Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Tecido derivado do bicho-de-seda pode não se encaixar nos ideais veganos, por isso, existe a seda vegana

A seda vegana é uma alternativa para aquela usada em larga escala pelo mercado mundial. Apesar da seda comum ser biodegradável, o seu processo de fabricação envolve crueldade animal e uso irresponsável dos recursos naturais, além de emitir gases do efeito estufa que agravam as mudanças climáticas.

A seda, derivada de certas espécies de lagartas, não é considerada um produto vegano. Isso pode ser um problema já que ela constitui a maior parte do que é produzido e comercializado no mundo como seda

Na verdade, a produção da seda animal envolve diversas questões ambientais, que podem ser contornadas com o uso da seda vegana. Para entender melhor a necessidade de trocar um produto pelo outro, é preciso destrinchar algumas problemáticas da produção da seda animal. 

Por que a seda não é vegana?

Processo de produção da seda

A seda animal é feita a partir dos casulos das espécies domesticadas de lagartas, sendo a mais utilizada a Bombyx Mori, ou bicho-da-seda. A chamada seda de amoreira tem uma história secular, que data de mais de cinco mil anos atrás, durante a China Antiga. Foi neste período que essa espécie de larva passou a ser domesticada, apenas para a produção da seda animal.

No processo, a lagarta de Bombyx Mori é criada e desenvolvida até sua fase de pupa, quando ela começa a produzir seu casulo. Dentro da pupa do bicho-de-seda, ele se desenvolve para se tornar uma mariposa. No entanto, essa metamorfose nunca chega ao final, já que para ter seda é preciso matar a larva antes dela se transformar.

Assim que ela chega à fase de pupa, uma ou duas semanas depois de iniciá-la, os produtores mergulham o casulo de seda em água fervente, para conseguir matar a larva e ficar apenas com o que foi produzido. Afinal, se o produtor esperasse até o momento que a lagarta se transforma em mariposa, ele teria como resultado um fio de seda danificado.

Produção com bicho-da-seda não é cruelty-free

A partir daí é possível entender o porquê da seda não ser vegana. Além de ser um produto derivado de seres vivos, é um resultado da sua exploração, mesmo que o bicho-de-seda não seja senciente. Desta maneira, muitas pessoas de dentro da comunidade vegana não consideram a seda uma alternativa eco-friendly.

Além disso, a produção da seda não é considerada muito ecológica por ambientalistas. Apesar de no Brasil o mercado ser voltado para a agricultura familiar, muito menos poluente, no mundo a indústria é bem maior e causa mais impactos à natureza. Segundo Higg Index, o impacto da produção de seda chega a ser tão ruim quanto o de qualquer outro tipo de têxtil. Causando poluição na água, no ar e emitindo uma grande quantidade de gases de efeito estufa. 

Desta maneira, a seda vegana se apresenta como uma alternativa muito mais ecológica e amigável às questões ambientais. 

Guia para a seda vegana 

Existem três categorias diferentes de seda vegana, elas são: 

Tecido Rayon

Produzido a partir da mistura de fibras naturais e sintéticas, o rayon é a alternativa de seda vegana mais comum no mercado. A fibra natural usada costuma ser a da celulose das plantas, que é dissolvida em um filamento líquido, e depois transformada em um produto sólido. As principais sedas veganas de rayon são:

  • Viscose, feita de qualquer material de planta, ou de madeira;
  • Lyocell, feito da celulose do carvalho, bétula ou do eucalipto;
  • Cupro, derivada das sobras de algodão da indústria têxtil;
  • Modal, semelhante ao lyocell, é produzido a partir da celulose das árvores de faia;

Seda vegana feita de plantas 

Esse tipo de seda vegana é adquirido através do uso de fibras de plantas, como folhas de frutas ou de flores. O processo dessa seda é sustentável. Ele usa menos processamento químico do que a seda de animal e já é conhecido há séculos pela civilização humana. Alguns exemplos de sedas veganas de plantas são:

  • Seda de banana, feita a partir do caule e da folha da bananeira;
  • Seda de abacaxi, produzida com as fibras da folha do abacaxi;
  • Seda de laranja, essa alternativa é adquirida do bagaço de laranja;
  • Seda da flor de Lótus, derivada das fibras encontradas nos caules das flores.

A seda da flor de Lótus é considerada uma das mais caras do mundo. Ela é usada principalmente na moda de luxo, isso porque sua produção é feita toda à mão, devido à delicadeza das fibras.

Seda vegana sintética 

Apesar de ser totalmente sintética, esse tipo de seda vegana é biodegradável e apresenta um futuro promissor para a indústria da moda. 

Seda de aranha: não deixe o nome lhe enganar, a seda vegana de aranha não é feita com teias da aranha. Na verdade, ela é produzida através de um processo sintético que mistura o DNA das aranhas com um fungo. Os dois são fermentados e transformados em uma fibra que é usada para a produção da seda. Os estudos sobre a seda de aranha ainda são escassos, mas ao que tudo aponta ela é uma criação biodegradável que espelha as propriedades animais da seda não-vegana. 

Onde comprar seda vegana?

O melhor lugar para encontrar e comprar seda vegana é direto dos produtores, de preferência produtores da agricultura familiar. Caso você queira comprar uma roupa de seda vegana, procure por lojas especializadas em moda sustentável, ou moda vegana, esses comércios costumam trabalhar com alternativas eco-friendly da seda.