Composteira doméstica: a solução para o lixo orgânico de casa

É um rico ecossistema que você pode criar até mesmo em apartamento 

Benefícios da compostagem

Adquirir uma composteira doméstica é poder transformar seu lixo orgânico em adubo dentro de sua própria casa ou apartamento e ainda contribuir para um ambiente mais saudável.

De acordo com dados do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, mais da metade de todo lixo que produzimos em casa é orgânico, ou seja, mais da metade do resíduo que produzimos é formado por cascas de frutas, verduras e outros rejeitos alimentares, como por exemplo o pó de café, sachês de chá, casca de banana, cascas de laranja, entre outros.

Todo este resíduo em aterros e lixões, juntamente de matérias tóxicos como pilhas, acabam produzindo efluentes que contaminam solos, lençóis freáticos e a atmosfera, agravando a qualidade de vida nas grandes cidades. 

Todo este resíduo ocupa grandes espaços em aterros e lixões e, sem tratamento, acabam produzindo gás metano, que é cerca de 25 vezes mais prejudicial para o efeito estufa do que o gás carbônico

Se todo o resíduo orgânico que é produzido no Brasil fosse tratado com compostagem seria possível evitar emissões de gás metano, produzir cerca de 37,5 toneladas de adubo orgânico por ano, reduzir os espaços ocupados em aterros e lixões; e ainda reduzir a poluição de solos, lençóis freáticos e atmosfera. 

Minhocas 

A transformação do resíduo em adubo orgânico é devido ao trabalho de seres detritívoros e decompositores, no caso dos vermes, se destacam as minhocas californianas, pois elas têm maior capacidade de adaptação à condições de cativeiro e à alta produção de adubo orgânico. 

A minhocas, que são aceleradoras do processo de compostagem, diferentemente do que muitas pessoas acham, são animais limpos, não transmitem doenças, e podem ser criadas na composteira dentro de casa sem transtornos. 

Como funciona?

Confira o vídeo explicativo do projeto Lixeira Viva:

 

Basicamente, a composteira doméstica convencional é formada por 3 caixas empilhadas, uma pequena quantidade de composto contendo muitos microorganismos e algumas minhocas californianas

As duas caixas de cima servem como depósito para os resíduos domésticos (que devem ser colocados em pequenos tamanhos) e é nestas caixas que as minhocas e microorganismos presentes na camada de terra atuarão para transformar os resíduos em adubo orgânico, num processo que dura 2 meses. 

A última caixa serve como coletora do chorume, que também pode ser chamado de adubo líquido ou biofertilizante, que também serve como pesticida natural. 

Diferentemente do chorume produzido em aterros e lixões, o chorume da composteira doméstica não é tóxico. Para retirá-lo, basta abrir a torneira que fica na parte inferior da última caixa. Para utilizá-lo é preciso dissolver cada parte de chorume em 10 partes de água. Ele pode ser borrifado nas plantas, despejado na terra e até mesmo em vasos ou na horta. Mas para o sol não queimar as folhas, as borrifadas devem ser feitas no final da tarde. 

Na primeira caixa, fica uma camada fina de terra e minhocas. Nesta primeira caixa é que devem ser depositados os resíduos. Para evitar umidade em excesso, para cada vez que forem adicionados resíduos orgânicos é preciso cobri-los com matéria seca (que podem ser restos de folha, madeira ou serragem natural sem verniz).

Para evitar viagens até a composteira você pode deixar um potinho próximo à pia para a coleta de resíduos e despejá-lo na composteira doméstica quando estiver cheio.

Em condições adequadas de umidade, temperatura e aeração o processo de compostagem ocorre eficazmente. Por isso a composteira idealmente não deve ficar em local onde bata muito sol, uma vez que muitos fungos, bactérias e actinomicatos não sobrevivem à temperaturas acima de 70 C°. Por outro lado, se a composteira ficar muito à sombra, o material ficará muito úmido, o que também não é desejado. Neste caso é preciso equilibrar a umidade com o acréscimo de matéria seca.

