Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Evento acontece virtualmente entre 8 e 15 de novembro e terá livros vendidos com no mínimo 50% de desconto


Por Juliana Alves para o Jornal USP – De janeiro a setembro de 2021, houve um aumento de 39% nas vendas de livros no Brasil, em comparação com o mesmo período de 2020, segundo pesquisa do Sindicato Nacional dos Editores de Livros (Snel). Se os brasileiros estão lendo mais, a tendência é que a 23ª Festa do Livro da USP seja uma grande celebração para os milhares de participantes previstos, que terão à disposição livros de 225 editoras com no mínimo 50% de desconto. Promovida pela Editora da USP (Edusp), a Festa do Livro da USP começa às 9 horas do dia 8 de novembro, segunda-feira, e termina no dia 15, no site do evento. Até lá, cada leitor já pode ver os descontos nos catálogos do site, fazer a “lista de desejos” e se preparar para a diversão.

“O passeio virtual não substituirá o contato com os amigos e a chance de sentir o cheiro dos livros, mas cria oportunidades diferentes para as editoras e evita que os visitantes carreguem aquelas sacolas pesadas. As vendas são feitas diretamente pelas lojas virtuais de cada livraria, com endereços eletrônicos já disponibilizados no site da Festa. No entanto, somente a partir das 9 horas do dia 8 é que as promoções estarão disponíveis”, explica Márcio Pelozio, da Edusp, um dos organizadores do evento. A opção on-line permitiu a ampliação do alcance de público, já que é possível comprar os livros estando em qualquer cidade do País, e não mais apenas na cidade de São Paulo e arredores, como na versão presencial. Em 2020, primeira vez em que a Festa aconteceu de forma remota, foram 600 mil usuários únicos acessando o site durante o evento. “É um número muito expressivo e a expectativa é de crescimento para este ano”, afirma Regina Brandão, técnica de comunicação da Edusp. Ela destaca que a Festa do Livro da USP busca aproximar leitores de editoras ao oferecer livros de qualidade e com uma única exigência: descontos de no mínimo de 50% no preço de capa. “Mas as editoras participantes podem oferecer descontos maiores em determinados títulos, o que sempre ocorre”, acrescenta Regina.

As vantagens não são só para os leitores. As editoras também aproveitam cada dia da Festa. A previsão para 2021 é de alta em 20% nas vendas. No caso da Edusp, houve um salto de 5,9 mil livros vendidos na edição presencial de 2019 para 10 mil na edição on-line de 2020, uma alta de 69%. A expectativa de superar o resultado anterior se deve à melhor preparação das editoras para o crescimento da demanda e ao maior conhecimento do público sobre as promoções. Márcio Pelozio afirma que a pandemia fez com que mesmo as editoras menores precisassem acelerar o desenvolvimento de canais de comércio eletrônico. “No ano passado muitas editoras foram surpreendidas por uma demanda que estava reprimida pelo fechamento das lojas físicas, mas neste ano todas puderam se preparar e tendem a ter um resultado ainda melhor”, destaca Pelozio.

O crescimento do número de editoras participantes, de 181 no ano passado para as 225 deste ano, se refere em parte às 28 editoras universitárias de vários Estados presentes neste ano. Está confirmada também a presença inédita de editoras como Tabla, que acaba de ganhar um prêmio internacional de tradução, Fósforo, Âyiné e Moinhos, entre outras. Editoras que tradicionalmente participavam da Festa presencial, mas não estiveram na edição passada, também estarão de volta, como Iluminuras, Companhia das Letras, Ibep e Edipro.

Detalhe do site da Festa do Livro da USP – Foto: Reprodução

Festa do Livro da USP também é uma oportunidade de os leitores conhecerem os lançamentos das editoras no ano. A Edusp tem cerca de mil títulos em catálogo e traz novidades como Erosão: Dos Solos às Civilizações, de David Montgomery. O livro de divulgação científica aborda as dinâmicas naturais dos solos e da natureza, entre as quais o fenômeno do dust, que são as nuvens de poeira gigantes e destruidoras que ficaram mais comuns e assustaram moradores de cidades do Centro-Oeste e do Sudeste do País neste ano. Outro título recém-lançado pela Edusp é Um Americano na Metrópole Latino-americana: Richard Morse e a Formação de São Paulo, de Ana Claudia Veiga de Castro. O livro traz a obra do historiador norte-americano Richard Morse (1922-2001) e mostra como a estada dele no Brasil, em meados do século passado, e o contato com a rede de intelectuais brasileiros modificou o trabalho dele e contribuiu para que retratasse a evolução da capital paulista. Também novidade é Uma História da Hungria, de László Kontler, professor da Central European University. O livro oferece um panorama da história do país, desde os primeiros assentamentos humanos, passando pelas disputas em um estado multiétnico, até as relações com o socialismo e a transição para o pós-1989. 

A primeira edição da Festa do Livro da USP foi em 1999, no pátio da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP, na Cidade Universitária, em São Paulo. Foram 31 editoras participantes, com publicações voltadas aos interesses dos acadêmicos. Ao longo dos anos, o público se diversificou e houve aumento no número de editoras, principalmente as universitárias e também aquelas com títulos infanto-juvenis, hoje um dos destaques do evento. A Festa cresceu e foi realizada até 2019 na Travessa C da Avenida Professor Mello Moraes, próximo ao Centro de Práticas Esportivas da USP (Cepeusp) e ao Conjunto Residencial da USP (Crusp), também na Cidade Universitária. 

A 23ª edição da Festa do Livro da USP, promovida pela Editora da USP (Edusp), acontece entre os dias 8 e 15 de novembro de 2021 no site do evento.