Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Saber como conservar o meio ambiente é algo muito importante. A conservação pode ser caracterizada como um conjunto de ações que buscam o uso racional e sustentável dos recursos naturais, de maneira a obter alta qualidade de vida humana causando o menor impacto possível. Vale ressaltar que, embora o termo “conservação” seja muito utilizado como sinônimo de “preservação”, esses conceitos possuem significados distintos. Conheça a importância e confira dicas de como conservar o meio ambiente.

Entenda a diferença entre conservar e preservar o meio ambiente

Os termos “preservação” e “conservação” ambiental possuem significados diferentes, embora sejam frequentemente utilizados como sinônimos. A preservação do meio ambiente é a ação de proteger um ecossistema ou um recurso natural de dano ou degradação, ou seja, não utilizá-lo, mesmo que racionalmente e de modo planejado. Por outro lado, a conservação ambiental está relacionada com o uso racional e sustentável dos recursos naturais, garantindo sua existência para as gerações futuras. Na prática, esse conceito prevê a relação harmônica entre os seres humanos e a natureza.

As Áreas de Preservação Permanente (APP ‘s) podem ser entendidas como um exemplo de preservação do meio ambiente, já que são áreas que possuem a finalidade de preservar os recursos naturais. Por isso, a exploração humana é estritamente proibida. Já as Unidades de Conservação (UC ‘s) podem ser consideradas como um exemplo de conservação, visto que estabelecem o uso sustentável ou indireto de áreas naturais.

Conservacionismo

A preocupação com o meio ambiente surgiu na metade do século XIX, sobretudo por causa das mudanças provocadas pela Revolução Industrial. Nesse cenário, pensadores criam uma corrente ideológica chamada de conservacionismo, que contempla o amor à natureza, mas aliado ao seu uso racional e manejo criterioso pela espécie humana.

O pensamento conservacionista caracteriza a maioria dos movimentos ambientalistas, e pode ser identificado como o meio-termo entre o preservacionismo e o desenvolvimentismo, Ele também se fundamenta nas políticas de desenvolvimento sustentável, que são aquelas que buscam um modelo de desenvolvimento que garanta a qualidade de vida, mas que não destrua os recursos necessários às gerações futuras.

Alguns princípios dessa corrente são a redução do uso de matérias-primas, uso de energias renováveis, redução do crescimento populacional, combate à fome, mudanças nos padrões de consumo, equidade social, respeito à biodiversidade e inclusão de políticas ambientais no processo de tomada de decisões econômicas. Além disso, ela propõe a criação de unidades de conservação em ecossistemas frágeis e com um grande número de espécies endêmicas ou em extinção.

Importância da conservação ambiental

Como o próprio conceito de sustentabilidade indica, a conservação ambiental é importante para que as próximas gerações contem com recursos para a sua manutenção e subsistência. Além disso, é uma maneira eficaz de cuidar do habitat das espécies da nossa fauna e flora, impedindo que animais ou plantas entrem em extinção. No entanto, a conservação ambiental tem que ser feita de forma inteligente para ser efetiva, já que mesmo áreas conservadas podem sofrer efeito de borda e serem eliminadas.

Dicas de como conservar o meio ambiente

Atitudes simples e rotineiras podem não só fazer a diferença para preservar o meio ambiente, mas recuperá-lo:

  • Pratique upcycle;
  • Capte água da chuva;
  • Tome banhos mais curtos;
  • Reutilize água com cisternas;
  • Reduza o lixo orgânico doméstico;
  • Diminua o consumo de energia elétrica;
  • Encaminhe seus descartes para a reciclagem;
  • Evite o consumo desnecessário e o desperdício;
  • Não compre animais silvestres, e denuncie quem o faz;
  • Zere o consumo de cosméticos com esfoliantes sintéticos;
  • Troque sua escova de dentes de plástico por uma de bambu;
  • Use mais transportes públicos, bicicletas, patins e skates em seu dia a dia;
  • Pratique a compostagem ou implemente a coleta seletiva no seu condomínio;
  • Reduza o máximo possível de produtos de origem animal como carneovos e leite;
  • Prefira materiais menos danosos. Ao fazer suas compras, prefira embalagens de vidro, papel e papelão;
  • Dê prioridade a alimentos de origem vegetal produzidos localmente e de modo orgânico, e com desperdício zero;
  • Preste atenção em rótulos das embalagens e, se não for possível evitar o consumo de embalagens plásticas, procure embalagens recicláveis;
  • Se você não puder cozinhar, opte por um restaurante com comida de verdade, servida em pratos de louças, talheres de aço e copos de vidro;
  • Tome cuidado com algumas embalagens de molho e itens longa vida, que, apesar de parecerem ser apenas papelão, possuem finas camadas de BOPP, um plástico que dificulta a reciclagem;
  • Atue em rede e de forma engajada em ações coletivas a fim de promover mudanças que afetem as qualidades socioambientais de determinado evento, lugar, ideia, objeto ou cenário político.

Vale ressaltar que os pontos citados acima são apenas hábitos individuais que podem auxiliar na conservação do meio ambiente. No entanto, a conservação também envolve a demarcação de terras indígenas, a criação de Unidades de Conservação e a adoção de políticas públicas efetivas no combate às mudanças climáticas e outros problemas ambientais. Para conhecer mais dicas, acesse as matérias “O que podemos fazer para ajudar o meio ambiente” e “Dicas de consumo consciente que você precisa conhecer”.