 É importante que haja este controle de umidade até mesmo porque se a quantidade de água for elevada, o ambiente ficará pobre em oxigênio e produzirá mal cheiro, atraindo moscas. A umidade ideal é entre 50 e 60%. Uma forma de avaliar é apertar o material na mão e checar se escorrem poucas gotas, neste caso a umidade está adequada.

Para entender mais como funciona a compostagem doméstica e a manutenção da composteira confira nosso Guia da Compostagem.

Quais resíduos compostar?

Há muitos resíduos alimentares que podem ser compostados, como frutas, verduras, legumes, sementes, borra de café, sobras de alimentos cozidos ou estragados (sem exageros) e cascas de ovo. Materiais como saquinhos de chá, serragem, gravetos, papelão, papel e palitos de fósforo também podem entrar na composteira doméstica sem problemas. Folhas de jornais e revistas não são materiais indicados pra ir ao sistema da composteira, pois são com materiais nocivos como os bisfenóis e têm muita tinta. Frutas cítricas e temperos fortes como folhas de louro, cascas de alho e cebola devem ser colocados com moderação. 

Carnes de qualquer espécie, laticínios, óleos, gorduras, papel higiênico usado, fezes de animais domésticos, sal e pimentas não devem ser compostados no modelo de compostagem doméstica

Modelos

Há diversos modelos de composteira. No mercado estão disponíveis o modelo convencional, o modelo humi e o automático. O modelo convencional está disponível em diversos tamanhos de acordo com a necessidade de cada família. 

Modelo convencional

composteira doméstica

Este modelo normalmente vem com três caixas, mas é possível adicionar mais caixas ou escolher modelos menores ou maiores de acordo com a necessidade de cada família. Como explicado, a primeira caixa é a caixa de depósitos de resíduos, e a última é para a coleta do chorume. Com exceção da última caixa, todo o restante possui furos na parte de baixo para que as minhocas possam circular e o chorume escorrer. Quando a primeira enche, ela é trocada pela caixa do meio. Quando todas caixas de depósito enchem, aquela que encheu primeiro deve ter o composto pronto retirado e assim vai.

 Modelo Humi

 

O modelo Humi é muito parecido ao modelo convencional, entretanto, ele possui pequenas mudanças de adaptação, como, por exemplo, pés altos para facilitar a retirada de chorume, superfície lisa para facilitar a limpeza, tampa levemente arqueada para evitar o acúmulo de água, encaixe que segura a tampa presa à composteira, elevação no fundo das caixas que evita que as minhocas sejam esmagadas quando a caixa for colocada no chão, furos laterais que permitem a troca de oxigênio entre outras adaptações. O modo de funcionamento é semelhante ao modelo convencional.

Modelo automático

O modelo automático é mais indicado para quem quer fazer a compostagem doméstica sem a utilização de minhocas. Neste modelo a compostagem é feita por microorganismos. As vantagens da composteira automática é que ela não requer o acréscimo de matéria de seca (como por exemplo a serragem) e, diferentemente das composterias convencionais que levam 2 meses no processo de produção do composto, ela leva apenas 1 dia. O único cuidado necessário é não exceder a quantidade de resíduo indicada.

O modelo de composteira automática Decomposer 2 é um aparelho compacto que pode ser instalado em qualquer ambiente doméstico, não traz problemas com insetos e odores indesejados e não requer manutenção.

Pratique compostagem e contribua para a redução da sua pegada ambiental.


Veja também


 

Comentários  

 
-2 #1 2011-08-18 13:51
gente...essas pessoas que jogam lixo na rua nao tem educação nenhuma. elas tem que aprender a lição
Citar
 
 
-1 #2 2012-02-10 13:48
Ótima reportagem!
Citar
 
 
+1 #3 2013-07-26 23:47
E nós pensando que minhocas só serviam de alimentos para alguns animais...
Citar
 
 
-3 #4 2014-02-07 18:33
Pena ser muito caro.
Citar
 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail