênero imposto é uma disforia e se reconhece como homem, isso não cessa sua menstruação. Por isso que homens trans em idade reprodutiva, que mantêm seus úteros e vaginas, menstruam.

A experiência de homens trans e pessoas não binárias com a menstruação difere bastante daquela das mulheres cis, sendo muitas vezes um motivo para que essas pessoas se sintam invisibilizadas quando dizemos que apenas mulheres menstruam. Por isso, mesmo que sejam minoritários em termos quantitativos, homens trans e pessoas não binárias que menstruam existem.