Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Energético é uma bebida formulada para fornecer energia, mas pode causar problemas para dormir, infertilidade, intoxicação e erosão dentária

Imagem de Sherise VD no Unsplash

Energético é um nome comumente utilizado para se referir a bebidas energéticas. Estas são bebidas não alcoólicas formuladas para fornecer mais energia, assim, contam com ingredientes como açúcar, vitaminas e taurina, um aminoácido não-essencial que tem efeito desintoxicador e melhora o funcionamento do metabolismo de glicose.

Além desses ingredientes, o energético é carregado de outros estimulantes que colaboram aumentando os níveis de energia e a concentração mental. A cafeína, por exemplo, está presente na maioria das bebidas consideradas energéticas por ser um psicoestimulante.

O aumento no consumo dos energéticos chama atenção de cientistas, pois pesquisas indicam que há riscos diversos e muitos ainda desconhecidos advindo das bebidas energéticas.

Energético faz mal?

Tendo em vista a quantidade de açúcar e sódio normalmente presente no energético, pode-se afirmar que não se trata de uma bebida saudável. Alguns especialistas alertam, na verdade, sobre essas bebidas não serem seguras especialmente para adolescentes e jovens adultos. Algumas substâncias em excesso, como a cafeína, podem ser prejudiciais, principalmente se ingeridas com álcool.

No Brasil, o energético é regulamentado pela ANVISA e respaldado por pesquisas e padrões internacionais. A regulamentação estabelece o limite de 350 mg de cafeína por litro de energético. Dessa forma, uma lata de 250 ml pode ter cerca de 87 mg de cafeína, quase o mesmo que uma xícara de café coado (90mg/200ml).

Em alguns países, como nos Estados Unidos, a regulamentação é incerta e alguns fabricantes de bebidas apontam os energéticos como suplementos dietéticos naturais. Com isso, as bebidas não ficam sujeitas aos regulamentos que se aplicam aos produtos alimentícios e podem ter um teor maior de cafeína sendo ocultado dos rótulos.

Algumas bebidas energéticas também contêm guaraná, uma planta mais potente que a cafeína. As sementes dessa planta, geralmente utilizadas para fins medicinais, têm até três vezes a quantidade de cafeína que os grãos de café. As sementes também são ricas em taninos e nos estimulantes teofilina e teobromina. Por isso, o guaraná é eficaz para diminuir a fadiga e aumentar o estado de alerta mental.

Embora o consumo moderado de guaraná seja seguro para a maioria das pessoas, a ingestão de cafeína em altas doses por períodos prolongados pode causar efeitos colaterais, como dor de cabeça, ansiedade, insônia, nervosismo e inquietação, irritação do estômago, náuseas, vômitos, aumento da frequência cardíaca e pressão arterial, respiração rápida, tremores, delírio, diurese e outros efeitos.

O que o energético pode causar?

Quando consumido em excesso, o energético pode causar efeitos adversos. Além disso, se misturado com álcool, pode trazer consequências ainda mais graves. Esses são alguns efeitos:

Aumento dos batimentos cardíacos

Um estudo publicado no jornal Food and Chemical Toxicology investigou os efeitos do energético nos cardiomiócitos, que são células do coração humano cultivadas em laboratório.

Os pesquisadores associaram as bebidas energéticas a batimentos cardíacos inadequados, aumento da pressão arterial e outros fatores cardíacos problemáticos. O cientista Rusyn, que faz parte da pesquisa, aponta que, por não ser regulamentado e ser amplamente acessível, a possibilidade do energético causar efeitos adversos à saúde é preocupante. “Na verdade, o consumo de bebidas energéticas tem sido associado a uma ampla gama de efeitos adversos à saúde em humanos, muitos deles relacionados aos efeitos no coração”, aponta.

O excesso de cafeína pode causar batimentos cardíacos irregulares, conforme já mostraram outros estudos, mas essa não é a única substância com efeitos colaterais. Por meio de modelos matemáticos, os pesquisadores determinaram a possível presença de teofilina, adenina e azelato, substâncias que também podem ter efeitos negativos ao coração.

Problemas para dormir

Segundo um estudo, as bebidas energéticas podem trazer problemas e distúrbios do sono, como insônia. Essas questões afetam diretamente a qualidade de vida. Não dormir pode levar, por exemplo, à fadiga e fazer com que a pessoa se sinta constantemente sem energia.

Intoxicação por cafeína

Consumir muita cafeína pode levar à intoxicação aguda pela substância. Isso gera vômitos, aumento da pressão arterial, convulsões, aumento do batimento cardíaco e até mesmo morte.

Um estudo mostrou que clientes de bares que consumiram álcool misturado a bebidas energéticas tiveram uma probabilidade três vezes maior de sair de um bar altamente intoxicados e foram quatro vezes mais propensos a dirigir embriagados do que aqueles que não consumiram álcool misturado a energéticos.

Isso pode ocorrer porque os altos níveis de cafeína das bebidas mascaram os sintomas de intoxicação, como letargia. O fato de dirigirem embriagados pode aumentar as chances de acidentes.

Infertilidade

Uma revisão sistemática de estudos sobre os efeitos da cafeína constatou que há uma relação entre a ingestão da substância e a infertilidade masculina. As pesquisas, no entanto, ainda necessitam de uma melhor definição de hábitos de vida para se chegar a uma evidência consistente.

Aumento da pressão arterial

Um estudo feito com adolescentes constatou que as bebidas energéticas aumentaram significativamente a pressão arterial sistólica na maioria dos participantes em um breve período de tempo após a ingestão. Quem possui irregularidades na pressão, portanto, deve ficar distante dessas bebidas.

Riscos à saúde bucal

Devido à quantidade de açúcar presente nos energéticos, essas bebidas também podem trazer riscos à saúde bucal. Um estudo que investigou a quantidade de açúcar e os valores de pH das bebidas energéticas constatou que o consumo regular de energéticos pode contribuir para a erosão dentária e o desenvolvimento da obesidade.

Tendo em vista todos esses malefícios possíveis, recomenda-se a utilização de energéticos naturais. Conheça 12 alimentos que dão energia!


Fontes: ABIR e Eat This.


Veja também: