Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Plantas silvestres comestíveis são ricas em nutrientes, acessíveis e mais resistentes que produtos industrializados

As plantas silvestres comestíveis podem ser encontradas em diversos lugares ao redor do mundo. Em canteiros nas ruas, em montanhas ou florestas, as plantas silvestres comestíveis são alternativas com nutrientes o suficiente para alimentar uma pessoa. 

Plantas silvestres comestíveis fazem parte do patrimônio cultural e genético de diversas regiões do mundo. No entanto, cada local tem as suas espécies únicas e locais. Isso significa que algumas plantas silvestres comestíveis não podem ser achadas em todo o mundo. 

O consumo de plantas silvestres comestíveis tem papel significativo em períodos de fome e escassez, principalmente quando se trata de regiões rurais e suburbanas. Em regiões centrais, como capitais e grandes centros metropolitanos, o seu consumo não é incentivado ou comercializado. Porém, essas plantas podem ser encontradas também em áreas urbanas e têm potencial para se tornarem grandes contribuidoras da dieta humana em áreas desenvolvidas.

Segundo artigo do phys.org, existem mais de 7 mil espécies de plantas silvestres comestíveis.  Esses alimentos servem para receitas diversas, saudáveis e nutricionais para comunidades mais tradicionais. Por serem reservatórios genéticos de certa importância para cultivo e reprodução, elas são usadas em culturas alimentares locais.  

Apesar de fornecerem pouca energia, as plantas silvestres comestíveis são ricas em micronutrientes e podem gerar muitos benefícios para a saúde. 

Benefícios de plantas silvestres comestíveis  

Alguns dos principais benefícios de plantas silvestres comestíveis são:

  • Costumam ser de graça;
  • São geneticamente mais resistentes que outras plantas, por crescerem livremente na natureza;
  • Seus sistemas de raízes são mais longos, o que faz com que as plantas silvestres comestíveis sejam mais resistentes à seca; 
  • Comer plantas silvestres comestíveis locais é mais seguro para seu sistema imune, pois elas enfrentam os mesmos organismos que o seu corpo;
  • Sair para colher plantas silvestres comestíveis é um incentivo para uma caminhada,  absorver vitamina D, por meio da luz do Sol e aproveitar um momento  relaxante;
  • A maioria das plantas silvestres comestíveis é mais nutritiva do que os produtos industrializados.

Saiba identificar plantas tóxicas 

Identificar plantas silvestres comestíveis pode ser difícil, mas se você souber todas as características certas da espécie, então não tem erro. A principal dica para não confundir plantas tóxicas com as comestíveis é não comer o que não consegue reconhecer. 

Desta forma, ao colher plantas silvestres comestíveis tenha certeza que aquela espécie que você está colhendo é a certa. Se você não tiver total certeza, não coma. Não será preciso decorar o nome de todas as plantas tóxicas se você simplesmente não comer o que não tem conhecimento.

Outras formas de identificar plantas tóxicas são:

  • Seiva branca leitosa;
  • Espinhos ou pêlos finos nas folhas ou caules;
  • Vagens com bulbos, feijões, ou sementes;
  • Caules ou troncos que têm cheiro de amêndoa;
  • Folhagem com três folhas;
  • Esporões rosa, roxo ou preto na cabeça do grão;
  • Folhagem que faz lembrar endro, salsa ou cenoura francesa;
  • Sabor intensamente amargo ou saponificado.

Conheça 5 plantas silvestres comestíveis brasileiras 

Beldro ou Caruru 

O beldro, ou Amaranthus blitum, são plantas silvestres comestíveis que podem ser consumidas cruas ou cozidas. A parte da planta que pode ser comida é a folha. Para conseguir identificar o beldro é preciso considerar o tamanho da planta, ela precisa ter entre 20 e 60 centímetros. 

A sua cor é o verde-escuro e seu caule tem ramificações avermelhadas. Suas folhas são afiadas e com bordas irregulares. A beldro é considerada uma planta medicinal devido às suas propriedades antioxidantes e por ser rico em vitamina A ,B, C, B1, B2, B3 e minerais como o cálcio, ferro e fósforo. 

Dente-de-leão

O dente-de-leão é uma planta silvestre comestível desde que ela começa a se desenvolver até a sua maturidade. No entanto, seu consumo não é recomendado quando ela começa a murchar, pois o sabor muda, assim como a textura. Apesar de ser considerada uma erva daninha, o dente-de-leão tem propriedades antioxidantes e de efeito diurético.

Para identificar a planta silvestre comestível, é preciso verificar se ela tem folhas lanceoladas uniformes, em formato triangular e bordas serrilhadas. Seu caule costuma ser curto entrelaçado e suas folhas são amarelas. É comum que o dente-de-leão chegue até 40 cm de altura.

Beldroega

O nome científico da beldroega é “Portulaca oleracea”. Essa planta silvestre comestível é uma espécie rasteira arbustiva que se assemelha às suculentas. Ela é originária da Índia e do sul da Europa, mas acabou se espalhando pelo mundo todo devido aos seus usos medicinais durante séculos.

A beldroega tem um sabor ácido, suas folhas podem ser consumidas cruas ou cozidas junto de seu caule. Em sua aparência, a beldroega tem flores de cor amarela, com cinco pétalas escondidas sob a folhagem. O seu caule é liso de cor avermelhada e se estende pelo solo. 

Tanchagem

A tanchagem, ou Plantago major, é uma planta silvestre comestível vegetal herbácea, que tem origem na Ásia e na Europa. Ela se espalhou pelo território brasileiro e é majoritariamente usada como anti-inflamatório, cicatrizante, diurético e expectorante. 

O caule da tanchagem precisa ser livre de ramificações, a sua altura varia entre 30 e 50 centímetros e seu rizoma — caule que cresce horizontalmente — é amarelo. Por fim, as folhas da tanchagem são de cor verde e suas flores são espetadas com tom de verde-claro e descolorações brancas.

Aipo-dos-cavalos

O aipo-dos-cavalos é uma planta silvestre comestível usada desde a antiguidade para aromatizar pomadas e outros alimentos, como arroz e salada. Ela é conhecida por conter altos níveis de vitamina C e propriedades diuréticas e purificadoras. 

Para reconhecer o aipo-dos-cavalos é preciso verificar se seu caule é maciço, ou oco em espécies mais antigas. Suas folhas também são irregulares e finas. Esta planta silvestre comestível também produz flores e frutos, suas flores têm cor amarelo-esverdeada e seus frutos uma pigmentação de preto. O aipo-dos-cavalos pode chegar até um metro e meio de altura. 

Saiba armazenar suas plantas silvestres comestíveis 

Congelar: É possível armazenar suas plantas silvestres comestíveis por congelamento. Antes de armazená-las, lave as plantas com água gelada e deixe-as de molho no vinagre. Depois que estiverem limpas e secas, armazene-as em potes ou sacos de congelador, certifique-se de que as embalagens estão bem lacradas.

Secar: se as plantas silvestres comestíveis estiverem limpas, não as molhe. Apenas retire a poeira e sujeiras com um pouco de umidade. Remova as folhas danificadas ou mortas e prenda a planta com um elástico em uma corda, de modo que ela fique pendurada. Mantenha ela assim em um lugar que não recebe luz direta do Sol, mas que é quente, seco e tem ar circulando.

Depois que ela estiver completamente seca, armazene-a em potes, vasilhas ou sacos. A secagem das folhas também pode ser feita no forno, assando as plantas silvestres comestíveis em baixa temperatura por um curto período de tempo.