Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Pesquisadora acredita que incontinência urinária pode ser controlada com mudança de pensamento

A incontinência urinária é a perda involuntária de urina, uma consequência da falta de controle sobre a bexiga por disfunção na musculatura que a sustenta dentro do corpo. Às vezes, um simples espirro, uma tosse ou até uma risada já é suficiente para causar perda de urina, uma situação nada confortável.

Mas, de acordo com a pesquisadora Jamis M. Miller, da Universidade de Michigan, nos Estados Unidos, uma simples mudança na forma de pensar pode melhorar drasticamente o controle da bexiga. 

Em um tutorial de apenas 15 minutos, chamado My Confident Bladder, ela apresenta habilidades e ferramentas de autoavaliação que podem ajudar as mulheres a desenvolver hábitos saudáveis ​​de controle da bexiga.

O que é importante saber

Segundo ela, é importante que as mulheres — público que sofre duas vezes mais com a incontinência urinária — controlem a bexiga com o próprio pensamento. Existem sistemas de controle conscientes e inconscientes, e ambos afetam um ao outro.

Mas a intenção (controle consciente) é realmente poderosa quando a mulher tem as informações corretas sobre seu próprio corpo. 

Como começar?

Jamis enfatiza vários princípios: primeiro, conheça seus gatilhos e determine se é uma necessidade real de fazer xixi ou uma necessidade resultante de um comportamento condicionado.

Por exemplo, se você saiu por algumas horas para fazer compras, não foi ao banheiro, chega em casa e sente vontade, isso provavelmente é real. Mas se você esvaziou a bexiga pouco antes de voltar para casa e ainda sente vontade, provavelmente é uma resposta condicionada. Pode ser bastante forte, mas desnecessário.

O segundo princípio é fazer uso de um exercício para anular esse padrão condicionado e suprimir a vontade de fazer xixi. Veja o exemplo de compras. No caminho para casa, você pode fazer contrações leves da pelve, apenas algumas, para sinalizar ao cérebro que não é hora de a bexiga produzir uma sensação de urgência.

Essa dica se traduz no cérebro dizendo à bexiga para se acalmar. Dessa forma, você suprime a reação exagerada inconsciente ao impulso quando chega em casa.

Aposte no pompoarismo

O assoalho pélvico é um conjunto de músculos e ligamentos que sustentam a pelve e os órgãos da região: intestino, bexiga, uretra, útero e ânus.

Quando a musculatura da área perde sua força, ela também perde sua capacidade de se sustentar. Daí aparecem problemas como a incontinência urinária. Três razões principais para esse afrouxamento são:

  • Gestação: além do parto normal, o peso que a mulher carrega durante nove meses também afrouxa a musculatura;
  • Idade avançada;
  • Menopausa.

O pompoarismo é uma técnica de exercícios que fortalece o assoalho pélvico, devolvendo a elasticidade natural e a força perdida pelo afrouxamento da região. Especificamente, os exercícios pélvicos fortalecem o músculo pubococcígeo, que se estende do osso púbico ao cóccix e forma o assoalho. As sequências consistem basicamente em contrair e relaxar essa musculatura.Para saber como fazer pompoarismo, dê uma olhada no vídeo a seguir: