Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Descubra por que incluir a castanha-portuguesa na alimentação quando chega a época desta oleaginosa

Imagem de Tijana Drndarski em Unsplash

A castanha-portuguesa é o fruto seco da árvore da espécie Castanea sativa. De sabor leve e adocicado, é um alimento versátil e muito comum na dieta mediterrânea, sobretudo nas festas de fim de ano. É rica em vitamina C, vitaminas do complexo B, nutrientes e minerais essenciais, oferecendo diversos benefícios para o sistema imunológico.

Com baixo teor de gordura em comparação com outras oleaginosas, a castanha-portuguesa é fonte de fibras e livre de glúten, sendo liberada para pessoas com sensibilidade à substância ou que convivem com a doença celíaca. Pode ser consumida crua, mas, por sua alta versatilidade, é um componente adaptável tanto a pratos salgados como a sobremesa. Outros usos comuns incluem castanhaportuguesa cozida, assada, torrada ou em forma de farinha.

Valor nutricional da castanha-portuguesa

A castanha-portuguesa é uma boa fonte de nutrientes, vitaminas e minerais. Consumir 100 gramas de castanha doce oferece 0,418 mg de cobre, 40,2 mg de vitamina C, 44,17 g de carboidratos, 0,352 mg de vitamina B6, 0,336 mg de manganês, 58 mg de vitamina B9 e 0,144 mg de vitamina B1. Além disso, aminoácidos como triptofano, treonina e lisina também são encontrados no alimento.

Benefícios da castanha-portuguesa para a saúde

As castanhas-portuguesas, ao contrário de outras nozes e sementes, são relativamente baixas em calorias e gorduras. No entanto, eles são fontes ricas em minerais, vitaminas e fitonutrientes que beneficiam muito a saúde.

Outra característica única dessas castanhas é que elas são compostas principalmente por carboidratos, em contraste com outros tipos de sementes e nozes, que são ricas em calorias, proteínas e gordura. A composição nutricional das castanhas-portuguesas é semelhante à de outros alimentos ricos em carboidratos, como batata-doce, milho doce, batata, banana-da-terra. No entanto, elas são melhores fontes de minerais, vitaminas e proteínas de boa qualidade do que cereais e tubérculos.

Como é fonte de fibras, a castanha-portuguesa ajuda a reduzir os níveis de colesterol no sangue, limitando a absorção do excesso de colesterol no intestino. Além disso, é fonte de vitamina C, que, além de antioxidante, protegendo contra a ação dos radicais livres, ainda auxilia no fortalecimento da imunidade.

Como todas as castanhas, as castanhas-portuguesas também são ricas em ácidos graxos monoinsaturados, como o ácido oleico e ácido palmitoleico. Estudos sugerem que incluir gorduras monoinsaturadas na dieta ajuda a diminuir tanto o colesterol total quanto o LDL (colesterol ruim), enquanto aumenta os níveis de HDL (colesterol bom) no sangue. A dieta mediterrânea, que é rica em fibras alimentares, ácidos graxos ômega e antioxidantes, ajuda a prevenir doenças das artérias coronárias e derrames, favorecendo um perfil lipídico saudável no sangue.

Mas não acaba por aí! As castanhas-portuguesas ainda são uma excelente fonte de minerais como ferro, cálcio, magnésio, manganês, fósforo e zinco, além de fornecerem uma quantidade adequada de potássio. O potássio neutraliza a ação hipertensiva do sódio, reduz a frequência cardíaca e a pressão arterial. O ferro ajuda a prevenir a anemia. Já o magnésio e o fósforo são componentes essenciais do metabolismo ósseo.

Adicionar uma pequena porção de castanhas portuguesas à sua rotina alimentar pode trazer diversos benefícios à saúde, além de ajudar na prevenção ao envelhecimento precoce. Se você não é muito fã do consumo in natura, experimente adicioná-la a receitas do dia a dia, como massas e arroz no forno. As castanhas cozidas também podem compor farofas e purês.


Fontes: Plants for a Future, Health Benefits Times e Nutrition and You


Veja também: