Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Eles estão em todos os lugares: confira alguns itens do dia a dia que contêm produtos de origem animal "escondidos"

Produtos de origem animal podem estar escondidos em itens do dia a dia que você, talvez, nem fizesse ideia – de alimentos e cosméticos até peças de roupa. Caso você tenha aderido ao veganismo, ou simplesmente se evita utilizar ingredientes de origem animal ao máximo, é interessante fazer uma pesquisa antes de adquirir os seus produtos.

As pessoas geralmente associam as vacas e outros animais à comida, mas seus subprodutos são, na verdade, usados ​​em uma ampla variedade de lugares. Para se ter uma ideia, mais de 34 milhões de vacas são mortas a cada ano em matadouros somente nos Estados Unidos, mas apenas 51% de seus corpos são usados ​​para alimentação, porque os consumidores comem apenas cortes selecionados de carne.

Em suma, depois que um animal é abatido, seus subprodutos são classificados em partes comestíveis e não comestíveis. Segundo um estudo, 55% do animal é considerado um subproduto comestível, enquanto os 45% restantes são classificados como não comestíveis. Esses subprodutos animais não comestíveis são usados ​​em uma variedade de indústrias, incluindo cosméticos, tecidos, produtos farmacêuticos e muito mais.

Repense seus hábitos de consumo

Por isso, se você pensava que ao parar de comer carne, ou pelo menos tornar-se vegetariano durante a semana, estava fazendo sua parte para evitar a agricultura industrial, pense novamente. Os produtos de origem animal estão em todos os lugares! E, embora possa ser difícil evitá-los sempre, podemos ajudar a diminuir a demanda por eles e impulsionar a inovação para alternativas sustentáveis ​​e livres de crueldade, reduzindo nosso consumo de carne.

Quase todas as indústrias são abastecidas pelas “sobras” da indústria da carne. Se reduzirmos o número de vacas necessárias para produzir carne, poderemos reduzir bastante o número de subprodutos derivados de animais disponíveis no mercado. Além disso, do ponto de vista ambiental, você pode cortar sua pegada de carbono pela metade, deixando a carne fora do prato.

As empresas já estão começando a encontrar alternativas sintéticas para a insulina, produtos pessoais livres de crueldade estão se tornando cada vez mais populares e as opções de carne à base de vegetais estão rapidamente se tornando o futuro dos alimentos sustentáveis.

Quando somos informados sobre quais produtos contêm produtos de origem animal, podemos ajudar a direcionar o mercado para alternativas mais éticas, humanas e ecologicamente corretas.

15 produtos de origem animal que nem todo mundo conhece

1. Itens de esporte

O couro é usado para fazer uma variedade de equipamentos esportivos. Estima-se que 20 bolas de futebol sejam feitas de algum tipo de pele de vaca. Todos os anos, a National Football League fabrica cerca de 700 mil bolas de futebol. Isso significa que cerca de 35 mil couros de vaca são usados ​​anualmente apenas para este esporte.

Lembre-se de que o couro também é usado para fazer bolas de beisebol, luvas de beisebol e bolas de basquete. Embora você provavelmente soubesse que esses esportes exigem couro, você pode ficar chocado ao saber que os intestinos de vaca são utilizados como “cordas intestinais naturais” em raquetes de tênis. Sim: são necessários quatro tripas de vaca, aproximadamente, para fazer uma raquete.

2. Extintores de incêndio

A queratina, uma proteína extraída dos cascos das vacas, é usada para criar uma espuma especial para extinção de incêndios. Esta proteína extraforte ajuda a unir a espuma para apagar incêndios mais quentes e de alta intensidade. A espuma extintora de queratina é comumente usada em aeroportos para abafar incêndios causados ​​por combustível de aviação.

3. Biscoitos

O açúcar branco processado é descolorado usando um filtro que geralmente é criado com carvão de ossos de vacas, às vezes referido como “carvão natural”. O carvão vegetal funciona efetivamente para remover quaisquer “impurezas” do açúcar e deixar cristais brancos puros para trás.

4. Filmes fotográficos

Você provavelmente está familiarizado com o fato de que a gelatina é feita de ossos e pele de vaca processados. Esses subprodutos são comumente encontrados na gelatina, em marshmallows e outras balas de goma, mas o que você pode não saber é que a gelatina também pode ser encontrada no filme fotográfico.

Isso significa que tanto a fotografia quanto os filmes provavelmente exigirão produtos de origem animal, a menos que você se torne digital! Esta é uma ótima desculpa para comprar aquela nova câmera digital com a qual você sempre sonhou, não é?

5. Itens automotivos

Os pneus dos carros são feitos com ácido esteárico, um subproduto da vaca, mas não é aí que termina. Muitos carros, é claro, têm bancos de couro, mas também usam cola criada com proteína de carne na carroceria, e o fluido de freio hidráulico é, na verdade, feito de gordura de vaca! Mais um motivo para evitar o uso de veículos.

6. Medicamentos contêm subprodutos de vacas

A insulina, por exemplo, é produzida usando pâncreas de vaca. Além disso, cápsulas de gelatina são comumente usadas para uma variedade de medicamentos.

