Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Taurina, nome popular do ácido 2-aminoetanossulfônico, é um dos aminoácidos não essenciais ao corpo humano, porque é produzida na fase adulta em seres humanos e encontrada com maior abundância em alguns alimentos.

Diferentemente de outros aminoácidos, a taurina não é utilizada na formação de proteínas, mas tem muitas outras funções importantes no corpo. A taurina é encontrada em grandes quantidades no músculo esquelético, cérebro, retina, coração e células sanguíneas chamadas plaquetas.

Ela é produzida no fígado a partir da ingestão do aminoácido metionina, cisteína e da vitamina B6 presentes no peixe, na carne bovina ou em frutos do mar.

Uma de suas funções é agir como transmissor metabólico e fortalecer as contrações cardíacas. Porém, é muito comum ser utilizada como suplemento energético devido ao seu efeito desintoxicador, já que age facilitando a excreção pelo fígado das substâncias que já não são mais úteis para o organismo.

Ela intensifica os efeitos da insulina, sendo responsável por um melhor funcionamento do metabolismo de glicose e aminoácidos, podendo auxiliar o anabolismo. A taurina ainda é útil como inibidora dos neurotransmissores, sendo utilizada para prevenir e sedar estados cerebrais excitáveis, como convulsões em epilépticos.

leite materno é rico em taurina, mas os bebês que não são amamentados não recebem esse aminoácido o suficiente e não têm a capacidade de produzi-la. Por isso, a taurina é frequentemente adicionada às fórmulas infantis. Além disso, também é adicionada às fórmulas usadas para alimentação por sonda em adultos.

As pessoas tomam taurina para insuficiência cardíaca congestiva (ICC) e inchaço (inflamação) do fígado (hepatite). Ela também aumenta a força e o desempenho atlético, porque causa aumento de energia.

Como funciona a taurina no corpo?

A taurina tem funções importantes no coração e no cérebro. Ela ajuda a apoiar o crescimento dos nervos e pode beneficiar pessoas com insuficiência cardíaca, reduzindo a pressão arterial e acalmando o sistema nervoso.

Além disso, estudos têm associado a taurina a vários benefícios à saúde, como menor risco de doenças e melhor desempenho esportivo. Seu consumo moderado é considerado seguro e sem efeitos colaterais registrados na literatura.

Apesar da crença popular, este aminoácido não é extraído da urina ou do sêmen do touro. O nome é derivado da palavra latina taurus, que significa boi ou touro. A associação entre os termos pode explicar a fonte da confusão.

As funções diretas da taurina no corpo incluem:

  • Manter a hidratação adequada e o equilíbrio eletrolítico em suas células;
  • Apoiar a formação de sais biliares, que desempenham um papel importante na digestão;
  • Regular minerais, como o cálcio, dentro das células;
  • Apoiar a função geral de seu sistema nervoso central e olhos;
  • Regular a saúde do sistema imunológico e a função antioxidante.

Por ser um aminoácido condicionalmente essencial, um indivíduo saudável pode produzir a quantidade mínima necessária para essas funções diárias essenciais.

No entanto, quantidades maiores podem ser necessárias em casos raros, tornando a taurina essencial para algumas pessoas, como aqueles que têm insuficiência cardíaca ou renal, bem como bebês prematuros que foram alimentados por via intravenosa.

Fontes de taurina

As principais fontes de taurina são alimentos de origem animal, como carne, peixe e laticínios. Embora alguns alimentos vegetarianos processados ​​contenham taurina adicionada, é improvável que eles ofereçam quantidades suficientes para otimizar seus níveis.

A taurina também é frequentemente adicionada a refrigerantes e bebidas energéticas, que podem fornecer de 600 a 1.000 mg do aminoácido em uma única porção de 237 ml.

No entanto, não é recomendado consumir refrigerantes ou bebidas energéticas em grandes quantidades, porque há outros ingredientes nesses produtos que podem ser prejudiciais à saúde, como açúcar, conservantes e aditivos.

Como a taurina utilizada em suplementos e bebidas energéticas geralmente é feita de forma sintética – ou seja, não derivada de animais –, seu consumo é adequado para veganos e vegetarianos.

Benefícios da taurina

Pode combater a diabetes

Estudos revelam que a taurina pode melhorar o controle do açúcar no sangue e combater o diabetes. Por exemplo, a suplementação de longo prazo diminuiu os níveis de açúcar no sangue em jejum em ratos diabéticos, sem nenhuma mudança na dieta ou exercício.

