Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

O conceito de preservação do meio ambiente está relacionado com a proteção integral da natureza

O termo “preservação do meio ambiente” refere-se à proteção integral de uma área natural, sem interferência humana. Ela se faz necessária quando há risco de perda de biodiversidade, seja de uma espécie, um ecossistema ou de um bioma como um todo. Vale ressaltar que embora seja muito utilizado como sinônimo de “conservação”, esses conceitos possuem significados distintos.

Preservação ou conservação ambiental?

Os termos “preservação” e “conservação” ambiental possuem significados diferentes, embora sejam frequentemente utilizados como sinônimos. Como ressaltado anteriormente, preservação do meio ambiente é a ação de proteger um ecossistema ou um recurso natural de dano ou degradação, ou seja, não utilizá-lo, mesmo que racionalmente e de modo planejado.

Por outro lado, a conservação ambiental está relacionada com o uso racional e sustentável dos recursos naturais, garantindo sua existência para as gerações futuras. Na prática, esse conceito prevê a relação harmônica entre os seres humanos e a natureza.

As Áreas de Proteção Permanente (APP’s) podem ser entendidas como um exemplo de preservação do meio ambiente, já que são áreas que possuem a finalidade de preservar os recursos naturais. Por isso, a exploração humana é estritamente proibida. Já as Unidades de Conservação (UC’s) podem ser consideradas como um exemplo de conservação, visto que estabelecem o uso sustentável ou indireto de áreas naturais.

Preservacionismo

A palavra “preservação” surgiu a partir de uma corrente ideológica chamada de preservacionismo, que aborda a proteção da natureza independentemente de seu valor econômico ou utilitário, apontando o ser humano como o causador da quebra desse “equilíbrio”. De caráter protetor, propõe a criação de santuários intocáveis, sem sofrer interferências relativas aos avanços do progresso e sua consequente degradação.

Em outras palavras, “tocar”, “explorar”, “consumir” e, muitas vezes, até “pesquisar”, tornam-se atitudes que ferem tais princípios. De posição mais radical que o conservacionismo, esse movimento foi responsável pela criação de parques nacionais, como o Parque Nacional de Yellowstone, localizado nos estados de Wyoming, Montana e Idaho.

Área de Proteção Permanente

Preservação do meio ambiente
Imagem editada e redimensionada de Heris Luiz Cordeiro Rocha, está disponível no Wikimedia e licenciada sob CC by 3.0

Área de Preservação Permanente (APP) é uma “área protegida, coberta ou não por vegetação nativa, com a função ambiental de preservar os recursos hídricos, a paisagem, a estabilidade geológica e a biodiversidade, facilitar o fluxo gênico de fauna e flora, proteger o solo e assegurar o bem-estar das populações humanas”, de acordo com o Novo Código Florestal. Ela busca atender ao direito fundamental de todo brasileiro a um “meio ambiente ecologicamente equilibrado”, conforme previsto no artigo 225° da Constituição da República Federativa do Brasil.

Importância da preservação

O artigo 225 da Constituição Federal afirma que o meio ambiente é um “bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao Poder Público e à coletividade o dever de defendê-lo e preservá-lo para as presentes e futuras gerações”. Para que isso ocorra, é essencial a sua preservação e manejo de forma sustentável, em que os recursos possam ser utilizados de forma a não acarretar seu esgotamento, podendo ser usufruídos pelas gerações futuras.

Esse é um dos princípios do desenvolvimento sustentável, que pretende unir desenvolvimento econômico e preservação do meio ambiente. Assim sendo, a preservação do meio ambiente é um recurso fundamental para a manutenção e sobrevivência dos seres vivos.

Dicas de como preservar o meio ambiente

Atitudes simples e rotineiras podem não só fazer a diferença para preservar o meio ambiente, mas recuperá-lo:

  • Pratique upcycle;
  • Capte água da chuva;
  • Tome banhos mais curtos;
  • Reutilize água com cisternas;
  • Reduza o lixo orgânico doméstico;
  • Diminua o consumo de energia elétrica;
  • Encaminhe seus descartes para a reciclagem;
  • Evite o consumo desnecessário e o desperdício;
  • Não compre animais silvestres, e denuncie quem o faz;
  • Zere o consumo de cosméticos com esfoliantes sintéticos;
  • Troque sua escova de dentes de plástico por uma de bambu;
  • Use mais transportes públicos, bicicletas, patins e skates em seu dia a dia;
  • Pratique a compostagem ou implemente a coleta seletiva no seu condomínio;
  • Reduza o máximo possível de produtos de origem animal como carneovos e leite;
  • Prefira materiais menos danosos. Ao fazer suas compras, prefira embalagens de vidro, papel e papelão;
  • Dê prioridade a alimentos de origem vegetal produzidos localmente e de modo orgânico, e com desperdício zero;
  • Preste atenção em rótulos das embalagens e, se não for possível evitar o consumo de embalagens plásticas, procure embalagens recicláveis;
  • Se você não puder cozinhar, opte por um restaurante com comida de verdade, servida em pratos de louças, talheres de aço e copos de vidro;
  • Tome cuidado com algumas embalagens de molho e itens longa vida, que, apesar de parecerem ser apenas papelão, possuem finas camadas de BOPP, um plástico que dificulta a reciclagem;
  • Atue em rede e de forma engajada em ações coletivas a fim de promover mudanças que afetem as qualidades socioambientais de determinado evento, lugar, ideia, objeto ou cenário político.