Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

As esponjas de limpeza são responsáveis por liberar microplásticos na natureza e acumulam uma quantidade grande de bactérias

As esponjas de limpeza comuns, mais especificamente as de poliuretano, são consideradas produtos importantes na hora de fazer faxina. No entanto, essas esponjas de limpeza não são recicláveis e carregam uma quantidade grande de bactérias em sua superfície, o que prejudica a saúde de pessoas e, após o consumo, de animais. Desta forma, além de ser um dos produtos de limpeza mais sujos de sua casa, as esponjas são poluentes de impacto significativo no meio ambiente. 

Problemas relacionados ao uso de esponjas de limpeza 

As esponjas de limpeza são feitas a partir da junção de diversos plásticos. O principal material usado na sua composição é o poliuretano, comumente usado na produção de espuma para colchões, travesseiros e outros estofados. Durante a produção da esponja de limpeza, o poliuretano passa por uma reação química que libera gás carbônico,  fazendo com que o produto fique cheio de espaços vazios – os furos da esponja.

Liberação de microplásticos e poluição

Uma das principais características do poliuretano é a rigidez, que faz com que, depois que ele é moldado, não consiga mais voltar ao seu estado original, nem mesmo se for aquecido. Esse fator torna a reciclagem das esponjas de limpeza algo complicado.

Por isso, muitas vezes, as esponjas de limpeza acabam no lixo comum. Por não serem biodegradáveis, essas esponjas vão parar em lixões e aterros sanitários. Nesses locais, elas podem acabar em oceanos e rios devido às chuvas e ao vento forte. 

Outro fator importante é que, ao se decompor, as esponjas de limpeza liberam microplásticos. Essas substâncias são extremamente poluentes na natureza, podendo entrar até na cadeia alimentar e participar da dieta humana. A extração de microplásticos do meio ambiente é um processo difícil, o que só dificulta mais ainda a preservação do planeta. 

Descarte de esponjas de limpeza 

A reciclagem desse material não é impossível, só é complicada. É possível reutilizar as esponjas de limpeza na criação de pisos e em pistas de atletismo. Porém, como esses produtos são descartados quando estão contaminados, é quase impossível encontrar lugares que aceitam esponjas de limpeza para reciclar. 

Afinal, para que haja reciclagem do material, é preciso a descontaminação, o que torna o processo mais longo, trabalhoso e caro. Sem contar que o contato com poliuretano também está ligado a problemas de saúde, como condições respiratórias e inflamação nos olhos.

Se você pretende descartar suas esponjas de limpeza, a melhor opção é encontrar um ponto de descarte adequado que aceite esse tipo de material. Certifique-se de ligar ou contatar o ponto de coleta antes de fazer o descarte para ter certeza que ele aceita esponjas de limpeza. 

Porém, saiba que a melhor forma de evitar os impactos da esponja de poliuretano é não comprá-la.

Acúmulo de bactérias 

A verdade é que a sua esponja de limpeza é o objeto mais sujo da sua cozinha. Um estudo realizado pela Duke University, mostrou que a esponja tem a composição perfeita para a proliferação de vida bacteriana. Isso porque sua estrutura se assemelha aos diferentes níveis de separação encontrados em solos saudáveis, ambientes perfeitos para micróbios. 

Em suas pesquisas, os estudiosos concluíram que a esponja de limpeza é melhor incubador do que outros equipamentos usados para proliferação de bactérias em testagens científicas. Para os envolvidos nos estudos, essa é uma ótima maneira de explicar o porquê das esponjas de limpeza serem tão sujas. 

Uma outra pesquisa, publicada na revista Scientific Reports, mostrou que seus cientistas encontraram 45 bilhões de bactérias por centímetro quadrado em esponjas de limpeza recolhidas com doadores. Segundo os envolvidos, foram mais de 362 espécies diferentes de bactérias em uma única esponja de limpeza

Apesar do número grande de micróbios encontrados nas esponjas de limpeza, não é preciso entrar em pânico. Nem todas as bactérias encontradas nas esponjas de limpeza são maléficas à saúde. Aquelas que realmente fazem mal ao organismo humano podem ser eliminadas com uma limpeza básica, ou trocando de esponja pelo menos uma vez por semana. 

