Como fazer uma horta no seu jardim

eCycle

As vantagens são inúmeras e a dificuldade não é alta

Horta

Fazer sua própria horta só trará vantagens, como ficar livre do consumo de agrotóxicos, levar os produtos da horta diretamente à mesa sem que eles sofram com o transporte, ter o prazer de mexer com a terra, transformar uma área inativa em área produtiva, contribuir para a preservação do ambiente (você reduz significativamente sua pegada de CO2), fazer higiene mental e, possivelmente, garantir uma renda extra. Então vamos ao que interessa!

O primeiro passo para fazer uma horta é escolher bem que tipos de hortaliças você pretende cultivar, pois cada uma tem um valor específico:

Folhas e caules

São mais ricos em minerais, especialmente cálcio e ferro. Entre outros: acelga, agrião, aipo, alface, almeirão, bertalha, chicória, couve, espinafre, mostarda e repolho.

Frutos e sementes

Outro grupo de hortaliças verdes rico em minerais e em vitaminas variadas. São ervilhas, vagens, berinjelas, favas, feijão de vagem, jiló, pimentão, quiabo e tomate.

Raízes, bulbos e tubérculos

Ricos em vitaminas, têm coloração amarela ou vermelha. São eles: cenoura, pepino, cebola, rabanete, beterraba, nabo amarelo, nabo branco e batata doce.

Temperos e condimentos

Alho, cebolinha, coentro, cominho, hortelã e salsa.

Escolha ideal para o seu espaço

Quem mora em apartamento naturalmente não vai poder cultivar hortaliças muito grandes, como abóbora, batata e milho, pois não podem ser cultivados dentro de vasos. Mas é possível garantir temperos e ervas medicinais, como salsinha, coentro, cebolinha, manjericão, pimenta, boldo, sálvia, alecrim, camomila, etc. É possível plantar esses condimentos não só em vasos, como também em jardineiras e caixas de leite longa vida.

Quintal pequeno ou sem terra

Você pode formar canteiros dentro de caixotes de madeira, pneus velhos e de outros recipientes que possam ser furados na base para que o excesso de água possa ser liberado. No caso dos pneus, é necessário cortar bases ou de madeira ou de plástico para ser encaixado na parte interna do pneu, formando uma bacia. Também é possível construir canteiros de alvenaria, perto do muro do quintal ou dos corredores da casa.

Além de temperos e ervas medicinais você também poderá cultivar hortaliças menores nesses espaços, como alface, cenoura, beterraba, rabanete, pimentão, tomate, etc. Para que sua horta cresça saudável e forte tome os mesmos cuidados que com hortaliças cultivadas em terreno.

Quintais grandes ou terrenos

É possível aproveitar qualquer pedacinho de terra para plantar alguma coisa, mas é necessário ter no mínimo seis metros quadrados para ter uma horta tradicional. Sendo assim: uma área de seis a dez metros é ideal para fornecer hortaliças para uma pessoa, então para quatro pessoas o ideal seria 40 metros, e por aí vai.

Mas antes de sair plantando você deve ter alguns cuidados com o solo, como preparar a terra, adubar. O espaço reservado à horta precisa:

  • Receber luz do sol durante boa parte do dia. A incidência dos raios de sol na terra ajuda a evitar pragas e doenças que podem prejudicar a sua horta. Hortaliças folhosas, porém, são mais tolerantes à sombra e precisam de menos sol;
  • O terreno não pode ter muita inclinação e não pode ficar uma área que alaga com facilidade;
  • Ter acesso à água limpa, para fazer as regas, já que muitas hortaliças são consumidas cruas e a plantação não pode depender só de água da chuva;
  • Ficar a, pelo menos, cinco metros de distância de privadas, esgotos e áreas contaminadas.


Para preparar a terra você precisará de algumas ferramentas específicas. Claro que você não precisará comprar todas para cuidar da sua horta, até porque algumas você consegue improvisar com coisas de casa, mas aqui está uma lista de ferramentas e para que servem:

  • Ancinho: é utilizado para coletar materiais como folhas soltas, tirar torrões e para nivelar terrenos.
  • Colher de transplante: serve para transplantar plantas de seus vasos para o local definitivo, em hortas pequenas pode ser substituída por uma colher normal sem problemas.
  • Enxada: usada para capinar o terreno, fazer covas, misturar a terra com adubo e formar canteiros.
  • Pá curva: serve para cavar e remover a terra e para misturar o adubo.
  • Sancho: um dos lados dessa ferramenta serve para capinar entre as plantas, o outro lado mais afiado serve para afofar a terra e criar sulcos.
  • Escarificador: pra quebrar a crosta que se forma na superfície da terra e para afofar a terra.
  • Regador e mangueira: para regar as plantas.

Depois que o terreno estiver preparado, capinado e sem ervas daninhas, você pode começar a plantar. Para saber se você deve plantar mudas ou as sementes direto, é preciso analisar quais tipos de hortaliças você quer cultivar. Alface, repolho, acelga, almeirão, entre outras são semeadas primeiro e depois levadas para o lugar definitivo. Já outras podem ser semeadas no local definitivo, como ervilhas, favas, quiabo, feijões, cenouras e rabanetes.

Para testar a qualidade das sementes, faça o teste de germinação: forre o fundo de um prato com algodão ou papel poroso, umedeça bem e coloque dez sementes por cima. Regue todos os dias, se ao final do sexto dia no mínimo 8 sementes estiverem germinadas, quer dizer que elas são de boa qualidade.

Você talvez precise usar sementeiras também, que são nada mais que canteiros ou caixotes em que as sementes são espalhadas e podem germinar antes de irem para o local definitivo. A terra das sementeiras deve ter um tratamento meticuloso, ela deve estar totalmente livre de matérias estranhas, vegetais ou animais. A mistura ideal para sementeiras é composta por partes iguais de areia lavada, terra e terra preta.

Faça sulcos na terra com cinco centímetro de distância entre eles, distribua as sementes nesses buracos de maneira uniforme, cubra as sementes com a mistura de terras e para manter a umidade e evitar que as sementes afundem com a irrigação, coloque capim seco por cima, mas retire quando as sementes começarem a germinar.

Botando a mão na terra

Use um enxadão para remexer a terra numa profundidade de 25 a 30 centímetros. Divida o terreno em canteiros, você pode separar uma parte do terreno para ser a sementeira, ou seja, para germinar as hortaliças antes delas serem plantadas no lugar definitivo.

Os canteiros devem ter entre um metro e 1,20 de largura, entre 15 cm e 20 cm de profundidade e o comprimento que achar melhor. Entre um canteiro e outro é preciso que exista um espaço de 20 cm a 30 cm. Alguns dias antes de transferir as mudas é necessário que o canteiro receba adubação orgânica e química, processo que deve ocorrer apenas uma vez, depois é só cuidar do plantio.

O bom desenvolvimento das plantas

Com os canteiros formados é preciso ficar atento com: a irrigação, o aparecimento de plantas daninhas, doenças e pragas.

Irrigação

Nos três primeiros dias após o transplantio das mudas, a recomendação é que a rega seja feita de manhã e à tarde, ou até que as plantas estejam bem pegas. Daí em diante, a quantidade de água vai variar de acordo com a hortaliça e a temperatura local. Por isso, observe atentamente a plantação até decidir qual é a freqüência mais adequada para as regas. Geralmente uma rega diária é suficiente tanto para as sementeiras como para as hortaliças mais exigentes em água. Em dias muito frios, evite a rega à tardinha.

Plantas daninhas

Representam gastos extras com água e adubo. Além disso, se não forem arrancadas, acabam provocando sombra e uma diminuição da produção. Portanto, a capinagem deve ocorrer o mais cedo possível. Quando novas, as plantas daninhas podem ser facilmente retiradas com a mão ou com o sacho.

Terra fofa

Para fornecer o arejamento necessário à raiz da planta e propiciar a manutenção da umidade do solo, para que os nutrientes sejam bem aproveitados, a terra precisa ser bem afofada uma vez por semana. A esse procedimento dá-se o nome de escarificação.

Controle de pragas e doenças

Às vezes acontece da horta ser atacada por pragas e doenças e, muitas vezes, esses ataques poderiam ter sido evitados. É normal que, de vez em quando, apareça um pulgão ou uma manchinha numa folha ou outra. O que não é normal é a horta sofrer ataques sistemáticos. Veja abaixo como evitá-los.

Local ensolarado

É preciso haver incidência dos raios solares na maior parte do dia sobre a área plantada para eliminar agentes prejudiciais às hortaliças;

Solo bem preparado

Quando está bem nutrida, a planta evita doenças. Use o máximo possível de matéria orgânica bem curtida, aliada à correção do solo, repetindo a adubação no tempo certo. Dê preferência a adubos naturais, como o calcário, e os orgânicos;

Sementes tratadas e de boa procedência

Garantem melhor qualidade de germinação e de plantas sadias, sem contaminação;

Rotação de culturas

Uma prática muito importante para evitar o aumento de pragas e doenças na horta. Nunca se deve plantar duas safras da mesma hortaliça no mesmo canteiro. Alterne sempre.

Onde havia um produto de raíz, substitua por uma folhosa e vice-versa. Por exemplo: onde você plantou couve, plante beterraba; onde tinha alface, plante cenoura; no lugar do repolho, plante rabanete e assim por diante.

Limpeza da área

Os restos de cultura abandonados sobre a terra só são úteis às pragas e doenças. Aproveite-os para fazer adubo orgânico.



Veja também:


 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail