Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Algumas pessoas adotam a dieta da carne crua com intuito de manter os nutrientes do alimento, no entanto, este tipo de prática pode ser cercada de riscos à saúde

Adotar a dieta da carne crua é perigoso. Os riscos envolvidos nessa prática não compensam seus supostos benefícios. Isso porque boa parte das carnes animais contém bactérias que são nocivas ao organismo humano. Por este motivo, quando uma pessoa ingere carne crua, ela corre o risco de desenvolver diversas doenças graves

De acordo com o U.S. Centers for Disease Control and Prevention, a maior parte dos alimentos presentes na dieta da carne crua contém bactérias como Campylobacter, Salmonella, Clostridium perfringens, E. coli e Yersinia. Todas essas bactérias são patogênicas, ou seja, causam doenças como infecções, diarreia, hepatite A e intoxicação alimentar

Apesar de alguns pratos da dieta da carne crua serem mundialmente conhecidos, como o sushi e o ceviche, eles não são totalmente seguros. Ainda existe o risco de desenvolver doenças com o consumo de sushi, por exemplo. No entanto, é comum que existam avisos nesses produtos sobre os riscos de contaminação.

Tipos de carne crua e seus riscos

dieta da carne crua

Se você adotou alguma dieta da carne crua recentemente, talvez seja melhor parar ou se informar mais sobre o assunto antes de prosseguir com a prática. Confira a seguir os mais diversos tipos de carne crua que são ingeridos, e quais são os seus riscos:

Sushi

Os ingredientes principais do sushi são vegetais, frutas, peixe cru e algas. Esse prato pode ser uma ótima alternativa para conseguir vitaminas e minerais essenciais, além de ser uma boa fonte de ácidos graxos ómega-3. No entanto, se o peixe não for tratado de maneira correta, ele pode conter bactérias e parasitas que causam vômito, diarreia e dor de estômago. 

Mulheres grávidas, crianças e pessoas com problemas no sistema imunológico devem evitar o consumo de peixe cru. Também é preciso evitar o consumo de peixes que têm alta concentração de mercúrio, como peixe-espada, atum-patudo, e tubarão.

Porco

A carne de porco não é muito usada em pratos da dieta da carne crua, no entanto, existem pessoas que optam por comer esse alimento mal passado ou praticamente sem nenhum cozimento. 

A carne de porco crua pode conter bactérias como a salmonella, E. Coli e listeria (causadora da listeriose). É possível ficar doente apenas consumindo carne que foi cortada em tábuas que foram usadas anteriormente para cortar carne de porco crua. Por isso, sempre limpe bem seus utensílios de cozinha. 

Ovo

O ovo precisa ser cozido por tempo suficiente para que sua gema e clara fiquem sólidas. Quando o ovo é adicionado à dieta da carne crua, ele pode causar intoxicação alimentar devido à presença de salmonella em sua composição. Em receitas que é necessário o uso de ovos crus, utilize apenas ovos pasteurizados.

Frango

O frango não é muito popular quando se trata da dieta da carne crua. Isso porque a carne do animal costuma ter mais poros, o que facilita a entrada de bactérias em seu interior. Comer frango cru pode causar problemas como salmonella e campylobacter, bactéria causadora da diarreia infecciosa. 

Boi

Quando adicionada a uma dieta da carne crua, a carne bovina é bastante perigosa. Quando preparado de maneira incorreta, e ingerido ainda cru, este alimento pode causar doenças como infecções intestinais, diarreia intensa ou com sangue, dor abdominal e intoxicação alimentar.

Isso porque a carne bovina pode estar contaminada com salmonella, shigella e escherichia coli, além de protozoários como a taenia. Se você gosta de comer um churrasco mal passado, atente-se à limpeza da carne. Peças de carne bovina costumam conter bactérias apenas em sua superfície, sendo mais fácil de eliminá-las. 

No entanto, o consumo de carne bovina crua na forma da carne moída ou de hambúrguer é de maior risco. Já que a trituração do alimento pode fazer com que as bactérias e parasitas se misturem com o resto da carne. 

Vegetarianos e veganos também precisam tomar cuidado 

A dieta da carne crua não é um problema apenas para aqueles que consomem carne animal. As pessoas que só consomem alimentos sem crueldade animal, como os veganos, também precisam tomar cuidado com seus alimentos crus.

Alguns vegetais e grãos precisam ser propriamente cozidos antes de serem ingeridos, pois também podem apresentar parasitas, bactérias e toxinas nocivas ao organismo humano. Por isso, certifique-se de sempre cozinhar e lavar bem suas batatas e cogumelos antes de servi-los. 

Intoxicação alimentar e a dieta da carne crua 

Também chamada de doença de origem alimentar, a intoxicação alimentar é um dos maiores riscos envolvidos na adoção da dieta da carne crua. Essa doença se desenvolve depois do contato do organismo com patógenos da carne crua. Essa contaminação geralmente acontece durante o abate da carne, que pode gerar contato com bactérias patogênicas.  

Os principais sintomas da intoxicação alimentar são náusea, vômito, diarreia, cólica abdominal, febre e dor de cabeça. Esses sintomas podem aparecer dentro de 24 horas depois do consumo da carne crua, ou até sete dias depois dependendo da bactéria ou parasita. 

A forma mais segura de eliminar os patógenos da carne crua é cozinhando. Caso contrário, os riscos de contrair uma intoxicação alimentar ou outros tipos de doenças alimentares são grandes. 

Não existem benefícios da dieta da carne crua

Apesar de alguns estudos apontarem que manter a carne crua ajuda a preservar as proteínas e nutrientes do alimento, não existem provas do benefício de manter uma dieta da carne crua. Na verdade, a maior parte das pesquisas apontam que cozinhar a carne aumenta os níveis de minerais do alimento, mais especificamente de cobre, zinco e ferro.

Ainda é necessário uma gama maior de estudos a respeito da redução ou preservação de nutrientes durante o cozimento da carne. No entanto, qualquer tipo de benefício possa existir na dieta da carne crua é totalmente anulado pelos riscos de contrair uma intoxicação alimentar. Afinal, essas doenças alimentares podem durar dias e causar danos severos aos órgãos internos de uma pessoa. 

É possível reduzir os riscos da dieta da carne crua 

A dieta da carne crua não é recomendada em nenhuma situação. No entanto, alguns pratos são culturais em diversos países e muitas pessoas adoram se deliciar com iguarias que acabam usando a carne crua. Por isso, se você gosta de comer sushi, é bom ter algum tipo de cuidado com o seu alimento.

O ideal é não comer nenhum tipo de carne de frango crua, pois o risco deste alimento estar infectado é muito grande. Se você planeja comer carne bovina mal passada, opte sempre por aquelas que não são moídas, já que o processamento contamina a carne com bactérias.

A carne moída costuma ser feita com várias carnes de vários bois, o que aumenta a chance de ter patógenos. O mesmo se aplica à carne de porco. No entanto, quando se trata da carne crua do peixe, os riscos do consumo são menores.

Isso acontece porque, quando capturados, os peixes costumam ser congelados, o que ajuda a eliminar a maioria dos causadores de doenças. Optar por peixes frescos e de vendedores locais também é uma boa alternativa para reduzir os riscos do consumo de animais crus.