Os níveis de açúcar no sangue em jejum são muito importantes para a saúde, pois níveis elevados são um fator-chave no diabetes tipo 2 e em muitas outras doenças crônicas.

Algumas pesquisas com animais sugerem que um aumento na ingestão de taurina pode ajudar a prevenir o diabetes tipo 2, reduzindo os níveis de açúcar no sangue e a resistência à insulina.

Promove a saúde do coração

A taurina pode ajudar a reduzir o risco de doenças cardiovasculares. Uma pesquisa mostrou que existe uma ligação entre níveis mais altos de taurina e taxas significativamente mais baixas de morte por doenças cardíacas, bem como colesterol e pressão arterial reduzidos.

A taurina pode ajudar a reduzir a pressão arterial elevada, diminuindo a resistência ao fluxo sanguíneo nas paredes dos vasos sanguíneos. Também pode minimizar os impulsos nervosos em seu cérebro que aumentam a pressão sanguínea.

Em um estudo de duas semanas em pessoas com diabetes, os suplementos de taurina reduziram significativamente a rigidez das artérias, tornando mais fácil para o coração bombear o sangue pelo corpo. Além disso, descobriu-se que a suplementação reduz a inflamação e o espessamento da artéria. Quando combinados, esses efeitos podem reduzir drasticamente o risco de doenças cardíacas.

Melhora o desempenho nos exercícios físicos

A taurina também pode trazer benefícios para o desempenho atlético.

Em estudos com animais, a taurina fez os músculos trabalharem mais e por mais tempo, além de aumentar a capacidade dos músculos de se contrair e produzir força. Em ratos, reduziu a fadiga e os danos musculares durante um treino.

Em estudos com humanos, a taurina demonstrou remover produtos residuais que levam à fadiga e causam queimaduras musculares. Ela também protege os músculos contra danos celulares e o estresse oxidativo, além de aumentar a queima de gordura durante o exercício.

O aminoácido pode ajudar ainda na perda de peso, aumentando o uso de gordura como combustível pelo seu corpo. Em ciclistas, a suplementação com 1,66 gramas de taurina aumentou a queima de gordura em 16%, segundo uma pesquisa.

Promove a saúde auditiva e ocular

Em um estudo com humanos, 12% dos participantes que tomaram suplementos de taurina eliminaram completamente o zumbido nos ouvidos, que está associado à perda de audição.

A taurina também está presente em grandes quantidades nos olhos, com pesquisas mostrando que podem ocorrer problemas oculares quando esses níveis começam a diminuir. Estudos mostram que concentrações aumentadas do aminoácido otimizam a visão e a saúde ocular.

Reduz episódios de convulsões

Por ajudar a regular as contrações musculares, a taurina pode reduzir as convulsões e ajudar a tratar doenças como a epilepsia, como mostraram estudos.

Ajuda a relaxar e combate o estresse

Pesquisas relataram que a taurina atua no corpo melhorando os receptores GABA no cérebro, um neurotransmissor que promove o relaxamento, reduz o estresse e desempenha um papel fundamental no controle do sistema nervoso central.

Protege o fígado

A taurina também pode proteger as células do fígado contra os danos causados pelos radicais livres e das toxinas. Em um estudo, o consumo de apenas 2 gramas de taurina durante três vezes por dia reduziu os marcadores de danos ao fígado, enquanto diminuía o estresse oxidativo.

Possíveis riscos e efeitos colaterais

Não existem evidências de que a ingestão de taurina possa provocar efeitos colaterais negativos, desde que observadas as quantidades recomendadas.

Embora não tenha havido problemas diretos com os suplementos contendo taurina, algumas mortes de atletas na Europa têm sido associadas a bebidas energéticas com adição de taurina e cafeína. Os casos levaram vários países a proibir ou limitar a venda do suplemento.

Acredita-se, contudo, que essas mortes possam ter sido causadas pela ingestão de grandes doses de cafeína, em conjunto com outras substâncias que os atletas eventualmente estivessem tomando. Como acontece com a maioria dos suplementos à base de aminoácidos, alguns problemas podem surgir em pessoas com problemas renais. As dosagens seguras vão de 500 a 2.000 mg por dia.

No entanto, o limite superior de toxicidade é muito maior. Mesmo doses acima de 2.000 mg parecem ser bem toleradas, de acordo com as evidências disponíveis. Apesar disso, o ideal é sempre buscar orientação médica antes de fazer uso de qualquer tipo de suplemento.