7. Itens de higiene pessoal

As gorduras, os ácidos graxos e as proteínas das vacas são usadas em uma ampla variedade de itens domésticos diários, incluindo velas, cosméticos, giz de cera, perfume, enxaguatório bucal, pasta de dente, creme de barbear, sabonete e desodorantes.

O ácido esteárico derivado da gordura da vaca é o culpado mais comum nesses itens. Uma maneira fácil de evitar esses produtos é procurar um rótulo sem crueldade que indique que o produto não é feito com nenhum ingrediente animal.

De acordo com a PETA, existem mais de 20 componentes de animais que podem estar em seu xampu e condicionador. E a sua pasta de dente provavelmente contém glicerina, que é encontrada nas gorduras animais e vegetais. Quando separada, a glicerina é usada em uma ampla variedade de produtos, incluindo pasta de dente.

Como acontece com outros ingredientes, a “glicerina” indicada no rótulo de um xampu e condicionador pode ser de origem animal ou vegetal. No entanto, muitas marcas comerciais como a Colgate afirmam que seus produtos não contêm ingredientes derivados de animais, incluindo glicerina.

8. Pavimento de estradas

A maior parte do asfalto contém uma gordura à base de carne bovina que atua como um agente aglutinante. Sim, os pneus do seu carro são derivados de subprodutos de vacas e as estradas em que você dirige também o são.

10. Pincéis

Pincéis rotulados como “pelo de camelo” não são realmente feitos de camelo (não que isso realmente os tornasse melhores). Na verdade, essas escovas são compostas de pelos finos das orelhas e rabos de vaca.

11. Sacos plásticos

Muitos plásticos, incluindo sacolas de compras, contêm “agentes de deslizamento”, que reduzem o atrito no material. De que são feitos esses plásticos? Gordura animal!

Em uma explicação mais técnica, segundo a Genetic Engineering and Biotechnology News: “Embora os polímeros sejam fabricados a partir de matéria-prima do petróleo, os fabricantes de plásticos costumam usar aditivos de origem animal para melhorar as propriedades do material e/ou auxiliar no processamento de polímeros brutos”.

Além disso, esteja atento aos novos plásticos que estão sendo lançados: os pesquisadores estão fazendo experiências com a proteína de queratina encontrada nas penas de frango para produzir plásticos, adesivos e materiais não tecidos, de acordo com estudos.

12. Cola em madeira e instrumentos musicais

A cola animal (feita da fervura de tecido animal e osso) é usada como adesivo para construir e consertar instrumentos musicais da família do violino. Outras colas sintéticas também podem ser usadas, mas a cola de couro é considerada o padrão. A cola de couro também é usada em restauração de antiguidades e outras especialidades de carpintaria.

13. Fogos de artifício

Produtos de origem animal
Imagem de Elisha Terada no Unsplash

O mesmo componente usado na indústria de pneus, o ácido esteárico, está presente na produção de fogos de artifício. O ácido esteárico é usado para prevenir a oxidação de pós metálicos, de forma que as composições para fogos de artifício possam ser armazenadas o máximo possível.

14. Açúcar branco e marrom

E quanto aos produtos ocultos no processo de fabricação? Entre vegetarianos e veganos, é sabido que cinzas purificadas de ossos de animais são usadas em filtros para refinar açúcar por algumas marcas, embora existam outras empresas que usam filtros com carbono granular ou sistemas de troca iônica.

O que nem todos podem saber é que o açúcar mascavo também é refinado, apenas para ter melaço adicionado depois. Você pode optar por açúcar orgânico não refinado ou escolher as marcas que a PETA diz serem veganas.

15. Botões de roupa

Muitas roupas de alta qualidade, especialmente casacos, apresentam botões feitos de osso, talha ou chifre de animais. Botões de chifre tendem a ter uma aparência de mármore, geralmente marrom escuro ou preto, mas também de cor clara.

Eles podem facilmente passar despercebidos e é muito improvável que sejam mencionados em qualquer rótulo, então a única maneira de ser seguro é perguntar ao fabricante ou adquirir suas peças de marcas comprovadamente veganas.

Evitando produtos de origem animal indesejados

Embora as diferentes partes de animais, especialmente vacas, sejam usadas em uma variedade de indústrias diferentes, todas elas se originam de uma: a agricultura animal. Como sociedade, dependemos incrivelmente das vacas para nos fornecer inúmeras mercadorias, mas a que custo?

As vacas são criaturas altamente inteligentes e emocionais que merecem ser consideradas como indivíduos dignos por seus próprios méritos. Além da crueldade inerente a esta indústria, ela também é responsável por uma enorme quantidade de poluição ambiental.

A Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) estima que a produção animal é responsável por 14,5% das emissões globais de gases de efeito estufa, enquanto outras organizações como o Worldwatch Institute estimam que pode chegar a 51%.

Sem mencionar que o desmatamento relacionado ao pastoreio de gado e ao cultivo de ração para animais de criação está destruindo sistematicamente as florestas tropicais do mundo. Transformar este cenário depende só de nós, consumidores. Sempre que possível, pesquise e pressione suas marcas favoritas para evitar o uso de produtos de origem animal. Os bichos e o planeta agradecem!