Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Novas pesquisas revelaram que há uma associação entre a ingestão de carne crua e a presença de bactérias resistentes a antibióticos no intestino de cães

Dois estudos realizados por pesquisadores da Universidade de Bristol revelaram que cães que possuem uma dieta à base de carne crua são mais propensos a excretar bactérias resistentes a antibióticos Escherichia coli (E. coli) em suas fezes. Pesquisas anteriores mostraram que existe o potencial de bactérias serem compartilhadas entre cães e seus tutores humanos por meio da interação cotidiana, levando os pesquisadores a acreditarem que a alimentação crua não é a escolha alimentar mais segura. 

Os estudos mostraram que os cães podem excretar bactérias resistentes independente da idade ou do tempo em que são alimentados com uma dieta à base de carne crua. O ambiente em que um cão vive também desempenhou um papel no potencial de excreção de bactérias resistentes. 

Os dois estudos recrutaram um total de 823 cães e seus tutores (223 filhotes para o primeiro estudo e 600 cães adultos no segundo estudo). Os proprietários preencheram questionários sobre seus cães, suas dietas e ambiente de vivência, além de fornecerem amostras fecais dos animais.

As amostras foram analisadas quanto à presença de E. coli resistente a antibióticos e análises de fatores de risco realizadas para explorar as associações entre fatores de estilo de vida, ambientes relatados na pesquisa do proprietário e a detecção de E. coli resistente.

Matthew Avison, professor de Bacteriologia Molecular da Escola de Medicina Celular e Molecular, que liderou os aspectos microbiológicos desses estudos, disse que cães alimentados com carne crua são mais propensos a carregar bactérias resistentes a importantes medicamentos usados em humanos, o que não significa necessariamente que o animal, ou o dono, ficará doente.

“A E. coli é uma bactéria disseminada que é encontrada nos intestinos de todos os seres humanos e animais, no entanto, é uma causa comum de muitas doenças, incluindo infecção do trato urinário, e pode causar doenças graves, incluindo sepse, se se espalhar para outras partes do corpo.

“Devemos fazer tudo o que pudermos para reduzir a circulação de E. coli e outras bactérias criticamente importantes e resistentes a antibióticos. Nossa pesquisa contribui para a crescente evidência de que não alimentar cães com carne crua pode ajudar nesse objetivo”.

“Sabemos que humanos e animais compartilham bactérias entre si, então o que encontramos em seu animal de estimação também pode estar em você, acrescentou Kristen Reyher, Professora de Epidemiologia Veterinária e Saúde da População na Bristol Veterinary School e coautora de ambos os artigos. “Todos nós podemos fazer nossa parte para diminuir a resistência aos antibióticos e seus terríveis efeitos na saúde humana e animal”.

Phys

Avatar do autor Stella Legnaioli
Escrito por:

Stella Legnaioli

Gestora ambiental formada pela Universidade de São Paulo e jornalista pelo Portal eCycle, nasci na Avenida Paulista, sou vegana e livre de glúten e aceito convites para morar em uma ecovila!