Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Cachorro estressado? Confira o que fazer para aliviar o problema e melhorar a qualidade de vida do seu “amicão”

Imagem de Moshe Harosh em Pixabay

Cachorro estressado: isso existe? Sim! Como os humanos, os cães também podem ficar estressados – e, por experiência própria, nós sabemos bem como esse problema afeta o bem-estar. No entanto, assim como as pessoas buscam conforto de várias maneiras para aliviar os sintomas de estresse, os cachorros também podem encontrar formas de recuperar a qualidade de vida e a energia.

A grande questão é: como identificar um cachorro estressado? Afinal, os cães não falam, certo? Mais ou menos. Os cães têm uma linguagem própria com a qual são capazes de se comunicar com seus tutores: o comportamento. Pequenos gestos do seu cachorro no dia a dia podem fornecer sinais de que ele está estressado. Aprenda a reconhecê-los!

9 sinais de que o seu cachorro está estressado

1. Tremer ou andar de um lado para o outro

Você já viu seu cachorro tremer depois de um banho ou rolar na grama. Esse tremor de corpo inteiro pode ser divertido e é comum, mas, em alguns casos, pode ser resultado de uma situação estressante. Por exemplo, os cães costumam ficar estressados ​​quando visitam o veterinário. Você já reparou que muitos cães se sacodem quando descem da mesa de exame e pousam no chão? Os cães, como as pessoas, também andam de um lado para o outro quando estão agitados.

2. Choramingar ou latir demais

A vocalização é a autoexpressão canina normal, mas pode ser intensificada sob pressão ou situações estressantes. Os cães que estão com medo ou tensos podem gemer ou latir para chamar a atenção do tutor ou para se acalmarem.

3. Bocejar, babar ou lamber demais

Os cães bocejam quando estão cansados ​​ou entediados, mas você sabia que eles também bocejam quando estão estressados? Um bocejo de estresse é mais prolongado e intenso do que um bocejo sonolento. Os cães também podem babar e lamber excessivamente quando estão nervosos.

4. Apresentar alterações nos olhos e ouvidos

Cães estressados, assim como pessoas estressadas, podem ter pupilas dilatadas e piscar repetidas vezes. Repare nos olhos do seu cachorro: se a esclera (o “branco do olho”) estiver se destacando mais do que o normal, pode ser um sintoma de estresse. As orelhas, que geralmente ficam relaxadas ou alertas, são fixadas para trás, contra a cabeça, em situações estressantes.

5. Apresentar mudanças na postura corporal

Os cães normalmente suportam um peso uniforme sobre as quatro patas. Se um cão saudável, sem problemas ortopédicos, acabar transferindo seu peso para as patas traseiras ou se encolher, pode ser um sinal de estresse. Quando assustados, os cães também podem dobrar o rabo (na famosa posição do “rabo entre as pernas”) ou adotar uma postura rígida, mais alerta do que o normal.

6. Rosnar

Rosnar é uma maneira óbvia de saber se seu cão está desconfortável. Pode significar que alguém está ocupando o território dele, que ele se sente ameaçado ou que está sentindo dor. Normalmente, o cachorro rosna não para ser agressivo, mas para avisar que está com algum problema.

Muitas pessoas tentam desencorajar seus cães de rosnar. Mas, se um cão tiver problemas por causa disso, é mais provável que pule os avisos futuros e vá direto para a mordida. Não castigue seu filhote por rosnar. Em vez disso, respeite o espaço dele ou descubra uma maneira diferente de conseguir o que deseja deles. Por exemplo, se um cachorro está rosnando por causa da comida, dê espaço para que ele coma em paz.

7. Apresentar alterações nos hábitos alimentares

Se a ingestão de comida do seu cão for excessivamente rápida, talvez ele esteja estressado. Falta de apetite, diarreia, prisão de ventre e outros problemas gastrointestinais também podem ser sinais de ansiedade ou estresse.

8. Ofegar

Se o cachorro está ofegante sem ter feito nenhum exercício físico, pode ser um sinal de que ele está exausto, cansado ou incomodado com alguma coisa.

9. Problemas de pele

Muitos cães ansiosos ou estressados acabam se coçando e/ou lambendo excessivamente, o que pode causar feridas na pele. Fique atento ao comportamento do seu amigo peludo, porque problemas na pele podem estar relacionados a fatores emocionais.

Por que meu cachorro está estressado?

Os cães se desenvolvem com a rotina e quando ela é interrompida, seja na hora de caminhar ou comer, eles ficam nervosos. O tédio também causa estresse. A falta de estimulação mental pode ser muito prejudicial para um cachorro. Por isso, brincadeiras e atividades são importantes.

Ruídos altos, traumas anteriores, ansiedade de separação, novas pessoas no ambiente também são causas de estresse. Além disso, o seu próprio comportamento pode ser nocivo para o cachorro, porque ele sente quando o tutor está estressado, triste, doente ou nervoso, e acaba imitando o comportamento.

O que fazer quando meu cachorro está estressado?

O primeiro passo é aprender a diferenciar sinais de estresse de um comportamento normal. Por isso, é muito importante prestar atenção em como seu cão se comporta em várias situações durante o dia. Frequentemente, a causa do estresse em cachorros é a falta de atenção e de atividades com o tutor. Uma dica é brincar e/ou sair para passear com ele uma vez ao dia, pelo menos. Isso pode fazer com que ele se sinta mais seguro e conectado com você, além de liberar o estresse. Gastar energia é fundamental para o bem-estar do cão, principalmente os de porte maior.

Além disso, os tutores também devem refletir sobre o próprio comportamento: será que algumas das suas atitudes não estão contribuindo para estressar seu cachorro? Não dar ordens claras, olhar diretamente para eles ou os punir repetidas vezes e sem necessidade são exemplos de hábitos humanos que podem alimentar a ansiedade canina.

A melhor maneira de acalmar seu cão é identificar o que o está estressando e, em seguida, eliminar o gatilho. Como alternativa, trabalhe com um treinador profissional ou médico veterinário para reduzir a resposta ao gatilho. Muitas vezes, a solução está em coisas simples, como bloquear a área em que o cachorro se alimenta, para que ninguém o incomode, ou ensinar as crianças a não invadir o espaço dele. Se você sabe que seu cão fica estressado com eventos específicos, como passeios de carro ou fogos de artifício, evite submetê-lo a essas situações.

No caso dos fogos de artifício, que, muitas vezes, são impossíveis de evitar, tente ficar tranquilo para não deixar o cão ainda mais em pânico. Caso ele prefira se esconder, permita. Dê espaço a ele. Outra alternativa que pode dar certo é entreter o cachorro na hora dos fogos, apelando para petiscos e guloseimas.

Se seu cão está estressado, existem também tratamentos naturais e até terapeutas especializados em cachorros que podem ajudá-lo a recuperar a qualidade de vida. Medicamentos homeopáticos, florais, suplementos e alguns remédios naturais (como camomila, aveia, lavanda, valeriana e erva-de-são-joão) também podem ser uma boa solução. Mas o ideal é fazer uma visita ao consultório do veterinário antes de optar por um tratamento, para garantir que o seu cachorro não tenha nenhuma restrição.



Veja também: