Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Entenda mais sobre Stonehenge e porque especialistas acreditam que ele foi um calendário solar

Stonehenge é um monumento e site arqueológico de mais de 5 mil anos encontrado em Wiltshire, na Inglaterra. Formado por 30 rochas em um círculo externo, a estrutura é um mistério da humanidade. Uma das maiores questões envolvendo-o é a de quem foi responsável por sua criação. 

De acordo com o folclore, o monumento foi criado por Merlin. De acordo com o conto, o mago transportou magicamente as pedras da Irlanda para Wiltshire, onde Stonehenge foi, então, construído por gigantes. O folclore conta com um pouco de verdade, uma vez que o círculo é constituído de rochas que foram trazidas de outros locais distantes, mas não da Irlanda. Novas tecnologias foram capazes de provar a origem das pedras — especialistas encontraram afloramentos no País de Gales, de onde os monólitos se originaram. 

Por outro lado, teorias mais recentes sugerem que, similarmente às pirâmides, a estrutura foi obra de extraterrestres. 

Embora não se saiba exatamente quem foi responsável pela construção do monumento, evidências arqueológicas sugerem que as primeiras modificações no local foram feitas por caçadores-coletores mesolíticos, por volta de 2500 (AC). 

Nada é confirmado, além de que Stonehenge foi construída no eixo do nascer do Sol do solstício de verão e no pôr do Sol do solstício de inverno. Entretanto, os mistérios que circulam o seu motivo ainda não foram confirmados. 

Formação

Como já mencionado, Stonehenge é formado de 30 pedras em um círculo externo, mas elas cercam cinco arcos de pedra em formato de ferradura. Ele também conta com dois círculos feitos de pedras menores – um dentro do círculo externo e outro dentro da ferradura – assim como quatro “pedras da estação” posicionadas fora do monumento central.

Imagem de Ty Welch no Unsplash

Teorias

 Além de sua formação, Stonehenge conta com diversas teorias sobre o seu propósito. Enquanto interpretações modernas alegam que o monumento serviu de área de pouso de naves espaciais para alienígenas, especialistas acreditam ser um local construído para adoração ao Sol ou manutenção de calendário. 

A teoria do calendário foi sustentada por um estudo da Universidade de Bournemouth. De acordo com o professor Timothy Darvill, líder da pesquisas, Stonehenge era um calendário perpétuo ‘simples e elegante’ baseado em um ano solar tropical de 365,25 dias.” Desse modo, as 30 pedras do círculo externo representam os dias de um mês.

Quando o monumento foi construído, acredita-se que um mês era composto de três semanas, cada uma com dez dias. Para o professor Darvill, há pedras distintas no círculo que marcam o início de cada uma dessas três semanas do mês.

Além disso, o especialista alega que a visão de Stonehenge como um calendário solar pode mudar a perspectiva da humanidade sobre o monumento. Ele acredita que a descoberta abre uma maneira de ver a estrutura como “um lugar para os vivos”.  Um local onde cerimônias e festivais eram conectados aos movimentos celestes do universo. 

Por outro lado, e com menos provas científicas que envolvem o posicionamento do Sol, uma teoria radical acredita que o monumento serviu como um local de cura. Essa teoria é baseada nas propriedades das pedras que foram transportadas do País de Gales. Pesquisadores teorizam que essas rochas deveriam ser creditadas como mágicas, uma vez que a população anterior não sabia como elas foram transportadas por cerca de 230 quilômetros. 

Como visitar 

O Stonehenge é mais popular durante o solstício de verão do hemisfério norte, que ocorre cerca do dia 22 de dezembro. Ele está aberto para visitação o ano inteiro, mas seus ingressos podem ser comprados com antecedência para uma entrada garantida. É possível andar em uma passarela que circunda o site. Porém, devido a preocupações de conservação, não é possível andar entre as rochas.