Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

A frequência cardíaca em repouso pode dizer muito sobre a sua saúde. Aprenda como medir corretamente e o que fazer para normalizar os batimentos cardíacos

Frequência cardíaca em repouso (FCR) refere-se à quantidade de batidas do coração por minuto quando você não está fazendo nenhum esforço físico. Isso significa que a sua frequência cardíaca pode variar de acordo com a idade, com a atividade que você está desempenhando no momento da medição e com a presença – ou não – de alguma doença cardíaca. 

Segundo a Harvard Health Publishing, uma das maneiras mais fáceis e talvez mais eficazes de avaliar sua saúde pode ser feita em 30 segundos, usando só o dedo indicador e médio. Medir sua frequência cardíaca em repouso pode indicar, em tempo real, como seu músculo cardíaco está funcionando.

Frequência cardíaca e batidas do coração

Uma frequência cardíaca em repouso normal apresenta variação entre 60 e 100 batimentos por minuto (ou seja, 60 bpm a 100 bpm). Enquanto a aceleração dos batimentos cardíacos, acima desse índice, aponta taquicardia, uma frequência baixa, inferior a 60 bpm, sugere uma condição de bradicardia. 

A idade também interfere nos padrões das batidas do coração. Entre adultos sedentários, a frequência cardíaca deve ficar entre 70 a 80 bpm; já em adultos que praticam atividades físicas e idosos, a faixa que indica normalidade fica entre 50 e 60 bpm.  

Como medir sua frequência cardíaca em repouso?

Coloque os dedos indicador e médio sobre o pulso, logo abaixo do polegar, ou ao longo de qualquer um dos lados do pescoço, para sentir o pulso. Use um relógio para contar o número de batidas por 30 segundos e duplique para obter as batidas por minuto.

Repita algumas vezes para garantir uma leitura precisa. Embora a frequência cardíaca seja considerada normal se estiver entre 60 e 100 batimentos por minuto, a maioria dos adultos saudáveis ​​e relaxados tem uma frequência cardíaca em repouso abaixo de 90 batimentos por minuto.

O que minha frequência cardíaca em repouso quer dizer?

Sua frequência cardíaca em repouso, quando considerada no contexto de outros marcadores, como pressão arterial e colesterol, pode ajudar a identificar problemas de saúde em potencial, bem como avaliar a saúde cardíaca atual.

Em certos casos, uma frequência cardíaca mais baixa em repouso pode significar um grau mais alto de condicionamento físico, que está associado a taxas reduzidas de eventos cardíacos, como derrames.

No entanto, uma alta frequência cardíaca em repouso pode ser um sinal de um risco aumentado de risco cardíaco em algumas situações, porque a aceleração dos batimentos cardíacos acaba prejudicando a função geral do coração. 

Um estudo de 2013 publicado revista Heart monitorou a saúde cardiovascular de cerca de 3.000 homens por 16 anos e descobriu que uma alta frequência cardíaca em repouso estava associada a uma menor aptidão física e maior pressão arterial, peso corporal e níveis de gordura no sangue. 

Os pesquisadores também descobriram que, quanto mais alta a frequência cardíaca em repouso de uma pessoa, maior o risco de morte prematura. Especificamente, uma FCR entre 81 e 90 dobrou a chance de morte, enquanto uma FCR  maior que 90 a triplicou.

Embora uma frequência cardíaca baixa em repouso sugira frequentemente uma maior aptidão física, algumas situações podem tornar sua FCR muito baixa, o que pode causar tonturas ou fadiga ocasionais. Nesses casos, é fundamental buscar orientação médica.

Para monitorar sua saúde geral, verifique sua frequência cardíaca em repouso algumas vezes por semana e em diferentes momentos do dia. Lembre-se de que o número pode ser influenciado por muitos fatores, incluindo estresse e ansiedade, hormônios circulantes e medicamentos, como certos antidepressivos e remédios para pressão arterial.

O ideal é procurar orientação médica se sua frequência cardíaca em repouso estiver regularmente alta. Existem maneiras de diminuir esses números e mantê-los dentro de sua faixa adequada. Um exemplo é manter seus níveis de colesterol sob controle. Níveis elevados restringem o fluxo sanguíneo através das artérias e danificam os vasos sanguíneos, o que pode fazer seu coração bater mais rápido do que o normal para mover o sangue pelo corpo.

Outra maneira confiável de diminuir a frequência cardíaca em repouso é fazer exercícios. Mesmo pequenas quantidades de exercício podem fazer uma mudança. Um estudo descobriu que apenas uma hora por semana de treinamento aeróbio de alta intensidade (cerca de 66% do esforço máximo) reduziu a FCR de forma mais eficiente do que um esforço de baixa intensidade (33% do esforço máximo). 

Dicas para medir sua frequência cardíaca em repouso

  • Faça a medição três horas após ter praticado exercícios ou ter passado por um evento estressante. Sua frequência cardíaca pode permanecer elevada mesmo uma ou duas depois que você experimentar atividades extenuantes, o que prejudica o resultado do teste.
  • Espere pelo menos uma hora para fazer a medição após consumir cafeína, que pode causar palpitações cardíacas e aumentar sua frequência cardíaca.
  • A American Heart Association recomenda verificar sua frequência cardíaca em repouso logo pela manhã (mas antes de sair da cama).

Maus hábitos noturnos podem afetar sua frequência cardíaca em repouso

Um estudo recente publicado na revista científica npj Digital Medicine revelou que ir ou não para a cama na hora “certa” pode interferir na saúde do seu coração.

Os pesquisadores examinaram a correlação entre a regularidade da hora de dormir e a frequência cardíaca de repouso, e descobriram que pessoas que vão para a cama mesmo 30 minutos depois da hora “normal” de dormir apresentam uma frequência cardíaca de repouso muito mais alta, que dura até o dia seguinte. Um aumento na frequência cardíaca em repouso significa um risco maior para a saúde cardíaca.

Os cientistas enfatizaram a importância de hábitos de sono saudáveis, recomendando pelo menos sete horas por noite, e relacionaram a falta de sono a um aumento do risco de várias condições de saúde, incluindo diabetes, derrame e doenças cardíacas.

A hora normal de dormir foi definida como o intervalo de uma hora em torno da hora média de dormir de uma pessoa. Quanto mais tarde os participantes foram para a cama, maior o aumento da FCR. As taxas permaneceram elevadas no dia seguinte.

Mesmo que as pessoas durmam sete horas por noite, a equipe concluiu que, se elas não forem para a cama no mesmo horário todas as noites, não só sua frequência cardíaca em repouso aumenta durante o sono como também continua elevada no dia seguinte.

Surpreendentemente, ir para a cama mais cedo do que a hora padrão de dormir também mostrou sinais de aumento da FCR. A equipe diz que o relógio biológico, medicamentos e estilo de vida entram em jogo quando se trata de hábitos de sono saudáveis, mas é vital considerar a consistência também.