Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Processo realizado com compostos químicos de alta velocidade, fumigação tem impactos ambientais negativos

A fumigação é um processo realizado com compostos químicos de alta volatilidade – também chamados de fumigantes – para proteção de estoques agrícolas contra infestações de microrganismos, insetos e outros animais indesejáveis, sendo uma ferramenta tradicional nos sistemas de controles de pragas. Os fumigantes podem ser naturais ou sintéticos, e existem na forma de gás, fumaça, líquido ou sólido com liberação gradual de gases tóxicos. A fumigação pode ser aplicada no solo, no transporte de commodities em contêineres, e em estruturas e instalações com caráter preventivo ou repressivo.

Quais são os tipos de fumigação e o que é um produto fumigante?

Fumigantes sintéticos

A fumigação realizada a partir de substâncias sintéticas apresenta efeitos pesticidas em amplo espectro de toxicidade, podendo ser efetivos não somente contra insetos mas também contra fungos e nematoides parasitas. Entre os principais fumigantes sintéticos, estão o brometo de metila, a cloropicrina, o dissulfeto de carbono e o fosforeto de magnésio. Em forma de gás e vapor, esses compostos atingem funções fisiológicas vitais para o funcionamento do organismo, incluindo processos celulares. 

A fumigação sintética é indicada para tratamentos estruturais ou quarentenários realizados somente por empresas certificadas, com o objetivo de impedir ou controlar a entrada de pragas não existentes no país durante a importação de mercadorias. São aplicados principalmente sobre madeira, flores cortadas, frutas frescas e vegetais.

Fumigantes naturais

Boa parte das substâncias utilizadas para fumigação natural são de origem vegetal, como óleos essenciais. Na fase de vapor, compostos como o óleo de manjericão e o óleo de canela são mais tóxicos a insetos do que outros fumigantes sintéticos. Entretanto, seu uso prático atual é mais estreito, uma vez que não são eficazes para impedir o desenvolvimento de pragas em estágio larval dentro de grãos de sementes, causando maior mortalidade entre os indivíduos adultos.

Outra limitação tecnológica dos fumigantes naturais de origem vegetal é a sorção do ingrediente ativo pelo produto alvo da fumigação (isto é, a adesão do fumigante à superfície do produto). Estudos observaram que o óleo de canela pode provocar até 100% de mortalidade, em escala de laboratório com recipientes vazios, sobre uma espécie de besouro que ataca estoques cereais (S. zeamais), mas somente 12% quando o recipiente era preenchido com arroz. Também não há estudos conclusivos sobre a volatização dos resíduos deixados pela fumigação de mercadorias utilizando óleos essenciais.

Impactos da fumigação sobre a saúde e o ambiente

Até 1992, o brometo de metila era um dos principais fumigantes utilizados para fins quarentenários e fitossanitários no Brasil e no mundo, quando seu uso passou a ser gradualmente eliminado pelas nações signatárias do Protocolo de Montreal sobre Substâncias que Destroem a Camada de Ozônio. 

Além disso, na classificação de agrotóxicos, o composto era alocado na faixa de maior perigo à saúde humana. Seu elevado grau de toxicidade provoca insuficiência circulatória, perturbações nervosas, cefaleias e distúrbios psíquicos e neurocomportamentais.

O acordo internacional previa a eliminação total do brometo de metila no Brasil até 2015, no entanto, em 2016 era a substância com maior frequência de resíduos sobre alimentos consumidos regularmente pela população (arroz, feijão, soja). Em 2019, a Anvisa reclassificou o brometo de metila da categoria “extremamente tóxico” para “pouco tóxico”, assim como outras centenas de substâncias altamente tóxicas à saúde e prejudiciais em termos de qualidade ambiental.

A Associação Americana de Químicos de Cereais (ACCC International) considera que todos os tipos de fumigação são operações perigosas, e tem chamado a atenção para os riscos de segurança ocupacional e ambiental que a atividade promove. Portanto, é indispensável o uso adequado de Equipamento de Proteção Individual (EPI) durante todo o processo de fumigação dos produtos.