Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Confira alternativas saudáveis e ecológicas aos brinquedos de plástico e presenteie com criatividade

Os brinquedos de plástico são um dos maiores desafios para os pais que querem criar os filhos de maneira sustentável. Afinal, eles são chamativos, coloridos, populares – e estão em todo lugar! A indústria de brinquedos é gigantesca. Em 2016, ela atingiu o montante de 20,36 bilhões de dólares em vendas e não mostra sinais de desaceleração. Mas seu impacto negativo no meio ambiente é enorme.

Em 2019, o setor de brinquedos liderou a publicidade infantil na TV. Além dos males da exposição excessiva do público infantil à publicidade, que pode resultar em adolescentes e adultos com hábitos de consumo prejudiciais a si mesmos e ao planeta, existe também o problema do plástico. De acordo com a pesquisa Infância plastificada o impacto da publicidade infantil de brinquedos de plástico na saúde de crianças e no ambiente, conduzida pelo Grupo de Estudos e Pesquisas em Química Verde, Sustentabilidade e Educação (GPQV), da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), a pedido do Programa Criança e Consumo, do Instituto Alana, 90% dos brinquedos no mundo são feitos de plástico.

O problema é que muitos tipos de plástico são tóxicos e podem causar impactos muito negativos na saúde das crianças, além de serem de difícil reciclagem. Isso sem falar nas embalagens, que, na melhor das hipóteses, também vão parar em e lixões e aterros sanitários por causa da inviabilização da reciclagem. Caso escapem para o meio ambiente, seu destino pode ser os oceanos, onde acabam sendo ingeridas por animais e causando enormes prejuízos para a vida marinha, para os ecossistemas da região e, em última análise, para a saúde humana.

Os brinquedos de plástico são tóxicos?

Criança brincando com brinquedos de plástico. Imagem de Esi Grünhagen por Pixabay 

Sim. Quase todos os brinquedos de plástico macio são feitos de PVC, e a combinação de alguns produtos químicos tóxicos, principalmente encontrados em plásticos de PVC, torna os brinquedos de plástico perigosos para crianças e bebês, causando impactos negativos em sua saúde.

Além disso, pesquisas mostram que a maioria dos plásticos libera compostos parecidos com hormônios, enganando o organismo e podendo causar problemas hormonais em longo prazo. Brinquedos infantis são geralmente feitos com dois ingredientes tóxicos: ftalatos e bisfenol A (BPA). Pesquisas mostram cada vez mais que esses produtos químicos imitam ou suprimem hormônios (por exemplo, estrogênio e testosterona) e interrompem o desenvolvimento e crescimento saudáveis.

O bisfenol A é um desregulador hormonal usado para fazer plástico de policarbonato (plástico transparente rígido). Principalmente, a exposição humana ocorre por meio da ingestão, sucção de plásticos e contato com a pele. Outras substâncias tóxicas presentes nos plásticos são o ftalatos, o cloreto de polvinila e o poliestireno (ou isopor), que podem ser potencialmente cancerígenas.

Alternativas aos brinquedos de plástico

Além de reduzir os danos à saúde dos pequenos, os brinquedos reciclados, ecológicos e educativos são a maneira mais eficaz de transmitir às crianças uma mensagem de amor e respeito pelo meio ambiente.

Os brinquedos “faça-você-mesmo”, por exemplo, são divertidos, ajudam a estimular a criatividade e ainda propiciam um momento delicioso em família! Entre as opções mais populares, você pode fazer um trenzinho de caixa de papelão, um tamborzinho de lata, pinos de boliche com garrafas PET e até bonecos com luvas e meias que não são mais utilizadas.

Para presentear, dê preferência a brinquedos de madeira (como o bom e velho cavalinho de balanço, que nunca sai de moda), ao cata-vento, às casinhas (de madeira ou papelão) e aos instrumentos musicais, que sempre estão disponíveis em lojas de brinquedos educativos. Evitar os brinquedos de plástico é simples: basta um pouco de criatividade.