Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Dilema se o fermento é vegano ou não tem deixado muitas pessoas com a pulga atrás da orelha

Fermento é vegano? Essa é uma dúvida principalmente das pessoas que estão começando aprender sobre o veganismo. Isso acontece porque o fermento biológico é um ser vivo, ou seja, um fungo constituído por apenas uma única célula que cresce no solo e em superfícies vegetais.

Mas, para entender se o fermento é vegano ou não, é preciso aprender um pouco mais sobre ele. Afinal, a maioria da comunidade vegana adere ao consumo de fermento. Também é necessário entender que existem dois tipos de fermento, o fermento químico e o biológico. 

Diferença entre fermento químico e biológico 

Fermento químico 

O fermento químico costuma ser usado para a produção de bolos e outros alimentos preparados no dia a dia. Ele é uma substância composta da mistura de bicarbonato de potássio e outros ácidos. Ou seja, não é feito com leveduras naturais, portanto, não está vivo. Sendo assim, esse fermento é vegano, mas não natural.

O fermento químico começa a fazer efeito enquanto a massa é batida, e não para de crescer quando é assado no forno. Ao aplicá-lo no alimento, o fermento químico cria bolhas de gás carbônico que fazem a massa crescer. 

Fermento biológico

Diferente do fermento químico, o biológico é um fungo. Um ser vivo de apenas uma célula que não tem sistema nervoso, como animais e seres humanos. O fermento natural produz CO2 por meio de um processo biológico. O fungo desse fermento se alimenta de carboidratos como os açúcares e amidos e essa produção resulta no gás carbônico e no etanol. 

Ele também pode produzir mais de si mesmo em grandes quantidades. Os fungos morrem ao entrar em contato com o calor do forno. O fermento é naturalmente rico em vitamina B, e algumas vezes é fortificado com vitaminas e minerais. Ele serve para ajudar na fermentação de alimentos e bebidas, como a cerveja.

Às vezes, o fermento biológico também é adicionado à produção de queijo para melhorar sua textura. Ele pode ser usado na produção e testagem de medicamentos para uma grande gama de remédios. Apesar de ser um ser vivo, grande parte da comunidade vegana considera que o fermento é vegano.

Por que veganos consomem fermento?

O que diferencia o fermento biológico de outros seres vivos é o fato de que ele não tem sistema nervoso. Isso faz com que ele não sinta nenhuma dor ou sentimento quando é ingerido. O processo de preparação do fermento biológico não causa nenhuma crueldade animal, por isso, muitos veganos acreditam que fermento é vegano.

Existe um pequeno grupo restrito de veganos que não concordam com a ideia de que o fermento é vegano. Desta forma, eles se privam do consumo do fungo em sua alimentação, levando em consideração a característica de ele ser um organismo vivo. 

Porém, devido à maioria dos veganos afirmar que fermento é vegano, existem diversas formas de adicioná-lo a uma alimentação sem crueldade animal.  Os fermentos mais usados são o torula e o nutricional, que são comuns em receitas de umami, carnes e queijos que não utilizam de produto animal.

O fermento biológico também é recomendado na dieta vegana por ser rico em vitamina B.  A vitamina B é essencial na dieta vegana, mas seu uso acaba sendo descartado, pois a maioria dos produtos do mercado que a contêm são de origem animal.

Riscos do fermento biológico

O consumo de fermento biológico cru não é recomendado em nenhuma situação. Isso se dá porque sua ingestão pode causar inchaço, cólica, constipação e diarreia. Além disso, ele também pode aumentar o risco de infecções causadas por fungos, principalmente em pessoas com doenças graves ou sistema imune comprometido.

A única exceção é o fermento probiótico S. boulardii. Ele costuma ser oferecido como um dos componentes vivos de suplementos probióticos.

Tipos de fermentos biológicos

Fermentos de cerveja

Para a produção de cerveja se usa o fermento biológico da cultura S. cerevisiae. Esse fermento pode vir na forma de pó ou líquido. Durante a fermentação da cerveja, o fungo é morto e pode acabar sendo consumido como um suplemento rico em vitamina e mineral. Esse consumo é seguro em grandes quantidades.

Fermentos de pão

O fermento de pão é produzido a partir da cultura S. cerevisiae, e fornece ao pão um gosto único. Quando o alimento é colocado no forno, os fungos do fermento morrem, tornando o consumo do pão seguro em grandes quantidades.

Fermento nutricional

Para a produção de fermento nutricional se usa a cultura de fungos S. cerevisiae já inativa. Ela pode ser adicionada a uma grande quantidade de temperos e consumida com tranquilidade, pois os fungos são mortos durante a produção e fortalecidos com vitaminas e minerais. Para pessoas que acreditam que fermento é vegano, o uso de fermento nutricional é popular na substituição do queijo.

Fermento Torula 

O fermento de torula assume a forma de pó e é derivado da cultura inativa do fungo C. utilis. Ele é usado na produção de papel e na fabricação de comida para cachorro. Devido ao seu sabor defumado, ele pode ser encontrado em carne vegana e substitutos do queijo. 

Rejuvelac

O rejuvelac é feito com dois ingredientes caseiros e serve de base para queijos veganos, bebidas e iogurtes. Ele é probiótico e um fermento natural popularizado pela naturopata lituana Ann Wigmore pelos seus benefícios à saúde, como melhora da digestão e da imunidade. Ele pode ser feito a partir de grãos ou pseudocereais geralmente brotados em água por cerca de dois dias à temperatura ambiente. É uma alternativa muito presente na composição de receitas veganas, incluindo iogurtes, queijos, cremes, leite fermentado, sopas e bebidas geladas. Para saber como fazer, dê uma olhada na matéria: “Rejuvelac: bebida probiótica e fermento natural”