Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Conheça a síndrome do intestino solto, que pode ser causada por má nutrição, estresse e intolerância alimentar 

Síndrome do intestino solto: você já ouviu falar disso? O problema, também chamado de síndrome do intestino permeável ou, simplesmente, leaky gut, é uma condição associada ao aumento da permeabilidade do intestino. Ela ocorre quando as células que revestem os intestinos são danificadas e se separam, criando lacunas pelas quais as toxinas podem “vazar” do intestino para a corrente sanguínea, desencadeando inflamações.

Embora alguns profissionais de saúde ainda não reconheçam a condição, a síndrome do intestino solto está associada a doenças inflamatórias intestinais e complicações de saúde graves como a doença de Crohn, doença celíaca, síndrome de fadiga crônica, alergias, artrite, depressão e até esclerose múltipla. Mas como isso acontece?

O trato digestivo humano é onde os alimentos são decompostos e os nutrientes são absorvidos. O sistema digestivo também desempenha um papel importante na proteção do corpo contra substâncias nocivas. As paredes do intestino funcionam como barreiras, controlando o que entra na corrente sanguínea para ser transportado para os órgãos.

Pequenos espaços na parede intestinal, chamados de junções rígidas, permitem a passagem de água e nutrientes, enquanto bloqueiam a passagem de substâncias nocivas. A permeabilidade intestinal favorece a passagem dessas substâncias pela parede intestinal.

Quando as junções estreitas das paredes intestinais se soltam, o intestino se torna mais permeável, permitindo que bactérias e toxinas sejam transferidas do intestino para a corrente sanguínea. É aí que acontece a síndrome do intestino solto, que é diferente da prisão de ventre, caracterizada pelo intestino preso. Quando o intestino está “vazando” e as bactérias e toxinas entram na corrente sanguínea, uma inflamação generalizada acontece e, possivelmente, desencadeia uma reação do sistema imunológico.

Remédio para diarreia
Imagem de Ava Sol em Unsplash

Causas da síndrome do intestino solto

Não existe um consenso sobre o que causa a síndrome do intestino solto, mas alguns estudos demonstraram que o glúten pode aumentar a permeabilidade intestinal em pessoas que convivem com doença celíaca ou síndrome do intestino irritável. Entre outros fatores, incluem-se:

Sintomas da síndrome do intestino solto

Sensibilidade a alimentos

Você pode notar alergias e sensibilidade quando consome determinados alimentos, como glúten, leite e derivados, frutos do mar e outros.

Enxaqueca

Uma dor de cabeça moderada a intensa é sentida como uma dor latejante em um lado da cabeça. Também pode desencadear sintomas como náuseas, vômitos e aumento da sensibilidade à luz ou som.

Cansaço e fadiga crônica

O cansaço extremo pode estar associado à síndrome do intestino solto.

Asma

A doença pulmonar comum causa dificuldades respiratórias ocasionais.

Condições de pele

Eczema e esclerodermia, uma condição que causa áreas duras e espessas da pele, podem estar relacionados a problemas de saúde intestinal.

Além disso, o intestino solto pode causar ou contribuir para os seguintes sintomas:

  • Diarreia crônica, constipação, distensão abdominal ou dor de barriga
  • Deficiências nutricionais
  • Fadiga
  • Confusão mental
  • Dificuldade de concentração
  • Problemas de pele, como acne e erupções cutâneas
  • Dor nas articulações
  • Inflamação generalizada

Como combater a síndrome do intestino solto?

Mudanças na dieta podem ajudar seu intestino solto. O glúten é uma proteína difícil de digerir que deve ser evitada por quem sofre com esse problema. Ele é conhecido por induzir a liberação de uma proteína chamada zonulina, que contribui diretamente para a permeabilidade intestinal.

O ideal é evitar também o açúcar refinado, pois alimenta o crescimento de bactérias nocivas que impedem a cicatrização do intestino danificado.

Se você sofre de intestino solto, deve considerar a adição de alimentos fermentados, fibras solúveis, como o grão de bico, e insolúveis, como o arroz integral, e probióticos. Alimentos fermentados como chucrute, kefir, iogurte natural e kimchi são ricos em bactérias benéficas e essenciais para a saúde da flora intestinal, limitando o crescimento de bactérias ruins. Uma vez que está associada à doenças inflamatórias, invista também em alimentos com ação anti-inflamatória.

Outros alimentos úteis incluem alimentos de fácil digestão, como vegetais sem amido, bem como gorduras saudáveis, como abacates, que ajudam na cura do intestino.

A suplementação de probióticos também pode ser benéfica. Os probióticos evitam que bactérias ruins se instalem no intestino, reduzem o nível de toxinas, ajudam a decompor os alimentos e auxiliam no bom funcionamento do trânsito intestinal e dos movimentos intestinais..