Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Disciplina positiva é mais eficaz do que a disciplina tradicional a longo prazo e ensina às crianças mais do que a mera obediência

Imagem editada e redimensionada de Kiana Bosman, está disponível no Unsplash

Disciplina positiva, popularizada pela Dra. Jane Nelsen, é um modo de educar em que pais e cuidadores reforçam bons comportamentos e extinguem comportamentos indesejáveis ​​sem ferir a criança física ou verbalmente. Especialistas dizem que a disciplina positiva é mais eficaz do que a disciplina tradicional a longo prazo e ensina às crianças uma lição melhor do que a mera obediência. Pesquisas descobriram que formas mais tradicionais ou negativas de punição não levam ao aprendizado a longo prazo – e podem realmente contribuir para comportamentos mais indesejados, e não menos.

Entendendo a disciplina positiva

A disciplina positiva não é apenas evitar gritar ou punir as crianças de outra forma. Ela exclui qualquer forma de recompensa. Em vez disso, uma abordagem dentro da disciplina positiva começaria com a tentativa de descobrir por que a criança tem tanta dificuldade em permanecer sentada à mesa, por exemplo, e, em seguida, seria feito uma análise para encontrar soluções que atendam às necessidades de todos.

Talvez a família vá passear antes do jantar para evitar a inquietude da criança, ou proponha que ela fique à mesa ou se sente em uma bola de ioga em vez de em uma cadeira. A diferença entre esse caminho e o caminho tradicional da disciplina é que os pais não estão procurando controlar o comportamento da criança, mas respeitar as necessidades da criança e as necessidades dos pais. As soluções são eficazes a longo prazo e ensinam uma lição maior que a mera obediência.

Por que a disciplina tradicional não é tão eficaz

Para os pais que foram criados com um estilo de disciplina muito diferente, ou que passaram a acreditar que as crianças precisam ser controladas e colocadas em seu lugar para se tornarem adultos respeitosos, esse estilo de disciplina pode parecer muito permissivo e relaxado.

Mas levantar a voz ou agredir fisicamente não faz muito para ajudar as crianças a aprenderem que elas devem fazer uma escolha diferente da próxima vez. Pesquisas descobriram que formas mais tradicionais ou negativas de punição não levam ao aprendizado a longo prazo e podem realmente contribuir para uma comportamento mais indesejado, não menos.

Um estudo publicado na revista Psychological Science também constatou os efeitos das práticas severas no comportamento das crianças. A pesquisa envolveu 1030 pares de gêmeos, incluindo 426 pares geneticamente idênticos e muitos casos cujos pais tratavam cada gêmeo de uma maneira diferente. Entre gêmeos idênticos com genes que combinam perfeitamente, mas que os pais punem de maneiras diferentes, as crianças que receberam mais palmadas ou gritaram foram mais propensas a apresentar comportamento antissocial.

A coisa mais importante que os pais podem fazer, então, é tentar não disciplinar seus filhos enquanto estão com raiva, pois assim será maior a probabilidade deles ferirem os filhos física ou emocionalmente.

Adotando disciplina positiva em sua casa

Talvez a ideia de disciplina positiva faça muito sentido para você e seja algo que você gostaria de tentar, mas não sabe ao certo por onde começar ou como cumpri-la em momentos de verdadeira frustração. Afinal, a paternidade e a maternidade são difíceis, e as crianças costumam testar os nervos.

Mas os pais devem primeiro gerenciar suas próprias frustrações, especialmente quando os filhos inevitavelmente fazem algo que especificamente foi pedido para não fazer ou quebram algo que tem muito valor para o cuidador.

Nessas situações, os pais deve se afastar e encontrar uma maneira de gerenciar suas próprias emoções antes de tentar ensinar à criança quais devem ser as consequências de suas ações. Mas outro grande componente da disciplina positiva é pegar seu filho fazendo o certo: elogie-o por seus esforços e incentive suas escolhas.

Os pais também podem desempenhar um papel na criação de um ambiente que reduz as oportunidades da criança de fazer más escolhas. Isso pode incluir a remoção de telas da área de recreação para que as crianças não fiquem tentadas a fazer birras para assistir a vídeos e se concentrar em outras formas de brincar que ensinam habilidades diferentes às crianças. Basicamente, o recado é educar para o sucesso, e não para o fracasso.

Há diversas ferramentas de disciplina positiva que podem guiar o processo. Essas são algumas recomendações:

  • Crie uma conexão maior com a criança, ouça o que ela tem a dizer (sem corrigir ou julgar) e valide seus sentimentos;
  • Incentive fazendo perguntas, demonstrando fé na criança e gastando um tempo para garantir que a mensagem de carinho seja transmitida;
  • Crie uma rotina para a criança (e envolva-a nisso), assim, ela realizará as tarefas por ela mesma e se sentirá mais capaz e encorajada;
  • Respeite a privacidade;
  • Estabeleça acordos no lugar de regras e imposições;
  • Atente-se ao tom de voz e o efeito negativo que isso pode ter na criança.

Fazendo a disciplina positiva funcionar para você e sua família

A disciplina positiva funciona estabelecendo expectativas claras que se baseiam em valores e, em seguida, alimentando esses valores com carinho por meio da experiência cotidiana. O resultado é uma criança motivada e disciplinada, que não procura motivação fora de si.

Mas existem inúmeras maneiras de disciplinar seus filhos sem palmadas e gritos. A disciplina positiva é apenas uma delas e, se não lhe parece o caminho certo, está tudo bem. Existem muitos outros recursos que se baseiam em parte nos mesmos princípios e podem ajudar os pais a criar crianças felizes e saudáveis ​​que aprenderam importantes habilidades sociais e de vida para serem bem-sucedidas quando tiverem que viver por conta própria.



Veja também: