Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Conheça chás para retenção de líquidos que podem ser encontrados no armário da sua cozinha

Os chás para retenção de líquidos são alternativas que aumentam a quantidade de urina produzida e ajudam o organismo a liberar o excesso de água. Esse excesso é chamado de retenção líquida, e pode causar inchaço e causar pernas, tornozelos, abdômen, mãos e pés.

Normalmente, a retenção de líquidos costuma aparecer depois de viagens de avião, alterações hormonais e consumo de sal em excesso. Quadros mais sérios que podem causar retenção de líquidos são problemas renais, cardíacos, hepáticos ou doenças da tireoide.

Quando beber água não é suficiente, o corpo tende a reter água, fazendo com que a pessoa se sinta mais pesada e inchada que o normal e menos ágil ou ativa. A retenção de líquidos é um problema de saúde comum e pode ocorrer diariamente, podendo ser causada por fatores como dieta, ciclo menstrual e genética. Alguns alimentos tem ação diurético natural, confira uma lista com os oito melhores chás para retenção líquidos.

1. Extrato de dente-de-leão

Dente-de-leão. Imagem de Peter Dargatz por Pixabay 

O extrato de dente-de-leão, também conhecido comoTaraxacum officinale, é conhecido por seus efeitos no combate à retenção de líquidos (confira aqui estudos a respeito: 4, 5). Um estudo sugeriu que esses efeitos são devidos ao seu alto teor de potássio 6).

Ingerir alimentos ricos em potássio sinaliza para os rins que eles devem expelir mais sódio e água (confira: 7). Isso pode ser benéfico, pois a maioria das dietas modernas é rica em sódio e pobre em potássio, provocando retenção de líquidos (confira: 8).

Em teoria, o alto teor de potássio do dente-de-leão significa que esse suplemento pode ajudar a eliminar o excesso de água causado por uma alta ingestão de sódio. No entanto, o conteúdo real de potássio do dente-de-leão pode variar, assim como seus efeitos (confira: 6).

Um estudo em humanos descobriu que tomar um suplemento de dente-de-leão aumentou a quantidade de urina produzida nas cinco horas após tomar o suplemento.

2. Cavalinha

Cavalinha. Imagem de Markéta Machová por Pixabay 

A cavalinha é uma planta usada há anos como diurético natural. Um estudo realizado com homens descobriu que essa erva é tão eficaz quanto a hidroclorotiazida, um medicamento diurético.

Entretanto não é recomendado usar a cavalinha a longo prazo. Ela também não é recomendada para pessoas com doença renal ou diabetes. Lembre-se de que os remédios à base de plantas também podem conter quantidades variáveis ​​de seu ingrediente ativo, portanto, seus efeitos podem variar. Saiba mais sobre esse tema na matéria:

3. Salsa

Salsa. Imagem de AllNikArt por Pixabay 

A salsa é usada como diurético na medicina popular. Tradicionalmente, é ingerida na forma de chá várias vezes ao dia para reduzir a retenção de água (confira aqui estudos a respeito: 10). Estudos em ratos mostraram que ela pode aumentar o fluxo de urina e exercer um efeito diurético leve. No entanto, nenhum estudo em humanos examinou a eficácia da salsa como diurético. Como resultado, atualmente não se sabe se tem o mesmo efeito nas pessoas e, se houver, quais doses são mais eficazes. Saiba mais na matéria:

4. Hibisco

Hibisco. Imagem de Andrea Gibhardt por Pixabay 

O hibisco é uma família de plantas conhecida por produzir flores bonitas e coloridas. O hibisco tem sido comumente usado para fazer um chá medicinal chamado “roselle” ou “chá azedo”. Um estudo concluiu que o chá de hibisco reduz a pressão arterial de pessoas com hipertensão.

O chá de hibisco também funciona como diurético natural. Alguns estudos concluíram que ele remédio eficaz para retenção de líquidos leve. Além disso, outros estudos de laboratório e em animais indicaram que ele pode ter um efeito diurético leve (confira aqui os estudos: 15, 16).

Entretanto, um estudo realizado na Tailândia deu a 18 pessoas três gramas de hibisco em forma de chá diariamente por 15 dias. No entanto, eles descobriram que isso não teve efeito sobre a produção de urina (confira aqui o estudo: 14).

No geral, os resultados foram variados. Apesar de observar um efeito diurético em animais, pequenos estudos em pessoas que tomaram hibisco até agora não demonstraram nenhum efeito diurético (confira aqui os estudos: 14, 17).

5. Cominho

Cominho. Imagem de Manfred Richter por Pixabay 

O cominho é uma planta muito utilizada na medicina ayurvédica na Índia para tratar distúrbios digestivos, dores de cabeça e enjoos matinais (confira aqui estudo a respeito: 18).

Na medicina marroquina, o cominho também é usado como diurético. Um estudo realizado em ratos descobriu que a administração de extrato de cominho em forma líquida aumentou significativamente a produção de urina em 24 horas.

6. Chá verde e preto

Chá preto. Imagem de Free-Photos por Pixabay 

Tanto o chá preto quanto o verde contêm cafeína e podem atuar como chás para retenção de líquidos. Em ratos, o chá preto demonstrou ter um efeito diurético leve. Isso foi atribuído ao seu conteúdo de cafeína (confira aqui estudo a respeito: 20).

No entanto, como no caso do café, pode haver tolerância aos efeitos da cafeína presente no chá. Isso significa que o efeito diurético só é provável de ocorrer em pessoas que não tomam chá regularmente (confira aqui estudo a respeito: 3).

7. Nigella Sativa

Nigella sativa. Imagem de Celia05 por Pixabay 

Nigella sativa, também conhecida como “cominho preto”, é um tempero com impressionantes propriedades medicinais, incluindo seu efeito diurético (confira aqui estudo a respeito: 21)

Estudos em animais mostraram que o extrato de Nigella sativa pode aumentar a produção de urina e diminuir a pressão arterial em ratos com pressão alta (confira aqui os estudos: 22, 23 e 24).

8. Gengibre

Gengibre. Imagem de Joseph Mucira por Pixabay 

Tanto o dente-de-leão quanto o gengibre são usados ​​popularmente em bebidas e chás, alegando serem desintoxicantes por causa de suas qualidades diuréticas.