O que é dieta cetogênica

eCycle

Dieta cetogênica recomenda reduzir ingestão de frutas e vegetais de raiz e tubérculos, podendo ser perigosa

A dieta cetogênica é um plano alimentar que tem como objetivo aumentar a ingestão de alimentos com alto teor de gordura como carnes e queijos e diminuir aqueles ricos em carboidratos. Os defensores dessa dieta afirmam que ela tem benefícios contra diabetes, câncer, epilepsia e Alzheimer, mas ela pode ser perigosa. Ela recebe esse nome porque expõe o organismo a um estado metabólico chamado cetose. Quando isso acontece, o organismo aumenta a eficiência na conversão de gordura em energia.

Como é feita a dieta cetogênica

A dieta cetogênica padrão recomenda a ingestão de 75% de gordura, 20% de proteína e 5% de carboidratos. Um estudo descobriu que pessoas que seguem uma dieta cetogênica perdem 2,2 vezes mais peso do que aquelas que reduzem calorias e gordura. Ela também pode ser benéfica para diabéticos, pois diminui os níveis de açúcar e melhora da sensibilidade à insulina.

Na dieta cetogênica são evitados alimentos como: refrigerante, suco de frutas, bolos, sorvetes, cereais, trigo, arroz, massas, frutas, ervilha, feijão, lentilha, grão-de-bico, batata, batata doce, cenoura, molhos, óleos refinados, maionese, álcool e alimentos processados.

Por outro lado, os defensores da dieta cetogênica recomendam a ingestão de carne vermelha, presunto, peixes, salsicha, bacon, frango, peru, ovos, queijos, azeite, óleo de coco, óleo de abacate, folhas verdes, tomate, cebola, pimentão, sal, especiarias, castanhas e sementes como a de chia e a de abóbora.

Possíveis benefícios

Uma revisão bibliográfica feita pelo portal Healthline concluiu que a dieta cetogênica pode melhorar quadros de doença cardíaca, câncer, mal de Alzheimer, epilepsia, mal de Parkinson, síndrome do ovário policístico, lesões cerebrais e acne (confira aqui os estudos a respeito (1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10, 11, 12, 13, 14).

Perigos

A dieta cetogênica é desequilibrada do ponto de vista nutricional, não sendo recomendada ser feito sem o acompanhamento e recomendação de um nutricionista ou nutrólogo. Alguns nutricionistas afirmam que ela pode ser perigosa para a saúde. Alguns riscos da dieta cetogênica incluem:

  • Desidratação
  • Colesterol LDL (ruim) elevado
  • Hipoglicemia
  • Deficiência de vitaminas e minerais
  • Hipocalcemia (falta de cálcio)
  • Vômitos
  • Diarreia
  • Aceleração de batimentos cardíacos
  • Excesso de gordura no fígado
  • Cirrose
  • Cálculo renal
  • Ácido úrico elevado
  • Excesso de gordura no sangue
  • Problemas em órgãos vitais
  • Distúrbios alimentares
  • Alterações no ritmo circadiano

É insustentável

Cerca de 70% da população mundial está largando ou reduzindo consumo de carne e isto não é à toa. Alimentar-se de vacas, porcos, frangos e derivados animais está cada dia mais relacionado a impactos socioambientais significativos. Muito se diz, inclusive, que uma atitude sustentável começa pela escolha dos itens da composição de um prato. Afinal de contas, a produção agropecuária, sozinha, é uma das maiores emissoras de gases do efeito estufa, poluidora de solos, rios e atmosfera com agrotóxicos, hormônios e combustíveis fósseis emitidos durante a colheita de grãos que servirão de ração para alimentar o gado e outros animais. Ainda que se opte por consumir peixes acreditando ser saudável ou ecofriendly, há um engano nessa atitude, pois a maior parte do pescado está relacionada a uma prática nociva chamada pesca fantasma. E boa parte de peixes considerados saudáveis, como o salmão, seja criado em cativeiro ou selvagem, está contaminada por mercúrio e Pcbs.

Sem falar sobre questões envolvendo crueldade, deixar de consumir derivados animais é mais efetivo contra gases-estufa do que deixar de andar de carro. Além disso, uma pesquisa mostrou que, se todos fossem veganos (vegetarianos estritos), oito milhões de mortes anuais seriam evitadas e a poluição diminuiria em dois terços! Um outro estudo, publicado na revista The Lancet, concluiu que a produção e o consumo de alimentos devem mudar drasticamente para evitar mortes e danos catastróficos para o planeta. Segundo a pesquisa, aderir ao veganismo é a forma mais efetiva de salvar o planeta.

Por isso, não sendo uma recomendação médica e sua saúde estando em dia, procure evitar dietas com uma pegada de carbono elevada, como as que recomendam alta ingestão de derivados animais. Além de ser perigoso para sua saúde por não ser uma dieta equilibrada, faz mal para o planeta. Ainda que você consuma vegetais cultivados com agrotóxicos, saiba que eles possuem menos substâncias nocivas que derivados animais. Isso porque a maioria dos agrotóxicos utilizados no cultivo de ração animal, como o glifosato, possuem uma característica lipossolúvel, e se bioacumulam na gordura ao longo da vida do animal. Para se ter uma ideia, uma análise mostrou que agrotóxicos organoclorados estão presentes em maior quantidade no leite materno de mulheres que comem carne, em comparação com as vegetarianas.



Veja também:

 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail

Utilizamos cookies para oferecer uma melhor experiência de navegação. Ao navegar pelo site você concorda com o uso dos mesmos. Saiba mais ×