Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Pesquisadores da Universidade de Viena descobriram que os cães conseguem identificar quando as pessoas estão mentindo para eles

Seu cachorro pode ser muito mais esperto do que você imaginava. Uma equipe de pesquisadores da Universidade de Viena, na Áustria, descobriu que, às vezes, os cães são capazes de reconhecer quando nós mentimos para eles. Em um artigo publicado este mês na revista Proceedings of the Royal Society B, a equipe detalhou os experimentos conduzidos com centenas de cães e relatou as descobertas que fizeram sobre a capacidade canina de detectar mentiras.

Me engana que eu gosto…

Em estudos anteriores, cientistas já testaram a habilidade de adultos humanos para identificar quando alguém mente ou diz a verdade. Mas os pesquisadores austríacos estavam curiosos para descobrir se cães domésticos poderiam apresentar o mesmo “talento”. Por isso, a equipe desenvolveu experimentos simples com 260 cachorros voluntários, de raças diferentes.

No primeiro estágio do estudo, o grupo de pesquisa condicionou os cães a seguir o conselho de um ser humano desconhecido para escolher entre duas tigelas: uma vazia e outra com uma guloseima escondida. Seguindo o conselho, eles receberam o petisco.

Em seguida, os pesquisadores decidiram deixar as coisas mais interessantes. Primeiro, eles permitiram que os cães observassem enquanto um segundo ser humano desconhecido movia o petisco de uma tigela para outra, na presença de um terceiro ser humano desconhecido. Em outros casos, esse terceiro ser humano não chegava a testemunhar a troca.

Ao colocarem os cães novamente na situação do primeiro estágio do estudo – quando os animais deveriam seguir o conselho do terceiro humano desconhecido para escolher a tigela com petisco –, os pesquisadores obtiveram resultados surpreendentes.

Além de todos os cães terem ignorado o conselho das pessoas que não haviam presenciado a troca, metade dos cachorrinhos demonstrou saber quando o terceiro humano apontava, propositalmente, para a tigela errada – mesmo que ele estivesse presente quando o petisco foi movido de lugar. Essa evidência indica que, pela observação, os cães foram capazes de entender que os humanos estavam mentindo para eles.

Uma curiosidade

No artigo, os pesquisadores lembraram que experimentos idênticos já haviam sido realizados, em estudos anteriores, com humanos menores de cinco anos, macacos e chimpanzés. Nessas experiências, as crianças e os animais se mostraram muito mais dispostos a seguir o conselho do humano mentiroso do que os cães, ainda que soubessem que ele estava mentindo. A equipe acredita que essas diferenças dizem respeito ao nível de confiança: aparentemente, crianças, macacos e chimpanzés confiam muito mais em humanos desconhecidos do que cachorros.