Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

A dieta elementar é uma dieta líquida, indicada para pessoas com problemas gastrointestinais e digestivos

Imagem de Kelly Sikkema em Unsplash

A dieta elementar é uma fórmula hipoalergênica, antibacteriana e anti-inflamatória, elaborada para substituir as refeições. Esta dieta líquida é facilmente absorvida pelo trato digestivo e fornece todos os macronutrientes e vitaminas essenciais necessários para a saúde. Pesquisas mostram que a dieta elementar é uma das terapias mais eficazes para a cura e a reparação do intestino.

Indicada para condições específicas, sob supervisão médica, a dieta elementar permite que o sistema digestivo faça uma pausa no desempenho de suas várias funções, a fim de se regenerar. Uma vez que nenhum alimento integral está sendo consumido, o intestino também fica livre de intolerâncias e irritantes alimentares.

Como observado em estudos, as dietas elementares reduzem a inflamação intestinal, especialmente em pacientes com doença de Crohn. À medida que a inflamação intestinal diminui, o sistema imunológico se acalma e se torna capaz de se recuperar sozinho. Com menos inflamação, a má absorção melhora e o intestino delgado pode absorver mais nutrientes.

As dietas elementares também ajudam a reequilibrar o supercrescimento bacteriano, diminuindo os microrganismos nocivos e abrindo espaço para uma microbiota mais saudável, com bactérias benéficas para a saúde. A maioria das fórmulas elementares contém L-glutamina, um aminoácido que demonstrou, em diversos estudos, curar a Síndrome do Intestino Permeável, também conhecida como Síndrome do Intestino Solto.

Como funciona a dieta elementar?

As fórmulas elementares são disponibilizadas na forma líquida ou em pó, podendo ser administradas por meio de um tubo de alimentação ou terapia intravenosa, ou misturadas com água e consumidas como uma bebida.

Em regime hospitalar, o plano nutricional elementar pode integrar a terapia nutricional enteral ou nutrição enteral (NE), sendo administrada por meio de sonda ou cateter. As fórmulas também podem ser administradas por via oral, dependendo do estado nutricional ou de saúde do paciente.

Fórmulas elementares contêm proteínas, gorduras e carboidratos, que já foram decompostos em aminoácidos, ácidos graxos e açúcares, além de vitaminas e minerais.

Um plano nutricional elementar é preferencialmente supervisionado por médicos nutricionistas, que recomendam o tipo e a quantidade da fórmula com base nas necessidades calóricas e nutricionais de cada pessoa.

Na maioria dos casos, uma pessoa recebe toda a nutrição de fórmulas elementares, mas algumas pessoas podem obter apenas uma parte de suas necessidades diárias de fórmulas e o restante de alimentos sólidos. Esses casos são chamados de dietas semielementares.

Para quem a dieta elementar é indicada?

As dietas elementares foram desenvolvidas como um alimento médico para tratar pacientes com problemas digestivos graves. Com o tempo, outras aplicações úteis para este plano alimentar foram descobertas. Condições de saúde que podem ser beneficiadas pela dieta elementar incluem:

Desequilíbrios intestinais graves

Usar uma dieta elementar como sua única fonte de calorias por 2 a 3 semanas pode ser útil quando outras terapias intestinais falharam. Pesquisas mostram que a dieta elementar pode ser útil para doença de Crohn, doença celíaca e supercrescimento bacteriano (SIBO).

Surtos inflamatórios

Se você está lidando com uma condição inflamatória, não é incomum ter um surto ocasional. A dieta elementar pode ser muito útil para aliviar rapidamente a inflamação e acalmar o sistema imunológico. Neste caso, 2 a 4 dias substituindo todas as suas refeições por fórmulas elementares podem alcançar resultados significativos.

Supercrescimento bacteriano no intestino delgado (SBID)

Ainda não existem muitas pesquisas sobre dietas elementares e SBID, mas um estudo observou que testes respiratórios da lactulose se normalizaram em 80% dos pacientes com SIBO após duas semanas com dieta elementar, o que indica que a dieta pode ser útil neste caso.

Síndrome do intestino irritável (SII)

Há uma sobreposição significativa entre os pacientes com Síndrome do Intestino Irritável e SIBO (o SIBO pode ser observado em até 78% dos pacientes com SII). Muitos pacientes com SIBO apresentam sintomas de SII, incluindo diarreia, constipação, distensão abdominal, cólicas e dor abdominal. Por isso, a dieta elementar pode beneficiar também pessoas que sofrem com a SII.

Doença inflamatória intestinal (DII)

A maior parte das pesquisas de dietas complementares concentra-se na DII. Estudos demonstraram que as dietas elementares são tão eficazes quanto as drogas anti-inflamatórias, podendo ajudar até 80% dos pacientes a atingir a remissão da doença. As dietas elementares também ajudam os pacientes com DII a prevenir recaídas de inflamação intestinal e autoimunidade.

Doença celíaca

Foi demonstrado em um estudo que uma dieta elementar ajuda a reparar danos intestinais, reduzir a inflamação intestinal e melhorar os sintomas em pessoas com doença celíaca que não respondem totalmente a uma dieta sem glúten. Essas melhorias nos sintomas podem ser devidas aos efeitos anti-inflamatórios e reparadores da dieta elementar.

Doenças autoimunes

Um ensaio clínico demonstrou que uma dieta elementar pode ser tão eficaz quanto o medicamento esteroide anti-inflamatório prednisona no tratamento de artrite reumatoide. Por outro lado, as dietas elementares como tratamento para a autoimunidade não foram bem pesquisadas.

A dieta elementar também pode ser indicada como auxiliar no tratamento das seguintes complicações de saúde:

  • Disfagia grave por obstrução ou disfunção da orofaringe ou do esôfago;
  • Anorexia persistente;
  • Náuseas ou vômitos, em pacientes com gastroparesia ou obstrução do estômago ou do intestino delgado;
  • Síndrome do intestino curto;
  • Broncoaspiração recorrente em pacientes com deglutição incoordenada;
  • Doenças ou desordens que requerem administração de dietas específicas;
  • Esofagite eosinofílica (EoE).

Alguns pacientes desnutridos ou com baixo peso também podem se beneficiar com uma dieta elementar, porque começam a absorver melhor os nutrientes. Os profissionais podem prescrever dietas elementares para pessoas que foram submetidas a cirurgias do trato digestivo ou intestinos, bem como para aquelas que lutam para atender às suas necessidades de nutrientes, como pacientes de câncer.

Algumas pessoas podem tentar seguir uma dieta elementar para perder peso, apesar da falta de evidências que apoiam ​​seu uso por outras razões além do tratamento de condições médicas específicas. No entanto, se você estiver se sentindo lento e prejudicado por causa de escolhas alimentares ruins, uma redefinição do intestino pode ajudá-lo a voltar aos trilhos. Busque orientação médica se você achar que a dieta elementar pode ajudá-lo.

Seguir uma dieta elementar estrita por 2 a 3 semanas pode não ser necessário se você não está lutando com uma doença intestinal grave. Considere começar com uma abordagem mais moderada e veja se ela beneficia você.

Caso decida seguir uma dieta elementar por alguns dias, faça planos para apoiar a saúde intestinal quando a dieta terminar. Probióticos, procinéticos (para alguns pacientes) e uma dieta com baixo teor de FODMAPs podem ser muito úteis.

Tenha cuidado se você tiver problemas de açúcar no sangue. As dietas elementares são ricas em carboidratos simples e podem causar picos de açúcar no sangue.



Veja também: