Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

alergia ao sal é um tipo de reação do organismo ao consumo de cloreto de sódio, o famoso sal de cozinha. A alergia é uma resposta do sistema imunológico a uma substância estranha, como pólen, veneno de abelha, pelos de animais ou mesmo alimentos que não causam reação na maioria das pessoas, como o sal.

Esses elementos estranhos são chamados de alérgenos e podem causar uma série de reações diferentes, dependendo da alergia. Os mais comuns incluem espirros, inflamações, problemas de pele e inchaço em uma ou mais regiões do corpo.

O que desencadeia a alergia ao sal?

Em 2019, uma equipe de pesquisadores da Universidade Técnica de Munique demonstrou, em laboratório, que o sal leva à formação de células imunológicas chamadas Th2, que ficam ativas em condições alérgicas, como a dermatite atópica. Os cientistas também detectaram concentrações elevadas de cloreto de sódio na pele dos pacientes de alergias alimentares.

Nos países ocidentais, quase uma em cada três pessoas é afetada por alergias em algum momento da vida. Uma em cada 10 crianças sofre de dermatite atópica. As células-T desempenham papel importante em condições imunológicas do tipo.

Embora sejam um aspecto vital da resistência do corpo a infecções, se não controladas, também podem desencadear respostas patológicas e começar a atacar partes do próprio organismo em contato com substâncias inócuas, conhecidas por alérgenos.

Quando isso ocorre, as células Th2, um subgrupo de células-T, podem causar condições inflamatórias da pele, como a dermatite atópica. Isso envolve um aumento da produção das proteínas interleucina 4 (IL-4) e interleucina 13 (IL-13). Entretanto, os cientistas ainda não sabem o que desencadeia o ataque autoimune.

O sal de mesa, conhecido cientificamente como cloreto de sódio, é essencial para a saúde de seres humanos e animais. No corpo, ocorre na forma de íons sódio e cloro. No estudo, Christina Zielinski, professora da Universidade Técnica de Munique, demonstrou que o sódio pode induzir uma reação nas células-T humanas que faz com que elas produzam quantidades aumentadas das proteínas IL-4 e IL-13.

Na presença do sal, alguns tipos de células-T, que não causam alergias, podem, se transformar em Th2, desencadeando a reação alérgica.

Reversão

As alterações são revertidas quando a célula-T é novamente exposta a níveis mais baixos de sal. Consequentemente, os sinais iônicos desempenham um papel na geração e no controle das células Th2, segundo a pesquisadora.

Como especialista em dermatologia, Zielinski diz que seu interesse de pesquisa é a dermatite atópica. Por isso, ela investigou se as regiões da pele afetadas por essa alergia, caracterizada por secura, rachaduras, vermelhidão e coceira, exibiam níveis elevados de sódio. A análise revelou que as quantidades de sal nas lesões dos pacientes da doença eram até 30 vezes mais altas que nas áreas saudáveis da derme.

Os níveis mais altos de sódio na pele afetada combinam nitidamente com outra característica da dermatite atópica, de acordo com Zielinski. Sabe-se, há algum tempo, que os pacientes com essa condição apresentam níveis elevados da bactéria Staphylococcus aureus na pele. Esta bactéria é um micro-organismo que prospera sob condições salinas, diferentemente das bactérias comensais, que são prejudicadas pelo sal.

A pesquisadora acredita que esse conhecimento prévio e os resultados da nova pesquisa são forte indicativo da associação entre o sal e a dermatite atópica. No entanto, ainda não é possível mostrar como essas grandes quantidades de sal chegam à pele, e, por isso, também não se sabe se uma dieta com pouco ou muito sal pode influenciar nessa ou em outras condições alérgicas.

Ingestão de sal de mesa

Seu corpo gosta de manter seus níveis de sódio dentro de uma certa concentração nos fluidos dentro e fora das células. Se você consumir quantidades excessivas de cloreto de sódio, pode desenvolver um aumento no fluido fora das células como resultado das tentativas naturais do seu corpo para restaurar as concentrações normais de sódio.

Se você ingerir líquidos o suficiente e seus rins funcionarem corretamente, seu corpo também tentará compensar o consumo de cloreto de sódio excretando todo o sódio extra na urina. No entanto, você pode desenvolver sintomas de sódio excessivo, que incluem diarreiacólicas abdominais, náuseas e vômitos.

Reações alérgicas

Uma reação alérgica ao sal pode produzir sintomas que incluem dificuldades respiratórias, urticária e inchaço na garganta, rosto, lábios ou língua. Procure orientação médica urgentemente se sentir algum desses sintomas.

Outras reações potenciais ou efeitos colaterais associados ao uso de cloreto de sódio incluem dor no peito, aperto no peito, inchaço nas mãos ou pés, fadiga, confusão, sede extrema, aumento ou diminuição da produção de urina, fraqueza muscular ou espasmos e perda iminente de consciência.

Reações mais raras podem incluir convulsões, febre, tosse forte, respiração ofegante e coloração azulada da pele.