Dicas para manter sua esponja limpa 

Limpe-a: segundo especialistas, a melhor opção é lavar as esponjas usando o micro-ondas. Basta mergulhar a esponja de limpeza na água, e depois espremer até ela ficar seca. Depois disso, coloque-a no micro-ondas por aproximadamente um minuto em uma temperatura média. A técnica não vai extinguir todas as bactérias, mas vai acabar com aquelas que são patogênicas. 

Troque-a: não se apegue a sua esponja, e muito menos deixe que ela fique mofando na sua pia. Uma das melhores opções de evitar o acúmulo de bactérias nas esponjas de limpeza é trocá-las pelo menos duas vezes na semana. Se você mora com alguém que tem o sistema imunológico afetado por alguma condição, talvez seja uma boa trocá-las diariamente. 

Cuide bem dela: usar suas esponjas de limpeza para limpar coisas como leite estragado, vômito, frutas e vegetais sujos e líquidos da carne nunca é uma boa ideia. Essa ação pode gerar proliferação de bactérias patogênicas e contaminação cruzada. Ao invés disso, use papel toalha ou higiênico para essas limpezas. Afinal, esse material é biodegradável.  

Separe-a: por último, mas não menos importante, não use a mesma esponja de limpeza para tudo. Essa atitude pode causar contaminação cruzada e trazer bactérias patogênicas para utensílios de cozinha. Certifique-se que você tem uma esponja para cada tipo de uso, seja limpar o banheiro ou a louça.

A melhor opção é não usar esponjas de limpeza de poliuretano

Devido aos impactos negativos na saúde e no meio ambiente, as esponjas de limpeza de poliuretano não são as melhores opções para manter sua casa limpa. Na verdade, apesar de serem populares, elas podem ser substituídas por alternativas biodegradáveis ou recicláveis. 

Alternativas para as esponjas de limpeza 

Bucha Vegetal 

A bucha vegetal é uma alternativa eco-friendly e compostável que você pode plantar dentro da sua própria casa. Ela é preparada a partir da polpa da fruta da planta trepadeira, que leva o mesmo nome. Ao contrário das esponjas de limpeza, a bucha vegetal se contamina menos, não risca tanto as louças, é biodegradável e pode ser reciclada em uma composteira. 

Esfregões de bambu 

Feitos de bambu, madeira ou plástico reciclado, os esfregões de bambu são tão eficientes quanto as esponjas de limpeza convencionais. Além disso, o material usado na sua produção costuma ser biodegradável e reciclável.  

Panos de bambu

Panos de bambu são ótimas alternativas para as esponjas de limpeza. Eles são fortes e bem absorventes. Por serem feitos de material biodegradável, eles também são eco-friendly e podem ser lavados e usados aproximadamente dez vezes antes de estragarem e ficarem contaminados.

Panos de pratos suecos 

O pano de prato sueco foi inventado por um engenheiro sueco no ano de 1949. Ele é composto por 70% de celulose de madeira e 30% de algodão, o que significa que ele dura por muito tempo e é biodegradável. O pano de prato sueco absorve 15 vezes mais o seu peso e seca rápido, sendo uma opção bem melhor do que as velhas esponjas de limpeza. Ele pode ser lavado 200 vezes antes de ser descartado.  

Esponja reciclada de redes de pesca fantasma

A esponja reciclada de redes de pesca usa materiais provenientes da pesca fantasma. Este tipo de prática ocorre devido ao descarte indevido de materiais da pesca ilegal. Quando deixados nos mares ou nos rios, esses produtos — geralmente redes de pesca — se tornam nocivos para a fauna local, podendo matar e causar danos severos à saúde.