Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Kombucha faz bem à saúde, mas o preparo inadequado e o consumo excessivo podem envolver alguns perigos

Imagem de Tim-Oliver Metz em Unsplash

Afinal, será que beber kombucha regularmente oferece algum perigo para a saúde? A kombucha é um chá fermentado com benefícios comprovados para a saúde geral do organismo, produzida a partir de uma colônia de bactérias e leveduras probióticas chamada de scoby (Symbiotic Colony of Bacteria and Yeast, em inglês, ou Colônia Simbiótica de Bactérias e Leveuras).

Alternativa saborosa a bebidas gaseificadas prejudiciais à saúde, como os refrigerantes, a kombucha é uma escolha cada vez mais popular, porque é rica em bactérias que fazem bem à flora intestinal e vitaminas que fortalecem o sistema imunológico, além de facilitar a absorção de nutrientes.

Além disso, a kombucha também contém antioxidantes, tem ação antimicrobiana, pode reduzir os fatores de risco para o desenvolvimento de doenças do coração e ajuda a diminuir os níveis de açúcar no sangue. No entanto, o consumo da bebida pode oferecer sérios perigos à saúde, especialmente se ela não for preparada adequadamente.

A opção mais segura é comprar a kombucha pronta em lojas físicas ou virtuais. Os produtos comerciais são saborosos e considerados sem álcool, pois devem, obrigatoriamente, conter menos de 0,5% de álcool. No entanto, verifique os ingredientes e tente evitar marcas com alto teor de açúcar. 

5 perigos associados ao consumo excessivo de kombucha

Fazer kombucha envolve deixar as bactérias se desenvolverem em um líquido que, no final, você vai beber. Muitas dessas bactérias são consideradas probióticos, mas, se o preparo for inadequado, a bebida poderá conter bactérias ou fungos nocivos.

Desde meados da década de 1990, vários casos de doença e pelo menos uma morte foram relatados em pessoas que beberam kombucha. As doenças incluíam problemas de fígado, acidose láctica (acúmulo de ácido láctico no corpo), reações alérgicas e náuseas.

Produtos químicos de recipientes de cerâmica ou chumbo podem contaminar sua kombucha, e é por isso que essa bebida só deve ser armazenada e preparada em recipientes de vidro. Se você estiver fazendo em casa, os especialistas recomendam o uso de recipientes de vidro, aço inoxidável ou plástico. Mantenha tudo higiênico, incluindo o equipamento e suas mãos.

A Food and Drug Administration (FDA), agência federal do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos, classifica a kombucha como segura, desde que o preparo seja feito da forma adequada.

1. Pode levar ao consumo excessivo de calorias

Existem muitos tipos diferentes de kombuchá disponíveis para os consumidores. Enquanto alguns têm poucas calorias, outros podem ter até 120 calorias por garrafa, o que contribui para o desenvolvimento de sobrepeso ou obesidade. Por isso, é preciso ter moderação no consumo para evitar os perigos e garantir somente os benefícios da kombucha, como o bom funcionamento intestinal.

2. Pode causar inchaço e distúrbios digestivos

Se o consumo adequado do chá de kombucha é capaz de beneficiar a saúde digestiva, o excesso pode causar o efeito contrário. Como a bebida é carbonatada, a ingestão exagerada pode causar inchaço e gases.

Além disso, a kombucha contém compostos chamados FODMAPs, tipos específicos de carboidratos que podem causar distúrbios digestivos em muitas pessoas, particularmente naquelas que sofrem da Síndrome do Intestino Irritável.

Por último, consumir muita kombucha leva à ingestão excessiva de açúcar, o que pode causar diarreia.

3. Pode conter quantidades excessivas de açúcar adicionado

Quando consumidos em excesso, os açúcares adicionados, especialmente em bebidas adoçadas com açúcar, podem afetar negativamente sua saúde de várias maneiras, contribuindo para o desenvolvimento de diabetes, obesidade, fígado gorduroso e doenças cardíacas.

Dependendo da marca, apenas uma porção de kombucha pode conter até 28 gramas de açúcar, o equivalente a 7 colheres de chá. Ao escolher o produto, fique de olho no rótulo e prefira bebidas que contenham menos de 4 gramas de açúcar por porção.

4. Oferece perigo para certas pessoas

Embora a kombucha seja segura para a maioria das pessoas, para outras ela pode oferecer perigos sérios. Como a kombucha não é pasteurizada e contém uma mistura de diferentes tipos de bactérias e leveduras, ela pode promover o crescimento de bactérias oportunistas que podem causar infecções em certas pessoas.

Pessoas com o sistema imunológico enfraquecido (com câncer, doença renal ou Síndrome da Imunodeficiência Adquirida, por exemplo) podem desenvolver complicações graves por beber kombucha. Casos raros de reações alérgicas graves, acidose e complicações hepáticas também foram relatados em associação ao consumo de kombucha. Mulheres grávidas ou lactantes, bem como crianças, também devem evitar o consumo.

5. Pode levar ao consumo excessivo de cafeína

A kombucha geralmente é feita com chá mate, chá preto ou chá verde, que contêm cafeína. Por isso, o consumo exagerado pode afetar pessoas mais sensíveis a esse estimulante, causando ou agravando sintomas de ansiedade, agitação, estresse e insônia.

Kombucha: perigos superam os benefícios?

A kombucha preparada da maneira correta tem poucas chances de oferecer riscos graves à sua saúde, mas os cuidados devem ser redobrados se a bebida for feita em casa. O mais importante é moderar o consumo, para evitar efeitos colaterais desejados. Se você notar qualquer alteração mais séria após a ingestão de kombucha, procure orientação médica.


Fontes: Healthline, Medical News Today, Webmd e Poison.org


Veja também: