Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Estudo aponta que um ambiente de trabalho tóxico pode aumentar 300% o risco de depressão. O que fazer?

Um estudo populacional, conduzido por pesquisadores da University of South Australia, revelou que enfrentar um ambiente de trabalho tóxico aumenta o risco de depressão em 300%. Os dados indicam que os colaboradores de organizações que não priorizam a saúde mental de seus funcionários têm um risco três vezes maior de desenvolver depressão do que outros trabalhadores.

A autora principal do estudo, Dra. Amy Zadow, afirmou ao jornal da universidade que a má saúde mental no local de trabalho pode ser atribuída a práticas, prioridades e valores de gestão inadequados, que naturalmente fluem para altas demandas de trabalho e poucos recursos.

Embora trabalhar muitas horas seja um fator de risco para doenças cardiovasculares ou derrames, a pesquisa sugere que práticas de gerenciamento inadequadas representam uma ameaça ainda maior quando se fala de saúde mental. O estudo, publicado no periódico científico British Medical Journal, foi liderado pelo Observatório de Clima de Segurança Psicossocial da UniSA, a primeira plataforma de pesquisa do mundo a explorar saúde e segurança psicológica no ambiente de trabalho.

Clima de segurança psicossocial e trabalho tóxico

Clima de segurança psicossocial (PSC) é o termo usado para descrever as práticas de gestão e os sistemas de comunicação e participação que protegem a saúde mental e a segurança dos trabalhadores.

Altos níveis de esgotamento e intimidação no local de trabalho também estão relacionados ao fracasso das empresas em apoiar a saúde mental dos trabalhadores.

Um segundo artigo, de coautoria do Professor Dollard e publicado no European Journal of Work and Organizational Psychology, revela que um baixo índice de PSC é um importante preditor de bullying e exaustão emocional.

Os custos globais de intimidação no local de trabalho e esgotamento do trabalhador são significativos e se manifestam em faltas constantes, pouco comprometimento com o trabalho, licença por estresse e baixa produtividade.

A extensão do problema foi reconhecida em 2019, quando a Organização Internacional do Trabalho (OIT) implementou uma Comissão Global sobre o Futuro do Trabalho e propôs “uma abordagem centrada no ser humano, colocando as pessoas e o trabalho que fazem no centro da vida econômica, social, política e prática empresarial”.

“As implicações práticas desta pesquisa são de longo alcance. Altos níveis de esgotamento do trabalhador são extremamente caros para as organizações, e está evidente que uma mudança organizacional de alto nível é necessária para resolver o problema”, diz o professor Dollard.

10 sinais de que você está em um ambiente de trabalho tóxico

1. Comunicação ineficaz

A comunicação insuficiente, confusa ou dispersa é responsável por vários problemas no local de trabalho. Na verdade, as habilidades de comunicação são as mais importantes em qualquer organização de sucesso. Por quê? Para começar, praticamente tudo cai sob o guarda-chuva da comunicação: capacidade de ouvir, comunicação verbal, comunicação escrita, linguagem não violenta – e a lista continua!

Então, como saber se a má comunicação está causando toxicidade no local de trabalho? Aqui estão alguns exemplos de má comunicação:

  • Constante falta de clareza em torno dos projetos
  • Funcionários diferentes recebendo mensagens diferentes
  • Comunicação passivo-agressiva
  • Falha em ouvir
  • Comunicação constante “fora do expediente”

A comunicação costuma ser o maior problema (e sintoma) de organizações ruins, ou de organizações boas operando mal. A má comunicação geralmente provoca confusão e sensação de falta de propósito nos funcionários. A partir disso, os problemas surgem e se agravam, geralmente levando aos próximos nove itens da lista.

2. Fofoca, intriga, “panelinha” e exclusão

“Quero que o ambiente de trabalho pareça a oitava série novamente”, disse ninguém, nunca. Não é à toa que, quando isso acontece, o clima de desânimo pareça ser generalizado. 

Todos sabemos como funcionam as panelinhas: um grupo de pessoas que estão sempre juntas, riem sozinhas de piadas internas, tomam café umas com as outras e costumam excluir qualquer pessoa alheia a seu círculo restrito. E, embora sejamos todos adultos aqui, pode ser extremamente incômodo existir do lado de fora de um clubinho ativo.

Simplificando: panelinhas são contraproducentes no local de trabalho. É ótimo ter amigos no lugar onde passamos a maior parte do tempo, mas qualquer comportamento que exclua os outros gera um clima de insatisfação e atrapalha as relações, tornando o ambiente tóxico.

3. Má liderança

Aqui está um enorme problema. Afinal, aquele velho ditado, “Você não deixa um emprego, você deixa um mau chefe”, existe por um motivo, não é mesmo? A má liderança pode se infiltrar em todas as camadas de uma organização, e isso costuma acontecer com muito mais frequência do que parece. 

Às vezes, um mau chefe é resultado de outro mau chefe – e assim por diante. É essa hierarquia de chefes ruins que torna o ambiente de trabalho totalmente tóxico.

Chefes ruins podem apresentar uma variedade de perfis. Você pode ser vítima do microgerenciador, que corrige suas “falhas” constantemente, prejudica suas decisões e, no final das contas, impede que você faça seu trabalho da melhor maneira. Outro chefe supercomum é aquele que adora um “Jogo da Culpa”: ele é rápido em transferir os erros para todo mundo, exceto para si mesmo. Você ainda pode ter a sorte de contar com o chefe “Sem Noção”, que envia e-mails a qualquer hora, se esquece do seu nome e provavelmente nem sabe o que você faz.

A má liderança é um dos sinais mais preocupantes de um local de trabalho tóxico. Se a empresa dispõe de um bom departamento de RH, ou se seu chefe ruim tiver um chefe decente, você pode tentar comunicar essas questões a outras instâncias.

4. Falta de motivação geral

Não estamos dizendo que você deve julgar seu trabalho pela qualidade (ou falta de qualidade) das pessoas ao seu redor. No entanto, se o seu local de trabalho está cheio de colegas desmotivados, é possível que você também acabe pagando um preço por isso.

Existem duas reações comuns em um ambiente lotado de pessoas desmotivadas: arcar com uma tonelada de trabalho extra (e, consequentemente, chegar à exaustão) ou entrar na onda e nivelar a qualidade das tarefas por baixo para se igualar a elas.

Assim como colegas de trabalho podem inspirar você a trabalhar mais, se destacar e incubar novas ideias, eles também podem “contaminar” todo o ambiente com cansaço e desinteresse. Funcionários desmotivados geralmente são resultado de um problema organizacional muito maior. Talvez uma comunicação ruim do topo, desorganização, privação de direitos de liderança ou desconfiança geral? Seja o que for, se todos ao seu redor estiverem desmotivados, você está em um ambiente de trabalho tóxico.

5. Perspectiva de crescimento zero

Falando em crescimento, se você não tem a sensação de que está “indo para algum lugar”, seu ambiente de trabalho pode ser tóxico. Se a empresa parece não oferecer nenhuma mobilidade, oportunidade de aprendizagem, orientação e evolução de carreira, é provável que falte investimento por parte da corporação no crescimento dos colaboradores. Caso você perceba que não tem espaço para crescer, pode ser a hora de procurar algo novo.

6. Alta rotatividade

A alta e rápida rotatividade de funcionários costuma ser um sinal gritante de que um local de trabalho é tóxico. Deixar o emprego é uma decisão difícil de tomar. Quando você percebe que várias pessoas estão tomando essa decisão, talvez o problema esteja na empresa.

Por outro lado, demissões frequentes podem representar um alerta para outros elementos tóxicos. A alta rotatividade de funcionários geralmente significa que há desorganização, falta de direção, liderança ruim ou poucas oportunidades. Fique atento ao índice de rotatividade da sua empresa.

7. Ausência de equilíbrio entre vida pessoal e trabalho

Você merece uma vida plena fora do trabalho. Todo mundo merece! Se você está constantemente recebendo mensagens e telefonemas da chefia, não consegue jantar antes de ler e responder a todos os e-mails recebidos e tem tido dificuldade para marcar uma consulta no dentista sem sentir culpa, é provável que seu ambiente de trabalho seja tóxico.

8. Cadê as férias?

O equilíbrio entre vida profissional e pessoal é essencial para a sobrevivência. Não é natural que o ser humano esteja sempre alerta. Se você não tira férias há anos e sente que há uma pressão da chefia para adiar seu tempo de descanso, seja bem-vindo: você está em um ambiente de trabalho tóxico! Se seu trabalho exige que você esteja de plantão o tempo todo: tóxico. Se seu chefe exige que você responda e-mails no meio do sábado: tóxico.

Sim: às vezes, tarefas inadiáveis surgem em horas inoportunas. No entanto, se você trabalha com a expectativa de estar sempre disponível para fazer mais e mais pela empresa, seu emprego é, provavelmente, muito tóxico.

9. Intestino “reclamão”

Assim como quando você come comida estragada ou muito doce, seu intestino é o melhor sinal de alerta diante de um ambiente de trabalho tóxico. Gastrite, dor de estômago, digestão ruim, dor de barriga ou constipação podem ser sinais de que você está enfrentando o estresse de um trabalho danoso para a sua saúde mental. Se seu instinto está dizendo que seu local de trabalho é ruim, provavelmente ele é.

10. Síndrome de burnout: você chegou ao limite

Segundo o portal Psicologia Viva, a Síndrome de Burnout é um desgaste que prejudica os aspectos físicos e emocionais da pessoa, levando a um esgotamento profissional. O distúrbio se manifesta quando a relação com o trabalho acaba se transformando em estresse, ansiedade e nervosismo intensos. A pessoa acaba sendo levada ao seu limite, físico e/ou emocional, sentindo-se extremamente cansada, desmotivada e esgotada. Fique de olho na sua saúde mental. Se sentir que a pressão está muito alta, procure ajuda.

Sinais de um trabalho tóxico home-office

Você acha que a toxicidade “some” naturalmente quando está trabalhando em casa? Pense de novo! O fato de não ter de olhar todos os dias para a cara dos colegas ou de um chefe tóxico não quer dizer que a toxicidade simplesmente desapareça no ar.

As boas notícias? Fofocas de escritório que acontecem on-line, seja por meio de aplicativos de mensagens, e-mails ou comunicador corporativo, são facilmente rastreáveis. As más notícias? Elas ainda são tão prejudiciais e nocivas quanto a fofoca cara a cara.

Se o que você está vendo é, de fato, apenas fofoca, não se envolva. Se ela for particularmente prejudicial ou dirigida a uma determinada pessoa (até mesmo a você!), colete evidências. Uma vantagem de trabalhar on-line é que, em alguns casos, pode ser mais fácil encerrar conversas tóxicas sem ter uma conversa estressante pessoalmente.

As reuniões digitais também podem ser um problema. Se você tem dificuldade em falar durante as reuniões presenciais, ter uma câmera na sua frente pode piorar ainda mais as coisas. O segredo é o bom senso! 

Priorizando a saúde mental: xô, trabalho tóxico!

As reuniões digitais podem ser bem-sucedidas. Na verdade, a tecnologia de vídeo, quando usada corretamente, deve tornar as reuniões ainda mais eficientes. Se você acha que suas reuniões remotas permitem que apenas uma pessoa fale, converse com a gerência sobre o assunto.

Caso você não se sinta bem em aparecer na câmera o tempo todo, seja honesto com a chefia. Pense em maneiras de fazer com que os membros da equipe contribuam e compartilhem ideais, criando (e cumprindo!) agendas de reuniões de forma confortável para todos.

De acordo com uma pesquisa recente da Monster.com, 68% dos funcionários que trabalham em casa estão sofrendo com a Síndrome de Burnout. Por quê? A explicação é simples: desligar-se do trabalho é muito mais difícil quando o escritório está na nossa casa. Alguns de nós simplesmente não estão desligando. Nunca! No esquema home-office, fazer a separação entre vida pessoal e rotina de trabalho é um exercício indispensável – mas complicado.

Junte o trabalho a fatores domésticos estressantes, problemas com os filhos, casamento, louça para lavar e a transformação da sua casa em uma empresa 24 horas por dia, 7 dias por semana: aí você tem a receita para o esgotamento total.

O esgotamento pode rapidamente transformar um local de trabalho anteriormente saudável em um lugar tóxico. Mas lembre-se de que a comunicação é a chave para fazer a colaboração digital funcionar. Se você sente que está um ambiente nocivo para a sua saúde mental, ouça sua intuição. Procure ajuda!