Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Dieta hipocalórica é um tipo de restrição alimentar usada para o tratamento de diabetes tipo 2 e perda de peso

Dieta hipocalórica é composta por um cardápio de alimentos com baixa quantidade de calorias. O objetivo principal de uma dieta hipocalórica é a perda de peso em um período de tempo limitado. Isso porque ela consiste na restrição do consumo de pratos ricos em calorias. Este tipo de dieta é usada no tratamento de diabetes tipo 2 e outras condições de saúde. 

A dieta hipocalórica requer acompanhamento nutricional, exatamente porque ela reduz o consumo normal de caloria para aproximadamente um terço. De maneira geral, é comum que homens consumam 2.500 calorias por dia e mulheres, 2 mil. Quando uma pessoa está sob uma dieta hipocalórica, ela passa a ingerir de 800 a no máximo 1200 calorias

 É necessária orientação de um nutricionista ou nutrólogo, pois a dieta hipocalórica precisa atender a demanda de alimentos do organismo do indivíduo. Além do mais, algumas pessoas têm condições pré-existentes que não permitem que elas adotem uma rotina de dieta hipocalórica. 

Quando deve ser feita? 

A dieta hipocalórica não é recomendada como uma solução estética. Na verdade, ela é usada apenas quando se precisa perder peso para cirurgias, em casos de tratamento de diabete tipo 2 e de pessoas com obesidade. Ou seja, a dieta hipocalórica é recomendada quando é necessária para se alcançar o bem-estar e qualidade de vida. 

Quando feita de maneira incorreta, sem apoio de um nutricionista e sem os cuidados necessários, a dieta hipocalórica não é sustentável. Desta forma, mesmo que durante o período da dieta hipocalórica se perca uma boa quantidade de peso,  a pessoa com restrição de calorias pode rapidamente retornar ao normal após a finalização da dieta.

Se você vai se preparar para uma cirurgia ou tratamento de infertilidade, a dieta hipocalórica talvez seja necessária. Nesse caso, ela provavelmente só será fundamental durante esse processo. Logo depois será recomendado para que se encerrem as restrições alimentares.

No caso da perda de peso em pessoas com obesidade, a dieta hipocalórica é realizada de maneira gradual. Para que seja evitado o ganho de peso após o fim da restrição alimentar. Assim, a perda de peso também demora mais tempo, pois o corpo precisa se acostumar com a dieta hipocalórica. Segundo estudo publicado pelo ​Translational Behavioral Medicine, até mesmo a menor mudança no peso tem grande impacto na saúde dessas pessoas. 

Por fim, a dieta hipocalórica utilizada no tratamento de diabetes do tipo 2 ajuda no controle dos níveis de açúcar no sangue. Muitas pessoas que adotam a dieta hipocalórica como tratamento de diabetes, com ajuda de um profissional, param de tomar  medicação. Isso porque se encontra uma estabilidade nos níveis de açúcar no sangue.

Quem não deve fazer?

O cuidado com a dieta hipocalórica é essencial principalmente para algumas pessoas em específico. Antes de começar esse tipo de restrição alimentar procure um nutricionista e questione se é a dieta certa para você. O grupo de indivíduos que não podem adotar a dieta hipocalórica são: 

  • Infarto recente;
  • Distúrbios psiquiátricos;
  • Diabetes;
  • Problemas cardíacos;
  • AVC;
  • Problemas renais ou hepáticos;
  • Câncer.

Quais as características da dieta hipocalórica? 

Para conseguir alcançar sucesso em uma dieta hipocalórica, é preciso consumir menos calorias do que normalmente seu corpo queima. A ideia é criar um déficit de energia, ou seja, queimar mais calorias do que seu corpo tem. Por isso, é importante manter uma rotina de exercícios junto da dieta hipocalórica.

No entanto, não exagere nas atividades físicas, exercícios que requerem muita força podem acabar causando mal-estar. A meta ideal é ingerir cerca de cinco refeições por dia, todas elas equilibradas. Para que não exista vontade de compensar em outra refeição. Afinal, a insulina liberada virá em menor quantidade, o que ajudará a manter o sentimento de saciedade. 

Quando se inicia uma dieta hipocalórica não se limita um prazo específico, e sim um peso necessário de se perder. Logo, é preciso ter em mente qual sua meta de peso, e ir trabalhando com a dieta para perdê-lo ao decorrer do processo. Depois de decidir uma meta, será preciso escolher os melhores alimentos para se adotar na dieta hipocalórica.

Como montar seu plano de alimentação?

Antes de começar a dieta hipocalórica, leve em consideração algumas das dicas a seguir:

Café da manhã: essa refeição deve ser robusta, por ser a primeira refeição do dia, ela deve ser rica e cheia de variedade como frutas, vegetais e cereais;

Meio da manhã: a pessoa se alimenta de algum tipo de fruta

Hora do almoço: nesta hora é ideal comer carboidratos (macarrão, arroz, tapioca, batata e vegetais), que ajudam a liberar energia mais devagar. Energia essa que será usada mais tarde no dia;

Lanche da tarde: a melhor opção de lanche é uma fruta;

Janta: essa refeição deve ser leve, porque restam apenas poucas horas do dia para que o corpo queime gordura. 

Quais os efeitos da dieta hipocalórica? 

Quando não se tem um bom acompanhamento nutricional durante a dieta hipocalórica, ou ela não é feita da forma correta, é possível a presença de efeitos colaterais negativos. É preciso muito preparo emocional e cuidados, pois uma dieta hipocalórica pode ser um desafio para muitas pessoas.

Confira sintomas negativos da dieta hipocalórica

Quando usada para o tratamento da diabete tipo 2, a dieta hipocalórica também pode causar quadros de hipoglicemia. Por essa questão, é necessário checar os níveis de açúcar no sangue frequentemente.

Quando buscar ajuda nutricional? 

Antes de começar uma dieta hipocalórica sozinho, procure orientação nutricional. A realização dessa restrição alimentar pode ser perigosa, e às vezes pode gerar resultados negativos. Converse com o seu nutricionista, pergunte quais os alimentos são ideais para a sua dieta hipocalórica.

Apenas um profissional da área pode fazer o encaminhamento correto. Desta forma, torna- se mais fácil lidar e realizar o processo da dieta hipocalórica. Além disso, a retomada das refeições depois de acabar a dieta hipocalórica também fica mais fácil de ser realizada. Sempre levando em conta que é necessário manter uma dieta saudável e balanceada.

Depois de passar pelo procedimento da dieta hipocalórica, o equilíbrio de uma alimentação saudável com uma rotina de exercícios torna-se quase rotineiro.