Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

A perda de olfato é uma das sequelas deixadas pela Covid-19

Perda de olfato é um dos sintomas da Covid-19. Uma característica comum desse sintoma é a perda de olfato sem a presença de nariz entupido, como é comumente visto em casos de gripe e resfriado. Em grande parte dos casos, a perda de olfato dura apenas alguns dias ou semanas. No entanto, uma pequena parte dos infectados apresenta casos de perda de olfato por um período de tempo maior. 

Quando o novo coronavírus se espalhou pelo mundo, no início de 2020, os principais sintomas eram a febre, a fadiga e a mialgia (dor muscular). Ainda não se sabia muito sobre a perda de olfato causada pela Covid. Porém, cada vez mais pessoas começaram a apresentar algum tipo de disfunção olfatória após ou durante um quadro de Covid-19.

Um estudo, realizado pela revista Journal Of Internal Medicine, revelou que depois de seis meses de pesquisa, cerca de 86% dos pacientes atendidos apresentaram a perda de olfato em decorrência da Covid-19. Em comunhão com o surgimento desse sintoma, os infectados também passaram a apresentar ageusia — a perda do paladar.

Tipos de perda de olfato por Covid-19

Existem níveis distintos de perda de olfato em decorrência da infecção por Covid-19. Alguns casos são mais fracos, moderados e outros podem parecer fortes e definitivos. Para entender melhor, confira a seguir a diferença entre cada tipo de perda de olfato.

Hiposmia: uma redução contínua do olfato;

Parosmia: uma mudança drástica em como a pessoa sente cheiros;

Anosmia: perda total do olfato, podendo ser temporária ou permanente.

A perda de olfato, ou disfunção olfativa, depois de infecções virais, como a da Covid-19, é um sintoma normal. O nome dado para essa sequela é anosmia pós-viral. Ela pode acontecer devido a uma reação inflamatória na mucosa nasal ou o desenvolvimento de rinorreia — corrimento excessivo de muco nasal. 

No entanto, a rinorreia não é frequente em casos de perda de olfato por Covid-19, o que fez com que a causa dessa anosmia, por muito tempo, continuasse sendo um mistério para cientistas. 

Como acontece a perda de olfato por Covid-19

Um estudo, publicado pela NYU Grossman School of Medicine e a Columbia University, trouxe uma possível explicação para a perda de olfato causada pela Covid-19. Segundo os pesquisadores, os experimentos mostraram que a presença de vírus perto das células nervosas (neurônios) no tecido olfativo, traz a presença de células imunológicas, microglia, e células T que sentem e combatem infecções. 

Essa presença libera proteínas chamadas de citocinas, que mudam geneticamente a atividade de células nervosas olfativas. De acordo com os pesquisadores, a atividade imunológica no cérebro não se dissipa de maneira fácil e rápida. Na verdade, ela persiste e reduz a atividade dos genes precisos para construção dos receptores olfativos.

A pesquisa apresenta uma possível resposta para um cenário ainda desconhecido. No entanto, mais estudos precisam ser realizados para que essa seja a causa comprovada da perda de olfato em decorrência da Covid. Além desse fator, o estudo também aborda como a infecção por Covid-19 pode causar tantos danos severos a diversos órgãos do corpo humano. 

Riscos da perda de olfato por Covid-19

A perda de olfato causada pela Covid-19 pode significar diversos riscos à saúde física e mental de uma pessoa. Um indivíduo com anosmia corre o risco de não sentir cheiros perigosos, como os de fumaça, vazamento de gás e comida estragada. É comum que pessoas com essa condição enfrentem intoxicações alimentares em decorrência do consumo de comida estragada.

Alguém que não sente o cheiro do gás doméstico vazando pode acabar morrendo intoxicada, sem nem mesmo saber do perigo. Outro fator afetado pela perda de olfato da Covid é a questão psicológica.

O cheiro está ligado a muitos sentimentos, como nostalgia, saudade, felicidade, tristeza ou nojo.  A perda do olfato ou a sua distorção pode afetar questões emocionais de pessoas que sempre sentiram cheiro, afetando diretamente a saúde mental de quem é infectado pelo vírus. 

Tratamentos para a perda de olfato em decorrência da Covid-19

Uma pesquisa, feita pelo grupo de Rinologia da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da USP, mostrou dados sobre a perda de olfato causada pela Covid em grupos de 20 cidades brasileiras. Segundo o estudo, em apenas dois meses de tratamento, cerca de 44% dos pacientes se recuperam de sua perda de olfato.

Em consideração, 23% desenvolveram hiposmia leve, 15% hiposmia moderada, 13% hiposmia severa e 3% mantiveram seus diagnósticos de anosmia. Um dos principais tratamentos para a perda de olfato pela Covid é o treinamento olfatório. Nesse método, o paciente tem contato com cheiros de odores específicos e trabalham o que eles significam. 

Os cuidados da perda de olfato pela Covid são feitos com otorrinolaringologistas. Eles são responsáveis por aplicar um teste baseado em quatro cartelas de odores, aplicado em diversos locais do mundo independente dos sintomas de Covid-19. Desta forma, o profissional conseguirá entender qual o nível de perda de olfato de seu paciente.  

Tratamento

Quando se sabe qual o tipo de perda de olfato que a pessoa com Covid tem, o tratamento começa. O seu funcionamento requer que o paciente leve para casa alguns potes com cheiros diferentes, como o da hortelã ou o do limão

Em sua casa, o paciente irá cheirar cada um dos potes diariamente, para descobrir o que tem em seu interior. A resposta para essa pergunta estará presente na parte inferior dos potes. A pessoa com perda de olfato deve repetir esse treinamento diariamente até ela voltar a sentir o cheiro normalmente. 

Mesmo que o paciente consiga identificar um dos odores, ele deve continuar repetindo as ações. Pois esse tipo de tratamento funciona como uma fisioterapia. Onde a ação deve ser repetida para que seja aprimorada. O objetivo final é sentir os cheiros com precisão e sem dúvidas. 

Apesar do tratamento poder ser realizado em casa, ele deve ter o acompanhamento de um otorrinolaringologista. Para que haja uma supervisão profissional sobre a melhora do infectado. 

Jala Neti

Outro método que tem se popularizado na internet é o uso de jala neti com sumo limão. 

Jala neti é uma técnica milenar utilizada há séculos pelos iogues indianos para limpar e descongestionar as vias nasais. Em hindu, jala significa água e neti, purificação. A prática, que faz parte do Hatha Yoga e da antiga medicina ayurverda, consiste em lavar o nariz com uma solução de água morna e sal. Os efeitos do jala neti, além de relaxantes, previnem e aliviam rinite, sinusite, enxaqueca, resfriado, coriza e outros problemas.

Alguns estudos apontam que a Covid-19 entope as vias nasais com sais básicos. Por isso, algumas pessoas estão aplicando três gotas de limão na água morna com sal do jala neti e afirmando que o ácido da fruta é capaz de liberar esses cristais e trazer o olfato de volta imediatamente. Entretanto, ainda não há estudos sobre a efetividade desse método. Não deixe de consultar seu otorrinolaringologista.