Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Saiba como fazer inhame e quais são os benefícios desse tubérculo nutritivo e saudável

O inhame, também conhecido por taro, inhame-branco e taioba-de-são-tomé, é um tubérculo nutritivo muito popular e amplamente consumido no mundo. Cultivado desde 50.000 a.C., na África e na Ásia, hoje é um alimento básico em muitos países da América do Sul, África, nas ilhas do Pacífico e nas Índias Ocidentais. No Brasil, a região Nordeste é a maior produtora e consumidora.

Existem mais de 600 espécies de inhame, mas apenas algumas são consideradas comestíveis. As não comestíveis são geralmente utilizadas para fins medicinais. Muitas das propriedades medicinais do inhame são decorrentes da ação da diosgenina, um fitoesterol de grande interesse da indústria farmacêutica.

O consumo do tubérculo, parente do cará e da batata-doce, melhora o funcionamento do sistema imunológico, a qualidade do sangue e, por ser altamente nutritivo e medianamente calórico, é uma boa opção para quem quer perder peso.

Vale lembrar que os tubérculos são uma excelente fonte de fibras solúveis e seus carboidratos são complexos. Eles apresentam vitamina A e betacaroteno, quantidades significativas de vitamina C e são ricos em vitaminas do complexo B. Com relação aos minerais, possuem potássio, ferro, cálcio, fósforo, magnésio e cobre.

Conheça os benefícios do inhame

Inhame faz bem para a saúde do coração

As fibras do inhame reduzem os níveis de colesterol no sangue, ajudando a prevenir doenças cardíacas. Além disso, o inhame é uma boa fonte de potássio, um mineral que compensa as ações hipertensivas do sódio em nosso corpo.

O tubérculo reforça o sistema imunológico

O inhame fortifica os gânglios linfáticos, que são responsáveis pela defesa do sistema imunológico, deixando o corpo mais forte e prevenindo doenças. Doenças virais, como malária, dengue e febre amarela, podem ser evitadas com o consumo do inhame, já que ele ajuda a impedir a contaminação do sangue (mas não é por isso que você deve deixar de tomar todas as vacinas).

Os compostos antioxidantes do inhame – betacaroteno e vitamina C – ajudam a prevenir os mais variados tipos de câncer e, por ser fonte de diosgenina e vitaminas B6 e B9, é um ótimo alimento para ajudar no controle e prevenção do Alzheimer.

Inhame é um grande aliado da saúde feminina

Por possuir fitoestrógenos e hormônios vegetais, o inhame é conhecido por aumentar a fertilidade da mulher, amenizar cólicas menstruais, sintomas da TPM e da menopausa (a diosgenina presente no tubérculo pode auxiliar para contenção de calores, do ressecamento da mucosa e de outros sintomas que acompanham essa fase) e estimular a libido, além de ser útil na endometriose, doença fibrocística da mama e fibrose uterina. Um estudo ainda concluiu que a ingestão de inhame equilibra os níveis hormonais.

Ele auxilia na perda de peso

O inhame é uma ótima opção de alimento para quem quer emagrecer. Além de conter pouca gordura, as suas fibras promovem a sensação de saciedade e seus nutrientes fornecem mais energia. Além disso, o inhame possui propriedades anti-inflamatórias, o que deixa o corpo menos suscetível a acumular líquidos e toxinas, diminuindo a celulite e inchaços.

Inhame também previne a anemia

O inhame é um bom alimento para a prevenção da anemia. Ele é fonte de ferro, mineral que participa do processo de transporte de oxigênio, realizado pelas hemácias; cobre, que ajuda no acesso ao ferro armazenado, para que ele possa ser utilizado na síntese de novas hemácias; vitamina C, que ajuda na absorção do ferro; vitamina B6, fundamental para a produção de hemoglobina; e ácido fólico, que ajuda no processo de maturação das células sanguíneas.

Outros usos do inhame

Além disso tudo, o inhame também tem outros benefícios, como ajudar em casos de unhas encravadas, furúnculos e espinhas grandes, desinflamar cicatrizes, evitar dores e inchaço em queimaduras e locais fraturados (quando utilizado de maneira externa).

Por seu poder anti-inflamatório, pode ser usado em hemorroidas, artrites, cataporas, reumatismos, pleurisias, nevralgias, neurites e eczemas. Comer inhame também ajuda a baixar a febre e a combater sinusite e apendicite. Os antioxidantes contidos no inhame ajudam ainda a combater o ressecamento da pele quando o inhame é ingerido regularmente.

Como fazer inhame?

Alimentos como a mandioca e o inhame, que são raízes, não devem ser ingeridos crus, porque apresentam substâncias tóxicas. Para isso, é preciso lavá-los e cozinhá-los antes de consumir. Depois de cozido, você pode acrescentar o inhame em saladas, sucos, sopas, pães e o que mais sua criatividade permitir.

  • Salada: ralar, temperar com azeite, sal e limão. Acrescentar outros vegetais a gosto.
  • Suco: descascar, ralar e adicionar suco de frutas.
  • Cozido: cozinhar com casca e inteiro no vapor ou na pressão. Descascar, temperar com azeite, cebolinha, salsinha e gengibre a gosto.

Confira como lavar verduras, frutas e legumes no vídeo abaixo.