Sete benefícios do chocolate amargo

eCycle

Chocolate amargo protege a pele do sol, faz bem para o coração e para a saúde mental

Chocolate amargo
Imagem editada e redimensionada de Nicolas Ukrman, está disponível no Unsplash

O chocolate amargo é a versão de chocolate em barra que contém menos açúcar e gorduras ruins. Confira sete benefícios comprovados pela ciência que ele pode proporcionar:

É nutritivo

O chocolate amargo de qualidade com alto teor de cacau é bastante nutritivo. Uma barra de 100 gramas de chocolate amargo com 70% a 85% de cacau contém:

  • 11 gramas de fibra
  • 67% da IDR (Ingestão Diária Recomendada) de ferro
  • 58% da IDR de magnésio
  • 89% da RDI de cobre
  • 98% da IDR de manganês
  • Ele também tem muito potássio, fósforo, zinco e selênio

Naturalmente, 100 gramas é uma quantidade bastante grande e não é algo que você deve consumir diariamente. Todos esses nutrientes também vêm com 600 calorias e quantidades moderadas de açúcar. Por esse motivo, é melhor consumir chocolate amargo com moderação.

O perfil de ácidos graxos do cacau e do chocolate amargo também é excelente. As gorduras são principalmente saturadas e monoinsaturadas, com pequenas quantidades de gordura poli-insaturada.

Também contém estimulantes como a cafeína e a teobromina, mas é improvável que o mantenha acordado à noite, já que a quantidade de cafeína é muito pequena em comparação com o café.

É fonte de antioxidantes

O chocolate amargo é carregado com compostos orgânicos que são biologicamente ativos e funcionam como antioxidantes. Estes incluem polifenóis, flavanóis e catequinas, entre outros.

Um estudo mostrou que o cacau e o chocolate amargo tinham mais atividade antioxidante, polifenóis e flavanóis do que qualquer outro fruto testado, incluindo o mirtilo e o açaí.

Melhora o fluxo sanguíneo e baixa a pressão arterial

Os flavanóis do chocolate amargo podem estimular o endotélio, revestimento das artérias, a produzir óxido nítrico (NO) (confira aqui estudo a respeito).

Uma das funções do NO é enviar sinais para as artérias relaxarem, o que reduz a resistência ao fluxo sanguíneo e, portanto, reduz a pressão sanguínea.

Muitos estudos controlados mostram que o cacau e o chocolate amargo podem melhorar o fluxo sanguíneo e baixar a pressão sanguínea, embora os efeitos sejam geralmente leves (confira aqui os estudos: 1, 2, 3, 4). No entanto, um estudo em pessoas com hipertensão arterial não mostrou nenhum efeito.

Aumenta o HDL e protege o LDL da oxidação

O consumo de chocolate amargo pode melhorar vários fatores de risco importantes para doenças cardíacas. Em um estudo controlado, o cacau em pó demonstrou diminuir significativamente o colesterol LDL (considerado "ruim") nos homens. Também aumentou o HDL (considerado "bom") e reduziu o LDL total naqueles com colesterol alto.

Faz todo o sentido que o cacau reduza o LDL, pois ele contém antioxidantes poderosos que chegam à corrente sanguínea e protegem as lipoproteínas contra o dano oxidativo (confira aqui estudos a respeito: 5, 6, 7).

Além disso, ele também pode reduzir a resistência à insulina, que é outro fator de risco comum para muitas doenças, como doenças cardíacas e diabetes (confira aqui estudos a respeito: 8, 9).

Reduz o risco de doença cardíaca

Por protegerem contra a oxidação e diminuírem o colesterol ruim, os compostos do chocolate amargo reduzem o risco de doença cardíaca.

Em um estudo com 470 homens idosos, descobriu-se que o cacau diminuiu o risco de morte por doença cardíaca em 50% durante um período de 15 anos.

Outro estudo revelou que comer chocolate amargo duas ou mais vezes por semana diminuiu o risco de ter placas calcificadas nas artérias em 32% (comer chocolate amargo com menos frequência não teve efeito).

Outro estudo ainda mostrou que comer chocolate amargo mais de cinco vezes por semana reduziu o risco de doença cardíaca em 57%.

Protege a pele do sol

Os compostos bioativos do chocolate amargo também podem ser ótimos para a pele. Os flavonóis protegem contra danos causados ​​pelo sol, pois melhoram o fluxo sanguíneo da pele aumentando a hidratação. (confira aqui estudo a respeito: 10).

A dose mínima de eritema (DME) é a quantidade mínima de raios UVB necessária para causar vermelhidão na pele 24 horas após a exposição solar. Em um estudo de 30 pessoas, o DME mais do que duplicou após o consumo de chocolate amargo com alto teor de flavanóis por 12 semanas.

Melhora a função cerebral

Um estudo com voluntários saudáveis ​​mostrou que comer cacau com alto teor de flavanol por cinco dias melhorou o fluxo sanguíneo para o cérebro. O cacau também pode melhorar significativamente a função cognitiva em pessoas idosas com deficiência mental (confira aqui estudo a respeito: 11). Ele ainda contém substâncias estimulantes como cafeína e teobromina, o que pode ser uma das principais razões pelas quais ele pode melhorar a função cerebral a curto prazo (confira aqui estudo a respeito: 12).

Entretanto, antes de adquirir sua barra de chocolate amargo, procure saber se o cacau é de origem orgânica e se a empresa que produziu se preocupa em evitar a o trabalho análogo ao de escravo na cadeia de produção. Entenda o porquê nas matérias "O que são alimentos orgânicos?" e "Qual impacto ambiental de uma barra de chocolate?".


Adaptado de Kriss Gunnars

Veja também:


 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail