Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Chlorella e spirulina são organismos diferentes, mas com propriedades semelhantes e benéficas à saúde

Imagem de Alice Pasqual no Unsplash

Chlorella e spirulina, comumente, são referidas como algas azul-esverdeadas semelhantes. Mas, na verdade, enquanto a chlorella é uma alga subdividida em mais de 30 espécies, a spirulina é uma cianobactéria. Cianobactéria é um filo, pertencente ao domínio Bacteria. Nele, há organismos que não podem ser denominados nem como bactérias nem como algas, como é o caso da spirulina.

Outra diferença fundamental entre chlorella e spirulina está na divisão celular: cianobactérias são procarióticas, enquanto a maioria das algas é eucariótica, apresentando estrutura mais complexa.

Apesar disso, a chlorella e a spirulina possuem semelhanças. Ambas são ricas em vitaminas B, proteínas, possuem propriedades desintoxicantes e ajudam a reparar células musculares rompidas depois de um treino intenso, sendo ingredientes comumente utilizados por atletas vegetarianos e veganos.

Benefícios da chlorella e spirulina

Apesar de distintas, a chlorella e spirulina funcionam como suplementos alimentares que fornecem diversos nutrientes e vitaminas e auxiliam em certos problemas de saúde. Confira alguns dos seus benefícios:

São nutritivas

A chlorella possui cerca de 50% a 60% de proteínas, sendo uma fonte completa, pois possui todos os nove aminoácidos essenciais. A alga também é fonte de ferro e vitamina C, que ajuda na absorção do ferro. Além disso, a chlorella possui uma ampla gama de antioxidantes, vitaminas e minerais, como magnésio, zinco, cobre, potássio, cálcio, ácido fólico, vitaminas do complexo B e ácidos graxos ômega-3.

A spirulina é rica em clorofila, proteínas, contém todos os aminoácidos essenciais e também vitaminas, fitonutrientes, minerais, antioxidante betacaroteno (que pode ser convertido em vitamina A), ácido gamalinoleico e ferro.

Podem melhorar a saúde do coração

Um estudo publicado no Nutrition Journal mostrou que uma dose diária de 416 miligramas de chlorella melhorou os níveis de lipídios no sangue em 62 adultos com colesterol moderadamente elevado. Não houve reduções significativas nos níveis de colesterol total e triglicerídeos, mas houve aumento do colesterol HDL, que é considerado o colesterol bom.

A chlorella é rica em antioxidantes e, por isso, pode ajudar a prevenir a oxidação do colesterol LDL que contribui para doenças do coração. Além disso, ela possui carotenoides que podem reduzir o colesterol naturalmente (confira estudos a respeito: 1, 2, 3, 4).

Uma pesquisa de três meses feita com 52 pessoas com colesterol alto descobriu que tomar uma grama de spirulina por dia reduziu os triglicerídeos em 16% e o colesterol LDL (ruim) em cerca de 10%. Portanto, chlorella e spirulina podem ser boas aliadas da saúde cardiovascular.

Beneficiam o controle de açúcar no sangue

A sensibilidade à insulina mede quão bem as células estão respondendo ao hormônio insulina, responsável por levar o açúcar no sangue para fora do sangue e para dentro das células, onde é usado como energia.

Diversos estudos indicam que a spirulina pode ajudar a aumentar a sensibilidade à insulina em animais e humanos (confira estudos a respeito: 5, 6, 7). Outros estudos descobriram que tomar suplementos de chlorella pode aumentar o controle do açúcar no sangue e também a sensibilidade à insulina (confira estudos: 8, 9, 10).

Como tomar chlorella e spirulina

A chlorella tem uma parede celular dura que o corpo humano não consegue digerir. Por isso, ela é consumida por meio de suplementos, em cápsulas, comprimidos, pó ou extrato – assim como a spirulina.

Para obter uma alimentação saudável com a chlorella e spirulina, em pó, elas podem ser adicionadas em diversos alimentos e bebidas, como água, suco, iogurte e vitaminas. Elas também podem ser acrescentadas em outras receitas, como molhos, vinagrete, sopas e refogados. Essas são algumas opções simples para consumir a chlorella e spirulina:

  • Suco de limão refrescante com chlorella ou spirulina em pó;
  • Suco natural de laranja ou abacaxi com chlorella ou spirulina em pó;
  • Abacate amassado, chlorella em pó e temperos a gosto;
  • Suco detox ou smoothie com chlorella ou spirulina em pó.

Não há diretrizes sobre o uso adequado de chlorella e spirulina. Os suplementos costumam ter formulações de 500 miligramas a 1.000 miligramas. O ideal é começar com uma dose pequena e aumentar gradualmente, sem exceder as doses recomendadas pelo fabricante do suplemento e obtendo prévia orientação médica. Isso também te ajudará a perceber qual a quantidade ideal para atingir um gosto agradável ao seu paladar.

Efeitos colaterais

A spirulina não costuma apresentar efeitos colaterais, embora, em alguns casos, possa causar:

O ideal é obter orientação médica antes de começar a tomar esses suplementos, principalmente pessoas que estejam grávidas, amamentando ou que tenham problemas de tireoide, distúrbio autoimune, gota ou cálculo renal.

A chlorella é considerada segura e dificilmente causa efeitos colaterais graves. No entanto, nas primeiras semanas consumindo a alga, podem aparecer algumas reações, como:

  • Gases;
  • Náusea;
  • Dores de estômago;
  • Diarreia;
  • Fezes esverdeadas, devido à quantidade de clorofila da alga.

    À medida que o organismo se acostuma com a substância, esses efeitos colaterais vão desaparecendo. Em alguns casos bem específicos, a chlorella pode causar alergia. Por isso, recomenda-se ingerir uma dose bem pequena para funcionar como um teste, verificando se algum sintoma alérgico aparece.


    Fontes: Bon Appetit, Healthline (1, 2), One Green Planet, Organic Burst, Paversul e Very Well Health (1, 2).


    Veja também: